Arquivos da Categoria: Economia

Há mais fatores de baixa do que de alta no mercado de trigo, neste momento

imagem_release_461858As cotações para o trigo da safra 2015/16 começaram a aparecer nos mercados futuros de Chicago e Kansas em julho de 2013, o que significa dizer que deste aquela época era possível fixar preços para a safra que estamos plantando no Brasil, hoje, segundo a Consultoria Trigo & Farinhas, especializada em mercados futuros.

Até agosto de 2014, as cotações oscilaram entre US$ 6,00 e US$ 7,60 por bushel, o que equivale a algo entre US% 12,34 e US$ 15,81/saca de 60 quilos posto no interior do Brasil, para um custo estimado em US$ 10,57/saca no Paraná e US$ 9,90/saca no Rio Grande do Sul. Isto significa que proporcionou ocasião para travamento de preços com lucros entre 16,74% e 49,57% no Paraná e 24,64% e 59,69% no Rio Grande do Sul, afirma Luiz Carlos Pacheco, analista sênior da Trigo & Farinhas.

Ocorre que, por não saber como lidar com mercados futuros, a imensa maioria dos triticultores brasileiros não aproveitou estas oportunidades. Hoje o mercado entre US$ 6,20 e US$ 537/bushel e nem começamos a colher ainda e a maioria dos agricultores nem pensa em travar preços, porque ainda não colheu nada.

Este conjunto de atitudes é que leva ao sentimento generalizado de que o trigo não dá lucro (sic!). Se, porém, houvesse uma consciência generalizada de utilização dos mercados futuros, o setor poderia crescer muito em direção à autossuficiência, uma vez que já foi comprovado que o Brasil pode produzir volume e qualidade superiores ao argentino, por exemplo, em que pese que ainda sofra com os custos, mas que seriam superados pelos ganhos de escala e proximidade dos mercados compradores.

Neste momento, os fatores que estão pressionando os preços do trigo nos mercados interno e externo são os grandes estoques do produto, segundo Pacheco. A Argentina está fazendo um estoque recorde de 3,2 milhões de toneladas, o Uruguai deve terminar o ano comercial com aproximadamente 500 mil toneladas, o Paraguai, idem, o Paraná com aproximadamente 300 mil toneladas e o Rio Grande do Sul com outras 200 mil toneladas. No total serão cerca de 4,6 milhões de toneladas no Mercosul, três vezes mais do que a média normal, que está ao redor de 1,5 milhão de toneladas. O mesmo acontece no mercado internacional, onde os estoques avaliados pelo USDA aumentaram 16,81 milhões de toneladas ou 8,31%, passando para 219,21 milhões de toneladas, recorde na história.

O que fazer, neste momento? Procurar um bom corretor de mercados futuros e aprender a travar preços futuros. Os lucros para a safra 2015/16 ainda estão ao redor de 10% e os da safra 2016/17, por exemplo, estão, neste momento, entre 11,91% para o trigo do Rio Grande do Sul e 18,84 para o trigo do Paraná.

Serviço: Luiz Carlos Pacheco

Editor – https://www.linkedin.com/pub/luiz-carlos/30/862/21

Contatos: 00 55 41 3209-8542, 00 55 41 9826-3697

Skype/email: luiz.pach@hotmail.com

Anúncios

A crise gerando oportunidade

imagem_release_459238Nessa era da informação, onde somos metralhados com comunicação vinda por todos os lados, é compreensível que os brasileiros estejam à beira da loucura com todas essas manchetes de crise.  No entanto é preciso ver o outro lado da moeda e que, em meio à crise, podem haver boas e novas oportunidades. Foi nessa linha de pensamento que quatro jovens amigos se uniram para criar a uCart, empresa de tecnologia que visa ajudar o comércio além da comunicação, levando os lojistas do Rio de Janeiro e do Brasil a baixarem seus custos e aumentarem os lucros na administração de seus negócios.

“Ajudar na eficiência do comércio em geral – esse é o DNA da empresa”, comenta Diego Barbeito sócio e diretor de planejamento da uCart. Inicialmente pensamos na área de moda, uma vez que as possibilidades do mercado digital no atual cenário brasileiro são mais amplas, mas vimos que nosso negócio cabe em qualquer varejo. “Qualquer forma de varejo precisa e pode vender online a baixo custo e, para isto, necessita de formas e meios para divulgar seus produtos e serviços na vizinhança e no mundo. De maior e melhor conhecimento de ferramentas de comunicação e do seu público alvo para melhorar seu negócio. É justamente isto que fornecemos”, afirma Barbeito.

A uCart se posiciona em favor de um melhor e mais moderno mercado de varejo. Eficiência, qualidade e baixo custo são as metas da uCart para ajudar os lojistas a enfrentar a crise que há tempos já se anuncia.

Serviço: uCart

Contato: Diego Barbeito – Sócio proprietário e Diretor de planejamento da uCart

Fone: 21 3073-0319

Site: http://www.ucart.com.br/

Email: diego@ucart.com.br

Trigo – Mercado começa a precificar as chuvas

imagem_release_459464O mercado de trigo no PR esteve um pouco mais movimentado nesta semana, por causa do clima.  Os compradores estão na dúvida sobre a entrada e qualidade da nova safra. Os preços passaram de R$ 630,00/t para R$ 650,00/t nos últimos dias, com alguns negócios realizados, segundo a Consultoria Trigo & Farinhas.

No RS também os preços ficaram um pouco melhores, com ofertas a R$ 550,00/t no interior e comprador já estudando este preço, contra R$ 530,00 da semana anterior, afirma Luiz Carlos Pacheco, analista sênior da empresa.

As chuvas estão caindo intensamente sobre o Oeste e o Sudoeste do Paraná, oeste de Santa Catarina e Noroeste e Oeste do Rio Grande do Sul. Nestas regiões os trigos estão recém plantados e os danos se limitam, por enquanto, ao encharcamento das lavouras, impedindo a entrada das máquinas para terminar o plantio. Por conta disto o Paraná teve avanço zero no plantio de trigo, que permanece por duas semanas em 97% e os trabalhos de tratos culturais não pode ser realizado, tanto neste estado quanto no Rio Grande do Sul.

Embora haja chuvas no norte do Paraná, elas são de menor intensidade e não prejudicam seriamente as lavouras. Contudo, como o percentual de lavouras em fase de floração antingiu 28% e de frutificação 10%, a partir de agora o estado começa a correr riscos de danos sobre o trigo plantado para a safra 2015/16, segundo Pacheco.

Serviço: Luiz Carlos Pacheco

Editor – https://www.linkedin.com/pub/luiz-carlos/30/862/21

Contatos: 00 55 41 3209-8542, 00 55 41 9826-3697

Skype/email: luiz.pach@hotmail.com

4 passos para se destacar no mercado

imagem_release_445854Atualmente, com o número de empresas atuantes nos mercados mais variados, uma preocupação que acomete os empresários é: como continuar liderando- ou, pelo menos, manter uma posição favorável perante ao público- se a oferta, atualmente, é maior que a demanda, devido a crise que o Brasil e o mundo está passando?

Segundo Jonathan Souza, um dos fundadores da Agência Publicidade Popular, de Porto Alegre, as empresas que se mantém em destaque no mercado não são mais apenas as tradicionais, que já estão nesses nichos há muitos anos. “Claro, você ainda verá empresas antigas que continuam liderando, mas um movimento que pode ser percebido é que, de uns anos para cá, outras companhias têm chamado a atenção do público, fazendo uso do advento da internet para isso, principalmente. São empresas que possuem uma nova abordagem com o cliente, percebendo as necessidades e as tendências que surgem na rede”, explica.

Souza, que ajudou a criar uma agência que propões custos mais acessíveis, para que todos possam estar presentes no mercado, acredita que essa competitividade faz bem ao mercado, e permite que novas empresas tenham sua chance de conquistar o público, também.

Ele citou algumas características que uma empresa pequena deve procurar fazer para conquistar o público e seu lugar no mercado.

Confira:

1.   Tratar seus clientes como prioridade

A fidelização do cliente não se dá apenas pela distribuição de brindes ao final de cada compra, por exemplo. Por meio de uma página no Facebook, é possível criar um canal de comunicação direto, onde as pessoas podem conhecer mais sobre os produtos e sobre a empresa em si, além de visualizar conteúdo que foi pensado especialmente para esse público-alvo. Atualmente, se você não está na internet, você basicamente não existe.

2.   Aprimoramento

Uma empresa que se preocupa em estar com os melhores profissionais possíveis é uma empresa que consegue se manter no mercado. Ao oferecer cursos e palestras aos seus funcionários, por exemplo, a empresa vai garantir que seus colaboradores esteja sempre um passo a frente dos outros, podendo, até mesmo, prever tendências mercadológicas.

3.   Motivação

Uma empresa que possui um corpo de funcionários que se sente feliz em trabalhar naquele ambiente é uma empresa que produz mais, e, portanto, se posiciona melhor no mercado.

4.   Marketing

Faça uma boa propaganda de si mesmo, e contrate empresas especializadas nesse setor para que a mensagem sobre quem é a empresa e quais são seus serviços seja passada da melhor maneira possível para os clientes. Investir em marketing é a garantia que seu dinheiro terá um retorno maior, na forma da atenção que o público passará a dar à companhia.

Serviço: Publicidade Popular

Sites: www.publicidadepopular.com.br

E-mail: contato@publicidadepopular.com.br

Você quer se aposentar antecipadamente?

imagem_release_446319As condições para se aposentar no Brasil têm sofrido mudanças que vão impactar a vida de todos os contribuintes. Segundo a Medida Provisória publicada pelo Governo Federal, o que acontece é que a maneira de calcular a aposentadoria vai mudar, já que a expectativa de vida da população aumentou, e isso impacta no tempo de serviço de cada trabalhador ligado ao INSS.

Segundo essa nova decisão, a aposentadoria por idade continua a mesma (60 anos para mulheres e 65 para homens), sendo que, nesse caso, o beneficiário tem direito a um salário mínimo por mês. Já a aposentadoria por tempo de contribuição, que é 30 anos para mulheres e 35 para homens, funcionará com sistema de “pontos”, quando o beneficiário quer ter direito à aposentadoria integral. Nesse caso, a soma a ser feita, da idade com a contribuição, deverá ser de, no mínimo, 85 para mulheres e 90 para homens.

Com esse novo cenário se apresentando no Brasil pode-se pensar: será que é uma boa ideia se aposentar cedo do que a aposentadoria por idade permite? De acordo com o advogado Tiago Kidricki, sócio do Kidricki e Sousa Advogados Associados, de Porto Alegre, alguns pontos devem ser analisados antes de tomar essa decisão. “As pessoas só pensam na parte do tempo livre e menor estresse, mas se esquecem que é muito difícil manter certo padrão de vida após a aposentadoria, salvo alguns casos especiais”, comenta.

Ele, que é especializado na área do Direito Previdenciário, explica que a decisão de se aposentar mais cedo deve levar em conta, principalmente, os fatores financeiros. “No Brasil, a maioria das pessoas não possui uma grande aposentadoria, o que pode complicar a situação de muitos. Aconselho que quem tiver interesse em se aposentar mais cedo procure diminuir seus gastos desde já, para se acostumar a um estilo de vida com uma renda menor. Leve em conta os projetos e despesas que você terá ao longo da vida – viagens, faculdade dos filhos, etc-, e pondere se a aposentadoria antecipada é uma boa opção”, afirma.

O advogado também fala que a pessoa precisa estar ciente de que seus benefícios também serão diminuídos. “Em idades mais avançadas, é necessário ter um plano de saúde que cubra eventuais emergências, algo que a maioria das empresas de médio e grande porte oferece aos seus funcionários e família. Além disso, é preciso estar em dia com seus documentos e pagamentos relativos ao governo, como o INSS, por exemplo. Quando as coisas não estão em ordem, dificilmente o contribuinte terá seus direitos assegurados, como o auxílio-desemprego ou auxílio-doença, quando necessário”, observa.

Kidricki finaliza, explicando que, antes de tomar qualquer decisão é recomendável que o indivíduo procure auxílio profissional, tanto no quesito de averiguar se sua situação financeira é favorável a uma aposentadoria antecipada, quanto no jurídico, para saber se a pessoa está com todos seus documentos, requerimentos e pagamentos em dia.

Serviço: Kidricki e Sousa Advogados Associados

Tiago Beck Kidricki – OAB/RS n. 58.280

Rua João Abbott 473/503 – Petrópolis, Porto Alegre

51 30283443

www.ksadvogados.com.br

Contratar ou não um consultor, eis a questão

imagem_release_443283Ter um consultor dentro de uma empresa é algo recorrente atualmente. É provável que você até já tenha visto um, e não deixou de se perguntar: mas o que é um consultor, e o que exatamente ele faz? Existem, na verdade, duas classes de consultores: os externos e internos. O primeiro é contratado por um tempo pré-determinado, e o segundo faz parte do grupo de colaboradores da empresa. Claro, ambos possuem vantagens e desvantagens, por exemplo, o primeiro possui mais liberdade, e o segundo conhece melhor as características da empresa.

Segundo Robson Profeta, coach financeiro, muitas organizações contratam consultores sem nem saber ao certo quais serão seus papeis e responsabilidades. “As empresas entendem que não estão em uma boa situação e precisam de uma ajuda externa para resolvê-la, porém não sabem exatamente o que os consultores deverão fazer. Primeiramente, a companhia deve saber qual é seu problema, para determinar exatamente que tipo de consultor será preciso chamar”, pondera.

Ele lembra que sempre é necessário analisar a fundo as pessoas que serão contratadas, para saber se suas referências são boas, quais suas experiências anteriores, e seu perfil profissional, principalmente.” Uma das muitas vantagens de se contratar um consultor é que ele pode garantir um foco para o problema da empresa, algo que os outros funcionários muitas vezes não conseguem. Além disso, um consultor tem um custo de contratação mais baixo do que um funcionário regular especializado, já que, normalmente, ele fica por um tempo determinado, e não existe a preocupação de encargos sociais, por exemplo”, explica.

Profeta enfatiza que, assim como tudo na vida, existem as desvantagens de se contratar um consultor. “Por vezes, pode acontecer de uma empresa se tornar dependente do seu consultor, pela imagem que ele passa de que ele sempre resolverá tudo. Além disso, a falta de vínculo pode gerar desconfortos com os outros colaboradores, caso o consultor não atender ao princípio da boa convivência. E, também, é preciso tomar cuidado na hora de contratar, pois as vezes contrata-se uma pessoa que não é tão capacitada”, adverte.

Entretanto, de maneira geral, o profissional se mostra favorável  aos consultores dentro da empresa. “Contratar um consultor não quer dizer que sua equipe não é capacitada, mas, sim, apenas aceitar o fato de que são tempos difíceis para empresas no Brasil e no mundo, e que toda ajuda é bem-vinda. Acredito que os consultores podem alavancar o crescimento e faturamento de uma empresa, e por isso recomendo a contratação desse tipo de profissional para todos aqueles que estão sofrendo de alguma maneira em sua empresa”, conclui.

Serviço: Coach Financeiro

Robson Profeta

Site: www.robsonprofeta.com.br

E-mail: rp@robsonprofeta.com.br

Tel:  11  98107-1003

Você tem uma carreira ou um emprego?

imagem_release_435246Algumas pessoas têm empregos. Já outras, e essas são, geralmente, mais realizadas com suas vidas, têm carreiras. A diferença entre um e outro não é tão sutil quanto se pode pensar: o primeiro é apenas uma fonte de renda, que você usa apenas para pagar as contas, mesmo não estando satisfeito com sua função, o segundo é uma realização, algo por que você lutou e luta muito para que se torne realidade, e que envolve dedicação, estudo e muita, mas muita competência.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, muitas pessoas se acomodam ao encontrar um emprego que supre suas necessidades financeiras, mesmo que ele não lhe dê tanta satisfação, e deixam suas carreiras para trás. “A carreira- uma série de empregos que culmina em uma realização maior- é, infelizmente, perseguida por todos. O que acontece é que muitos profissionais que possuem uma grande capacidade acabam por se acomodarem em uma empresa onde não são felizes, e só estão lá para cumprir horário e pagar as contas”, observa a profissional.

Entretanto, de acordo com o que explica a coach, as pessoas só percebem que possuem um emprego depois de muito tempo. “Quando você para de se sentir desafiado, e é recompensado por fazer nada além do que te pediram, tenha certeza: você está em um emprego, não uma carreira”, conta.

Madalena explica que diversos são os fatores que fazem com que uma pessoa se acomode: crises financeiras, problemas pessoais, etc., mas que, mesmo assim, não se pode abandonar seus sonhos de ter uma carreira próspera e satisfatória, por mais que a situação não esteja boa, em determinado momento. “Agarrar-se à sua vocação profissional é muito importante, pois, por meio dela, as pessoas podem se realizar, e, com isso, executar um trabalho muito melhor, já que, quando gostamos de algo, nos empenhamos muito mais”, lembra a coach.

Ela finaliza, propondo uma reflexão para todos: você é feliz tendo apenas um emprego? O que aconteceu com seus sonhos de construir uma bela carreira, da qual você poderia se orgulhar? Afinal, você tem uma carreira ou um emprego?

Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Tempo: você sabe administrá-lo?

Concept of time with businessman that hold an alarm clock

O ditado popular afirma que “tempo é dinheiro”, mas, mais importante que isso, é preciso ressaltar que o tempo também é investimento e qualidade de vida, se for bem gerido. Falta de planejamento prévio e de prioridades, excesso de trabalho ao longo do dia (tanto no ambiente profissional quanto no pessoal) e falta de ajuda externa (de colaboradores ou em casa) podem consumir muito o tempo de alguém, causando um estresse que, por diversas vezes, poderia ser evitado.

Segundo Andreia Rego, que trabalha com coaching e psicanálise, é necessário que as pessoas tenham um bom uso de seu tempo, e que podem e devem evitar alguns sintomas que se tornam fatores nocivos à vida, comprometendo os resultados dos negócios e da esfera pessoal. “As consequências da má administração desse tempo são inúmeras e precisam ser observadas no dia a dia de cada empreendedor. Uma pessoa que é estressada, cansada e doente por causa do seu trabalho não pode ter relacionamentos de qualidade”, afirma.

Ela, que é Master Business em Administração com ênfase em Humanas, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), explica que, no processo de coaching, é funcional trabalhar com ferramentas que possibilitam melhor compreensão e gerenciamento do tempo. “Um dos recursos se chama Tríade do Tempo. Ela permite entender sobre três esferas pelas quais todo indivíduo passa: importante, urgente e circunstancial. É possível identificar o resultado dessas três camadas, criando nova consciência e postura”, esclarece. A coach diz que, quando detectada a má administração do tempo, a atitude do empreendedor deve ser a de estar aberto para modificar sua dinâmica de vida, horários e comportamentos viciosos, pois comprometimento e determinação são pontos que colaboram de forma positiva para uma melhora de vida.

Andreia também acredita que uma outra ferramenta, chamada Linha do Tempo, pode ser benéfica para quem precisa aprender a lidar com períodos, fases e ciclos. “No cotidiano, ela auxilia na percepção de como o administrador/empresário/empreendedor está no momento presente da vida, criando ações objetivas e úteis no ‘agora’ para o futuro. Esse método é excelente para se trabalhar com metas, onde cada passo dado representa maior aproximação da gestão do tempo. Os resultados são colocados no dia a dia, de acordo com as percepções e próprias ideias sugeridas pela pessoa”, afirma a coach.

A profissional enfatiza que, com essas dinâmicas, é possível distinguir quais atividades merecem mais atenção, em tempos onde tudo parece urgente. “Buscando melhor entendimento sobre seu tempo, o empreendedor pode traçar metas realistas e ao mesmo tempo ambiciosas, visando manutenção e ampliação dos seus negócios”, pontua.

Andreia ainda oferece dicas para que o empreendimento e a gestão do tempo se tornem uma parceria de sucesso:

  1. Buscar ferramentas que auxiliem na melhor gestão de tempo e organização;
  2. Criar metas claras e objetivas, de curto, médio e longo prazo, com início e fim de validade;
  3. Construir planos de ações eficazes, priorizando o que é importante;
  4. Monitorar cada fase das metas e dos planos de ações para redefinir melhorias;
  5. Administrar a organização financeira do empreendimento versus tempo com investimentos;
  6. Estabelecer espaços para manter a qualidade de vida pessoal;
  7. Criar uma atmosfera onde as relações interpessoais funcionem com maestria, pois atendimento, comunicação, negociação e estratégias emocionais são fundamentais no mercado acirrado e competitivo.

Serviço: Andreia Rego

Psicanalista e Coach de Desenvolvimento Humano

Face: https://www.facebook.com/andreiasrego?ref=hl 

Instagram: Andreia Rego

Site: http://coachandreiarego.com.br/

E-mail: asrego@gmail.com

Celular: 21 99941.9950

Por que é tão difícil obter os benefícios do INSS?

imagem_release_443318Em teoria, o INSS é o órgão procurado quando algum brasileiro, que contribuiu durante anos no país, vai em busca da sua aposentadoria, pensão, ou algum outro benefício- como o auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez.

Entretanto, não é tão simples quanto parece obter este benefício. Para muitas pessoas, conseguir garantir este direito torna-se uma batalha, que pode durar muitos anos. Segundo Tiago Kidricki, advogado especializado no setor previdenciário, para receber o auxílio-doença, por exemplo, não basta portar uma doença. “Esta condição deve poder deixar o contribuinte incapacitado para trabalhar em sua atividade habitual por, pelo menos, 15 dias consecutivos, segundo o artigo 59 da Lei 8.213/1991”, explica.

Já a aposentadoria por invalidez, por outro lado, é aceita quando o segurado for considerado incapaz e insusceptível de reabilitação para o exercício de atividade que lhe garanta subsistência. “Exemplifico, para que seja mais fácil compreensão: se uma segurada tem como atividade habitual ser massagista, e ela desenvolve uma doença que faz com que ela tenha que parar de trabalhar, ela pode requerer o auxílio-doença, se as dores perdurarem por mais de 15 dias. Já se não houver possibilidade de recuperação, e ela não exercer outra atividade, ela pode requerer a aposentadoria por invalidez”, afirma o profissional.

Kidricki ressalta que tanto o auxílio-doença quanto a aposentadoria por invalidez podem decorrer de algum acidente, desde que se encaixem nos termos citados. “Mesmo o direito dos brasileiros ser assegurado por lei, muitos não o conseguem, pois o INSS exige que os contribuintes levem provas materiais de que eles possuem a doença, qual sua renda, quais são suas limitações, etc. Tudo isso leva tempo, e já houveram casos de trabalhadores que esperaram por mais de 10 anos para obter seu benefício”, observa.

Ele, que faz parte do Kidricki e Sousa Advogados Associados, escritório de Porto Alegre, finaliza, lembrando que, apesar das dificuldades, sempre é possível lutar para garantir seus direitos. “Quem tiver algum desses pedidos negados pode recorrer de duas maneiras: recorrer administrativamente à autarquia ou entrar na Justiça. Sempre recomendo que as pessoas procurem um advogado de confiança, pois, deste modo, é maior garantia de que seus direitos serão atendidos de uma maneira justa, e em um tempo mais curto”, conclui.

Serviço: Kidricki e Sousa Advogados Associados

Tiago Beck Kidricki OAB/RS n. 58.280

Rua João Abbott 473/503 – Petrópolis, Porto Alegre.

Fone: 30283443

www.ksadvogados.com.br

5 dicas para revolucionar sua empresa

90Todos os anos, milhares de pessoas abrem suas próprias empresas no Brasil e no mundo, seguindo suas vontade de se tornarem seus próprios chefes. Entretanto, a cada 100 empresas que são abertas no país, 48 encerram suas atividades em, no máximo, três anos.

Para ter um negócio bem sucedido, segundo Jonathan Souza, um dos fundadores da Agência Publicidade Popular, de Porto Alegre, é preciso seguir algumas regras. “Neste mercado altamente competitivo, é preciso revolucionar a forma como as empresas se relacionam com os clientes e oferecem seus produtos, por exemplo”, afirma.

Souza oferece algumas dicas que prometem ajudar empresários a sobressaírem seus negócios, entregando resultados diferenciados para seus clientes. Confira:

1.   Conheça seu consumidor

Parece simples, mas muitos ignoram que conhecer quem está comprando seu produto ou desfrutando do seu serviço merece toda a sua atenção. Perceba a maneira com que eles compram, quais produtos que eles gostam mais e quanto eles gastam. Dessa forma, você poderá agradar de uma forma mais eficiente os seus clientes;

2.   Adapte-se aos novos públicos

Os consumidores querem empresas que oferecem liberdade e conveniência. Procure encontrar um meio termo que una ambas essas características, tentando atender uma demanda diferente da tradicional, ou seja: entrando em contato com clientes novos;

3.   Esteja online

“Estar online” não é só possuir um site com uma sessão “fale conosco”. As mídias digitais, como o Facebook, estão se mostrando cada vez mais essenciais para empresas que querem ter liderança de mercado, tanto no Brasil como no mundo. Mas não pense nem por um segundo em deixar seu site, blog ou fan page parado: para que o cliente se identifique com a marca, é preciso que a empresa sempre poste conteúdo relevante, que agrade o cliente, tornando-se parte do seu dia a dia;

4.   Pense no amanhã

Claro que todos pensam no futuro, mas você já parou para imaginar como será o amanhã da sua empresa? Esse exercício permite que os empresários pensem em diversos cenários possíveis, o que leva a reflexões sobre como sair de crises, inovar ou se destacar de maneira diferenciada, por exemplo, gerando um brain-storming que expande o conhecimento sobre seu próprio negócio;

5.   Seja flexível

As novas gerações tendem a pensar muito no equilíbrio entre a vida profissional e o trabalho, e a possibilidade de ter essa flexibilidade influencia muito na hora de contratar uma empresa para fazer determinado serviço, por exemplo.

Além disso, oferecer essa flexibilidade de horários aos seus colaboradores também é uma forma de manter um ambiente de trabalho mais feliz e produtivo.

Serviço: Publicidade Popular

Sites: www.publicidadepopular.com.br

E-mail: contato@publicidadepopular.com.br

Moda, beleza e Marketing Digital: uma união de sucesso

20O Marketing Digital, por excelência, consiste em um conjunto de ações de comunicação que as empresas podem utilizar, principalmente através da internet, para divulgar e comercializar seus produtos, além de conquistar outros clientes e melhorar o seu networking. Essa forma de marketing se torna mais relevante no mundo atual, em que grande parte das pessoas utiliza a internet diariamente.Segundo Ingrid Teles, fundadora da Agência Creators Content, o Marketing Digital é especialmente atraente para quem possui um e-commerce, ou seja, uma forma de comércio virtual. “Só em 2014, no Brasil, 7% das vendas gerais foram realizadas via lojas virtuais. Esse número é muito expressivo para um mercado que vem se popularizando nos últimos anos, e mostra uma tendência que promete aumentar cada vez mais”, comenta.

Ela explica que o Marketing Digital pode ser voltado para nichos específicos dentro da rede. “O mercado de moda e beleza é um dos segmentos que mais se beneficia com isso, pois atrai um público muito diversificado. Em alguns cases da Creators Content, foi possível perceber como essa forma de marketing pode fazer diferença na lucratividade de uma empresa”, afirma.

Ingrid lembra de quando começou com uma de suas clientes mais antigas. “Quando comecei a cuidar da empresa Diva’s Showroom, sabia que seria difícil, mas o resultado foi muito gratificante. Com esse e-commerce, que vende prioritariamente cosméticos importados, conseguimos alcançar oito mil curtidas orgânicas (isto é, sem patrocínio) na página do Facebook.

A profissional finaliza, dizendo que, também para esse segmento, o Marketing Digital se torna essencial, pois, como o público consumidor de moda e beleza sempre procura por novidades, as empresas se beneficiam ao mostrar seu potencial de maneira contínua. “Sempre recomendo que as empresas vão até onde seus clientes estão, seja somente em e-commerce, redes sociais ou ambos”, conclui.

Serviço: Agência Creators

Ingrid Teles

Site: www.creatorscontent.com.br

E-mail: ingrid@creatorscontent.com.br

Telefone: 41 9546-4157

A safra de trigo de 2014/15 foi maior do que se esperava e a próxima poderá ser recorde

imagem_release_423543A Consultoria Trigo & Farinhas divulgou seu segundo levantamento da situação da safra 2015/16 de trigo no Brasil e no Mercosul, estimando uma redução de 7,81% na área plantada em nosso país, mas, com o aumento da produtividade diante do clima favorável, projeta, por enquanto, também um aumento de produção da ordem de 7,13 milhões de toneladas, cerca de 4,70% a mais do que a safra anterior.

A safra do Mercosul para 2015/16, que compreende Brasil Argentina, Paraguai e Uruguai, está projetada para ser de 20,38 milhões de toneladas, cerca de 2,81% menor do que a safra atual, com um detalhe importante: a Argentina está fazendo estoques de 3,2 milhões de toneladas, que deverão ser vendidos na próxima temporada, baixando para zero as importações de fora do Bloco, especialmente dos Estados Unidos e do Canadá.

Para fazer o quadro de oferta e demanda desta safra, porém, a consultoria teve que fazer ajustes na produção da safra anterior, segundo Luiz Carlos Pacheco, analista sênior. “Há dois fatores que apontam para erros na estimativa da safra passada: a) os moinhos estão abastecidos até julho; b) estamos tendo uma importação 13,73% menor do que se esperava. Isto só pode significar que a safra brasileira de trigo de 2014/15 foi maior”, conclui Pacheco. Mas, há outro dado: as estimativas oficiais falam que a safra gaúcha foi de apenas 1.516,2 mil toneladas quando, somente as exportações deste estado, pesadas quilo a quilo pelas balanças do porto de Rio Grande, atingiram 1,504,0 mil toneladas. Se assim fosse, portanto, os moinhos gaúchos não teriam comprado absolutamente nada de trigo local para moer, o que também não é verdade. Para uma moagem de 1,5 milhão de toneladas o estado importou apenas 223 mil toneladas, significando que deve ter adquirido localmente pelo menos 1,3 milhão de toneladas. Assim, a safra gaúcha de 2014/15 foi reavaliada pela Consultoria Trigo & Farinhas em 2,36 milhões de toneladas.

A repercussão disto sobre os preços é evidente: na semana terminada em 06 de junho os preços pagos aos produtores recuaram -0,78% para R$ 29,22/saca no RS e -2,09%, para R$ 34,95/saca no PR. “Mas, isto se refere apenas aos preços do trigo disponível, da safra passada”, afirma Pacheco. “Os preços da próxima temporada estão maiores e apresentam lucro de 12,46% (R$ 39,34/sc)  no Paraná e 15,37%  (R$ 31,97/sc) no Rio Grande do Sul”, afirma o analista, demonstrados em sua Análise Semanal, divulgada na última sexta-feira.

Como todos os agricultores sabem, porém, a produção agrícola é muito instável e tanto o clima quanto os preços podem mudar até a colheita. Por isso, seria necessário aproveitar as oportunidades que o mercado oferece agora para fixar os preços lucrativos que o mercado futuro está proporcionando.

Serviço: Luiz Carlos Pacheco

Editor – https://www.linkedin.com/pub/luiz-carlos/30/862/21

Contatos: 00 55 41 3209-8542, 00 55 41 9826-3697

Skype/email: luiz.pach@hotmail.com

5 dicas para melhorar a organização financeira pessoal

imagem_release_436176Quem conhece o Coaching Financeiro sabe que o processo ao qual o profissional se submete ajuda, e muito, na organização de finanças pessoais. Essa metodologia atua na investigação dos pontos frágeis que todos os indivíduos têm, avaliando seus pontos fortes e fracos, além de considerar qual é o orçamento real que cada um possui, para que a pessoa aprenda a viver dentro do que lhe é permitido.Segundo Andreia Rego, que trabalha com coaching e psicanálise, ter controle financeiro, atualmente, não é impossível como muitos dizem. “Sabendo como conduzir melhor essa tarefa, é possível ter uma maior noção sobre o que se tem gastado e poupado, ampliando sua noção sobre seu próprio dinheiro”, afirma. Ela ainda lembra que o dinheiro vai muito além de administrar entradas e saídas, pois ele está ligado aos valores pessoais de cada um, ao seu estado emocional para lidar com isso, e as metas de vida que cada um tem.

Andreia explica que, nos seus atendimentos relacionados ao Coaching Financeiro, é possível perceber que seus clientes até têm noção das reservas e gastos, mas que isso nem sempre resulta em uma organização financeira eficaz. “Outros, ainda, não chegam a se preocupar com esse tipo de controle, e só percebem o quanto gastaram quando já é tarde demais. Isso tudo por falta de planejamento prévio”, pontua.

A coach oferece algumas dicas para quem se preocupa com uma vida feliz e estável financeiramente, confira:

  1. Organize numa planilha ou aplicativo as entradas (receitas) e saídas (despesas) mensais;
  2. Crie meta de médio/longo prazo, estipulando valor que deseja guardar por mês, conforme valor que deseja ter no final desta meta. Lembre-se: meta tem prazo para começar e terminar;
  3. Avalie se os gastos com supérfluos estão em excesso e deixe apenas os que fizerem sentido;
  4. Evite criar despesas altas no cartão de crédito e, se usá-lo, pague valor total, nunca mínimo;
  5. Evite cheque especial. Com administração eficaz não é necessário usar esse produto.

Ela finaliza, esclarecendo que esse é só o início, pois, com o Coaching Financeiro, muitas ferramentas e ações são dinamizadas, mapeando os pontos fortes individuais e fortalecendo motivações para uma melhor gestão financeira.

É importante revisitar valores internos para mudar hábitos financeiros. Manter uma vida com qualidade e equilíbrio financeiro requer viabilizar redução de despesas desnecessárias, aumento dos ganhos, pesquisa de investimentos que façam o dinheiro crescer e, acima de tudo, construção sábia de um futuro rentável.

Serviço: Andreia Rego

Psicanalista e Coach de Desenvolvimento Humano

Face: https://www.facebook.com/andreiasrego?ref=hl 

Instagram: Andreia Rego

Site: http://coachandreiarego.com.br/

E-mail: asrego@gmail.com

Celular: 21 99941.9950

Em um ano difícil, diferenciar-se é essencial

imagem_release_423573O ano já começou, e está praticamente na metade, e as previsões apenas confirmam: 2015 será (e está sendo) um ano difícil para a economia brasileira. Alguns falam em uma crise duradoura, outros falam que o PIB crescerá pouco (ou nada), já mais uma meia dúzia afirma que os juros serão altíssimos e que o dólar chegará a R$5,00.

Em meio a este cenário de recessão, demissões e uma reorganização interna em empresas é comum, afinal, ninguém quer ficar no vermelho. Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, em tempos de crise a primeira coisa a ser feita é não perder a cabeça. “Manter a calma e ter uma atitude positiva, e não conformista, ajuda os profissionais a se destacarem e a colher esses frutos quando a crise passa. Por enquanto, existem mais previsões do que certezas, e, por isso, esta é uma boa hora para identificar as oportunidades e se destacar no mercado”, afirma.

Ela explica que é em anos difíceis que os bons profissionais podem ser identificados. “Em anos bons, todos podem prosperar, por mais sorte do que juízo, o que permite que muitos se deem bem, mesmo não sendo tão competentes. Em anos difíceis, como o nosso atual, é preciso ser um verdadeiro profissional e provar seu valor, beneficiando a empresa e a si próprio, também”, pontua. A profissional ainda lembra que em cenários como estes, os consumidores também se tornam mais exigentes, por perceber que seu dinheiro possui muito valor. Ou seja, mesmo com o poder de compra diminuído, os clientes querem investir da maneira correta, em empresas e produtos que tenham qualidade e bom atendimento.

Madalena sugere que, neste ano, os profissionais busquem se diferenciarem no mercado de trabalho. “Participar de oficinas, palestras, cursos de aprimoramento de habilidades, por exemplo, ajuda o profissional a se destacar, tanto dentro da própria empresa, quanto para o mercado externo”, conta. A coach fala que pensar diferente, para buscar soluções dentro do ambiente empresarial pode mostrar pró-atividade. “Se a perspectiva da empresa é ganhar menos, por exemplo, o funcionário pode pensar em maneiras de ganhar em produtividade, por exemplo”, exemplifica.

A diretora geral lembra que os superiores sempre desejam números mais expressivos, e que isso só é conseguido com pessoas tecnicamente preparadas, e espiritualmente motivadas para isso. “Para os superiores, investir nas pessoas certas é o melhor caminho, e, para os colaboradores, investir em si mesmo também é garantia de sucesso. De maneira geral, buscar se superar, mostrar suas ideias e manter a cabeça calma é o melhor caminho para atravessar essa crise”, finaliza.

Serviço: Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Como transformar crise em oportunidade?

imagem_release_432207O termo “crise”, do Latim Crisis, significa “ato de separar, decisão, julgamento, evento, momento decisivo”. Por outro lado, temos o termo “oportunidade”, que é descrito como uma circunstância ou conjunto de circunstâncias propícias para que algo aconteça. Se esses dois termos forem avaliados, é possível perceber que eles se completam, e não se invalidam.

Segundo o coach financeiro Robson Profeta, esses termos precisam ser analisados para que as pessoas estendam sua consciência financeira, e entendam quais investimentos e gastos podem ser considerados adequados para suas presentes situações ou não.

Com todas as incertezas da atual economia, fica difícil saber, com toda a certeza, como utilizar bem seu dinheiro, não ficando no vermelho e ainda sobrando alguma quantia, que pode ser poupada para o futuro.

O coach listou alguns paralelos, que podem ajudar a compreender melhor a maneira como se administra seu dinheiro, confira:

  • Boa compra – Em momento de crise, pessoas e empresas vendem ativos por preços abaixo do mercado pois precisam se capitalizar. Fique atento, pois a boa venda só é boa se, antes, ocorrer a boa compra. Em momentos de crise, boas compras aparecem. Abra os olhos e fique atento (a);
  • Inflação – Se você tem um negócio, pode manter o preço com reajustes abaixo da inflação, e captar nova carteira de clientes. E, muitas vezes, para ficar competitivo no mercado, muitos setores produtivos aprimoram seus processos produtivos a fim de reduzir o custo de produção e consecutivamente melhorar seu preço final;
  • Negócios emergentes – Neste momento de crise, perceberam como empresas que fabricam lápis de cor estão vendendo, além da febre dos cadernos com pintura, que não foi afetada pela crise. Enxergue negócios emergentes, eles existem e devem ser explorados;
  • Medo – O medo imobiliza a decisão em enfrentar a crise. Não cabe ao governo, ao seu chefe ou ao seu amigo tomar uma decisão por você. Uma das coisas que ajuda a minimizar o medo é a busca pela informação, pois ela auxilia no processo de tomada de decisão. Use a crise como válvula propulsora na busca de informação e, consecutivamente, oportunidade;
  • Desejos – Como bem disse Scott Flanagan, “Cuidado com o que deseja, você pode acabar por conseguir”. Se espera crise, é crise que virá, já quem espera oportunidade, a encontra;
  • Os copos – Dois copos estão com água pela metade. Você pode enxerga-los meio cheios ou meio vazios, ou seja, a perspectiva de crise ou oportunidade está na sua perspectiva de ver as coisas;
  • O lobo e o cordeiro – A crise e oportunidade são como o lobo e o cordeiro. O vencedor será aquele que você alimentar!
  • Choque financeiro – Em momentos difíceis, as pessoas resolvem cuidar mais de suas finanças, e é exatamente neste momento que tomam contato com suas realidades, melhorando sua visão financeira do futuro, para não repetir os erros do passado;
  • Líderes que nascem – Os grandes líderes aparecem em momento de crise, pois são exatamente eles que trazem as boas novas para a civilização, encontrando soluções nos lugares mais improváveis.

Serviço: Coach Financeiro​

Robson Profeta

Site: www.robsonprofeta.com.br

E-mail: rp@robsonprofeta.com.br

Tel:  11  98107-1003

Preços do trigo apresentam lucratividade para esta e as próximas duas safras

imagem_release_428836O acompanhamento diário feito pela Consultoria Trigo & Farinhas registra que a média dos preços do trigo disponível, da safra 2014/15, pagos aos produtores do Paraná, na semana encerrada em 22 de maio, foi de R$ 35,70/saca, cerca de 1,44% acima dos R$ 35,19/saca pagos na semana anterior. Este preço está 6,73% acima do Preço Mínimo de Garantia do Governo Federal e apresenta um lucro de 36,31% sobre os Custos Variáveis de Produção, calculados pela Embrapa para o estado.

Já os preços para permuta por insumos (sementes, fertilizantes, máquinas, ou barter), segundo Luiz Carlos Pacheco, analista da Consultoria,  para a próxima safra 2015/16 fecharam nesta sexta-feira a R$40,33/saca, para dezembro/15. Este preço está 15,29% acima do novo Preço Mínimo do Governo Federal (R$ 34,98) para a próxima safra. Transformado em dólar, equivale a US$ 12,30 e fica 7,24% acima do Custo Variável de Produção, de US$ 11,47/saca segundo Pacheco.

Para a safra 2016/17, a cotação serve para definir a boa lucratividade. Com um Custo Variável de Produção estimado em US$ 11,47/saca, o preço desta sexta-feira recuou para US$ 12,79 (13,04)/saca para o trigo do Paraná, com lucro de 11,50% (13,69%), ainda excelente, sobre o Custo Variável de Produção, de US$ 11,47/saca. [Nota: a Consultoria usa um custo maior (US$ 11,47=R$ 37,58), do que o custo projetado da Conab, que é de R$ 34,98].

Na sua Análise Semanal da última sexta-feira a Consultoria verificou que no Rio Grande do Sul, os preços médios pagos aos agricultores pelo trigo disponível da safra atual, de 2014/15, ficaram em R$ 29,98/saca, cerca de 1,24% acima do preço médio da semana anterior, que foi de R$ 29,61/saca. Estes preços estão 13,04% acima do Preço Mínimo de Garantia do Governo Federal (R$ 26,52) para esta temporada.

Já os preços para permuta por insumos (sementes, fertilizantes, máquinas) para a próxima safra 2015/16 fecharam nesta sexta-feira a R$ 32,46 (30,13). Este preço está 16,84 (8,45)% acima do novo Preço Mínimo do Governo Federal (R$ 27,78) para a próxima safra. Transformado em dólar, equivale a US$ 9,90 (9,47)/saca, que deve ser comparado com o Custo Variável de Produção do trigo gaúcho em dólar.

Para a safra 2016/17, o preço da última sexta-feira foi definido em US$ 12,06 (10,95)/saca para o trigo do Rio Grande do Sul, que deve ser comparado com o Custo Variável de Produção do trigo gaúcho em dólar, que é um custo menor do que o do Paraná, segundo Pacheco.

Serviço: Consultoria Trigo & Farinhas
Luiz Carlos Pacheco, analista-editor

Fones 41.3209-8542/41.9826-3697
Email/Skype: luiz.pach@hotmail.com

Todo cuidado é pouco em planos de demissões

imagem_release_422456Incertezas políticas e econômicas preocupam o Brasil e o mundo. No território nacional, nos últimos tempos, protestos de diferentes classes trabalhistas, greves de funcionários públicos, escândalos de corrupção e a alta do dólar tem preocupado, e muito, a população, especialmente as empresas em geral, que, juntas, estão demitindo milhares de funcionários, para cortar os gastos.

Apesar de demissões em massa serem comuns em cenários de crise como o atual, muitas pessoas, consideradas mais essenciais ou valiosas para a empresa, continuam trabalhando, porém, com uma falta de motivação e medo característico de quem acabou de ver inúmeros colegas ficarem desempregados.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, em tempos de crise, a gestão de mudanças também pode ajudar nessa transição. “O clima organizacional fica muito pesado quando há um plano de demissões em andamento; as pessoas não param de falar sobre o assunto, e sentimentos misturados, como angústia e ansiedade, se tornam comuns, o que faz a produção cair consideravelmente”, explica a profissional.

Nesse ambiente de transações é que a verdadeira faceta de cada um começa a se mostrar, segundo o que afirma Madalena. “Existem dois tipos de comportamentos utilizados para resistir à mudanças: passivos, em que a pessoa deixa de produzir de maneira adequada e não colabora mais, e o ativo, em que o colaborador começa a sabotar a empresa, além de falar mal, ridicularizar e intimidar seus superiores. Essas posturas indicam como o indivíduo está digerindo as mudanças e desligamentos que estão ocorrendo no ambiente da empresa”, observa.

Mesmo com o cenário econômico em condições ruins, como o do Brasil atual, ainda se torna difícil para alguns assimilar a necessidade de mudança sem resistência. “Existem diversos motivos pelos quais uma pessoa pode lutar contra um processo de transformações, sendo alguns dos principais o medo dos resultados posteriores; a crença de que a mudança não é necessária; falta de confiança em seus superiores e sentimento de impotência perante o que está acontecendo”, lista a profissional.

A coach fala que conscientizar as pessoas que ficam na empresa sobre a necessidade dessas mudanças é fundamental, para que não fique nenhum sentimento de falta de justificativa ou satisfação. “Apesar de ser um processo doloroso, é preciso mostrar que é para o bem da organização. Incentivar o corpo de colaboradores a fazer sempre seu melhor, para que outros planos de demissões não ocorram, também é importante, além de evidenciar o porquê de tudo aquilo estar acontecendo, se pautando no que está ocorrendo com a economia, também pode ajudar”, pontua.

Madalena conclui, dizendo que os superiores devem dar o exemplo, se tornando mais presentes na vida empresarial, e, quando necessário, deixando de receber alguns benefícios, como forma de demonstrar que eles, também, estão se sacrificando. “Embora não seja possível agradar a todos com os processos de mudança, é papel dos líderes minimizar esse desconforto, mostrando que isso acontecerá para o bem coletivo e criando estratégias de gestão para acabar com as resistências às mudanças”, finaliza.

Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

O Preço Mínimo e o Preço de Mercado: qual deve cobrir os custos do trigo?

imagem_release_426362O excesso de dependência do governo  é um vício em nosso país e está travando o real progresso do Brasil. Todos esperam que o governo resolva coisas que, no fundo, deveriam ser resolvidas pelas próprias pessoas, empresas ou associações.

A Consultoria Trigo & Farinhas acompanha diariamente os preços do trigo no Brasil e no Mundo, nos mercados físicos e futuros, desta e das próximas duas safras e encontra quase todos os dias percentuais de lucratividade nos comparativos entre os preços de mercado disponíveis a todos e os respectivos custos de produção.

Infelizmente, não vemos esta mesma preocupação nos diversos órgãos que se propõe a acompanhar este e outros produtos, em nosso país. Os mercados são acompanhados como quem dirige um carro olhando para trás e não para a frente, como deve ser, afirma Luiz Carlos Pacheco, analista sênior da Consultoria.

Especificamente no caso do trigo, as manchetes indicam que o Preço Mínimo do trigo não cobre os custos de produção. Certo, o Preço Mínimo é uma garantia (excelente na teoria, sofrível na prática), mas o produtor deve fiar-se mais nos preços de mercado, que realmente lhe dão condições de operacionalidade, do que o preço oferecido pelo governo, que não é comprador regular dos diversos produtos.

Vale dizer que há uma grande confusão sobre os preços: agricultores e dirigentes costumam misturar preços de uma safra com custos de produção de outra e tirar conclusões erradas, levando alguns agricultores a reduzirem a área de plantio quando poderiam aumentá-la, com lucro. Para considerar a lucratividade do trigo para a próxima safra deve-se tomar os preços da safra 2015/16 (futuros) e não os preços da safra 2014/15 (disponíveis), como é o que acontece. E, como as bolsas de mercadorias já apresentam preços para 2016/17, é preciso acompanhar diariamente estes preços para já aproveitar para fixar preços lucrativos, quando surge a oportunidade, uma vez que os mercados flutuam muito e criam diversas ocasiões em que isto acontece.

Na última sexta-feira, por exemplo, afirma Pacheco, o preço médio do trigo disponível, da safra 2014/15, para o estado do Paraná, estava a R$ R$ 34,94/saca, 4,45% acima do Preço Mínimo de Garantia do Governo Federal para esta safra e 33,41% (lucro) acima do Custo Variável de Produção de R$ 26,19, estimado pela Embrapa para o estado. Já o preço para a próxima safra, usado pelas empresas e agricultores para as trocas por insumos, máquinas e adiantamentos, estava a R$37,49/saca, para dezembro/15. Transformado em dólar, equivale a US$ 11,78 e fica 2,70% acima do Custo Variável de Produção, de US$ 11,47/saca. Por sua vez, os preços do trigo da safra 2016/17, para pagamento em dezembro de 2016, estavam a US$ 13,04/saca para o trigo do Paraná, com lucro de 13,69% (excelente) sobre o Custo Variável de Produção, de US$ 11,47/saca.

Como se vê, é para o mercado que agricultores e dirigentes devem olhar e não para o governo, que pode sempre fazer menos por nós do que nós mesmos, segundo Pacheco.

Mas, onde encontrar estes preços, se nenhuma empresa oferece estes valores? Nos mercados futuros, afirma Pacheco. São operações tão sofisticadas, quanto a manipulação de um trator ou colheitadeira computadorizada, mas disponíveis a quem se dispuser a aprender. “O setor de produção se sofisticou muito nos últimos 40 anos, agora é a vez do setor de comercialização; o resultado é a lucratividade das lavouras e a independência do setor”, conclui Pacheco.

Serviço: Consultoria Trigo & Farinhas
Luiz Carlos Pacheco, analista-editor

Fones 41.3209-8542/41.9826-3697
Email/Skype: luiz.pach@hotmail.com

Jovens empreendedores no Brasil mais que dobraram nos últimos anos

20Segundo uma pesquisa divulgada pelo Sebrae, em 2011, o número de jovens empreendedores brasileiros mais que dobrou nos últimos 14 anos. O senso comparou o número de jovens que saíram da faculdade em 2001 a 2011, e descobriu que, o valor aumentou de 370 mil a 700 mil empreendedores.

As características dos jovens empreendedores são resumidas em vislumbrar o sucesso e desejar a liberdade, não dependendo de ninguém para ganhar seu próprio dinheiro. Essas pessoas são motivadas pelos desafios, visam impactar a vida das pessoas, compartilhar informações e usar seu dinamismo para conquistar o mercado. Apesar de uma pesquisa realizada em 2014 pela CONAJE (Confederação Nacional dos Jovens Empresários) apontar que 72% dos jovens empreendedores brasileiros são homens entre 26 e 31 anos, não é incomum encontrar mulheres que querem ser donas dos seus próprios negócios, e não medem esforços para isso.

Ingrid Teles, de 20 anos, é uma delas. Apaixonada por dança, ela já competiu em torneios nacionais e internacionais, e é professora em diversas modalidades diferentes. Além de ter um blog, chamado Feriado Particular, onde ela conta sobre suas viagens, além de dar dicas sobre maquiagem, moda e o que mais a autora tiver vontade de contar, ela também é fundadora da Agência Creators Content, de Curitiba, sendo, este, seu mais novo projeto. “A Creators foi criada em 2015, pois percebi que Marketing Digital é uma demanda crescente atualmente, e não são todas as agências que oferecem esse serviço”, conta.

Ela, que atualmente cursa Jornalismo na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), já tinha experiências na área, o que possibilitou a fundação do seu negócio. “Fiz um ano de Publicidade e Propaganda, em São Paulo, pois sou natural de lá, e nesse meio tempo trabalhei em muitas agências, o que permitiu com que eu desenvolvesse essas habilidades específicas no Marketing Digital. Quando recebi uma bolsa para fazer Jornalismo na PUCPR, me mudei para Curitiba”, diz Ingrid.

Apesar de ainda não ser formada, ela já soma diversos cases (casos de clientes, em língua publicitária) de sucesso em seu portfólio. “O caso que tenho maior orgulho é o do e-commerce Diva’s Showroom, em que, ao longo de dois anos, conseguimos conquistar mais de 8 mil curtidas orgânicas, isto é, sem pagar por anúncios para atrair fãs. No mundo do Marketing Digital, essa proeza não é comum, o que deixou os proprietários da loja muito satisfeitos”, lembra a estudante.

Ingrid finaliza, afirmando que, se você quer que seu sonho se realize, e seu negócio prospere, é necessário investir com tudo nele. ” Antigamente, a faculdade demandava muito tempo, o que impedia que eu me estabelecesse em agências tradicionais. Deixei outros empregos para focar na Creators, e não me arrependo, pois, além de poder dar a atenção devida para os meus estudos, também faço o que gosto, da maneira que eu quero, e quero construir meu futuro a partir disso”, conclui.

Serviço: Agência Creators

Ingrid Teles

Site: www.creatorscontent.com.br

E-mail: ingrid@creatorscontent.com.br

Telefone: 41 9546-4157

Preços pagos aos agricultores recuam -0,32% no PR, mas sobem 2,84% no RS

imagem_release_423543O boletim Trigo & Farinhas da última sexta-feira mostrou que os preços do trigo no mercado disponível da safra atual, 2014/15, pagos aos agricultores do Paraná recuaram -0,32% nesta semana, passando para R$ 34,94/saca, segundo o relatório semanal do Deral, contra R$ 35,05/sc da semana anterior. Apesar da queda o novo preço está 4,45% acima do Preço Mínimo de Garantia do Governo Federal para esta safra e 33,41% (lucro) acima do Custo Variável de Produção de R$ 26,19, estimado pela Embrapa para o estado.

Luiz Carlos Pacheco, analista sênior da Consultoria, afirma que o importante é olhar para frente. Por isso sua empresa calcula regularmente os preços para as próximas duas safras. Assim, os preços para permuta por insumos (sementes, fertilizantes, máquinas) para a próxima safra 2015/16 fecharam nesta sexta-feira a R$37,49/saca, para dezembro/15. Este preço está 7,17% acima do novo Preço Mínimo do Governo Federal (R$ 34,98) para a próxima safra. Transformado em dólar, equivale a US$ 11,78 e fica 2,70% acima do Custo Variável de Produção, de US$ 11,47/saca.

Para a safra 2016/17, a cotação serve para definir a boa lucratividade. Com um Custo Variável de Produção estimado em US$ 11,47/saca, o preço desta sexta-feira foi definido em US$ 13,04/saca para o trigo do Paraná, com lucro de 13,69% (excelente lucro) sobre o Custo Variável de Produção, de US$ 11,47/saca, informa Pacheco.

No Rio Grande do Sul, os preços médios pagos aos agricultores pelo trigo disponível da safra atual, de 2014/15, ficou em R$ 29,61/saca, cerca de 2,84% acima do preço médio da semana anterior, que foi de R$ 28,79/saca. Este preço está 11,65% acima do Preço Mínimo de Garantia do Governo Federal (R$ 26,52) para esta temporada.

Já os preços para permuta por insumos (sementes, fertilizantes, máquinas) para a próxima safra 2015/16 fecharam nesta sexta-feira a R$30,13. Este preço está 8,45% acima do novo Preço Mínimo do Governo Federal (R$ 27,78) para a próxima safra. Transformado em dólar, equivale a US$ 9,47/saca, que deve ser comparado com o Custo Variável de Produção do trigo gaúcho em dólar.

Para a safra 2016/17, a cotação serve para definir a boa lucratividade. O preço desta sexta-feira foi definido em US$ 10,95/saca para o trigo do Rio Grande do Sul, que deve ser comparado com o Custo Variável de Produção do trigo gaúcho em dólar.

Serviço: Trigo&Farinhas

Luiz Carlos Pacheco

Analista dos mercados agrícolas, palestrante e editor do boletim diário Trigo&Farinhas

Fone 00 55 41.3209-8542 – Móvel 00 55 41.9826-3697 TIM Curitiba
Email/Skype: luiz.pach@hotmail.com
Curta Trigo&Farinhas no Facebook
www.trigoefarinhas.com.br

O desemprego e a necessidade do aprimoramento pessoal

imagem_release_422442Foram divulgados, na quinta-feira, 07/05, dados sobre a taxa de desemprego nos três primeiros semestres de 2015, em senso realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O percentual subiu nesse tempo, chegando a 7,9%, e a população desocupada cresceu 23%, já que, no quarto trimestre de 2014, a desocupação ficou em 6,5%, e, nos primeiros três meses do ano passado, em 7,2%.

Os números, que fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), indicara que a região Nordeste teve a maior taxa de desocupação do país, atingindo 9,6%, sendo que o Sul teve a menor, de 5,1%. O Sudeste ficou com 8% do total, 8,7% no Norte e, no Centro-Oeste, o nível de desemprego foi de 7,3%. A pesquisa ainda mostrou que o desemprego para quem tem ensino médio incompleto é maior entre os grupos, podendo chegar a 14%, consideravelmente maior ao de quem tem ensino superior completo, que é 4,6%.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, os números no Brasil podem ser explicados pela recessão e crise econômica pelas quais o país está passando. “Quando há uma instabilidade no cenário econômico, é normal que a situação mude, e pessoas percam seus empregos. Claro, não é fácil para ninguém, mas é preciso ter em mente que isso é passageiro, e em breve acabará”, afirma.

A coach explica que esse não é o momento para ficar parado. “Mesmo para quem tentar diversas vezes e não conseguir arranjar outro emprego, não se pode desanimar. Fazer cursos, participar de workshops e palestras é essencial para se manter atualizado sobre as tendências mercadológicas, e se manter atrativo para os empregadores”.

Madalena conclui, dizendo que o processo do coaching pode ajudar quem se encontra em situação de desemprego. “Ao determinar seus pontos fortes e os que ele precisa melhorar, além de aumentar seu rendimento, o candidato se torna um atrativo nos processos de seleção”, conclui.

Serviço: Outliers Careers
Madalena Feliciano
Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

O que pode mudar coma regulamentação da PEC das domésticas

imagem_release_422393A chamada “PEC das Domésticas” foi aprovada em abril de 2013, e garantiu 16 novos direitos trabalhistas à categoria. Porém, sete deles estavam à espera de regulamentação para entrar em vigor, os quais foram votadas pela Câmara dos Deputados e recentemente pelo Senado, e agora aguardam a sanção ou veto da Presidente Dilma.
Essa decisão possui lados positivos e negativos, sendo que os contras são direcionados, principalmente, para os empregadores. Segundo a advogada Márcia Palermo Marques, essa nova lei praticamente dá os mesmos direitos às domésticas que os outros trabalhadores já tinham há anos, o que é uma conquista importante para a classe.
Entretanto, ela afirma que a nova lei torna muito caro para os patrões ter uma empregada doméstica, pois haverá um aumento de aproximadamente 36% no custo de mantê-la. “O verdadeiro impacto dessas mudanças poderá ser percebido daqui para frente, dependendo do que a Presidente Dilma irá aprovar. Apesar de ser evidente o direito das empregadas domésticas terem seus trabalhos reconhecidos, é preciso lembrar que o empregador é uma pessoa física, e essas medidas podem pesar no seu orçamento”, conta. A profissional acredita que, pelos novos valores que precisam ser pagos, há chances de que muitos empregadores troquem uma empregada doméstica por uma ou mais diaristas, em função do custo.
A advogada, que faz parte do Escritório Kidricki e Sousa Advogados Associados, de Porto Alegre, explica que, desde 2013, algumas medidas importante já estão em vigor, entre elas, o recebimento de pelo menos um salário mínimo por mês (atualmente R$ 788,00) e jornada de trabalho de oito horas diárias e 44 semanais, com direito à hora extra. “Agora, o que aguarda sanção presidencial são medidas como o recolhimento obrigatório de 8% do salário pelo empregador para ser depositado no FGTS; indenização em caso de despedida sem justa causa; seguro desemprego e contra acidentes de trabalho; direito a benefícios do INSS; salário-família (benefício da Previdência Social) e auxílio- creche e pré-escola (dependerá de convenção ou acordo coletivo entre sindicatos de patrões e empregadas)”, explica.
Márcia finaliza, dizendo que, ao mesmo tempo em que o FGTS e seguro desemprego são conquistas importantes para a classe, os contras podem ser expressivos, também. “Ao mesmo tempo em que a nova legislação desencorajará práticas escravistas entre os empregadores, é possível que, como já foi falado, as pessoas passem a contratar diaristas, pois o custo é menor, além da possibilidade dos patrões passarem a controlar incessantemente seus empregados, para verificar que a jornada de trabalho está sendo respeitada”, diz. Ela conclui, dizendo que isso, somado com a burocracia extra que será jogada em cima dos patrões, poderá trazer muitos incômodos, tanto para os empregadores, quanto para os empregados.
Serviço: Kidricki e Sousa Advogados Associados

Márcia Palermo Marques OAB/RS nº 80.644

51 30283443

www.ksadvogados.com.br

Rua João Abbott 473/503 – Petrópolis, Porto Alegre/RG.

CONAB estima em 7,0 e USDA em 6,5 milhões de tons a safra 2015/16 de trigo do Brasil

74Os dois relatórios trigo foram divulgados nesta terça-feira. O da Conab saiu na parte da manhã e o do USDA à tarde e trazem as estimativas iniciais sobre a produção da próxima safra de trigo no Brasil, entre outros dados.

Segundo a Conab-Cia de Abastecimento Nacional, órgão do Ministério da Agricultura, a safra brasileira de trigo foi estimada em 7,045 milhões de toneladas, 18,0% acima dos 5,97 milhões produzidas na safra anterior, de 2014/15. Este aumento de produção deverá ser resultado de um provável aumento de 24,6% na produtividade, que deverá passar de 2,165 kg/ha, para 2.697 kg/ha, por duas razões: a) melhoria de tecnologia utilizada pelos produtores; b) melhoria das condições climáticas, uma vez que todas as previsões para esta safra são de chuvas esparsas durante todo o período de desenvolvimento das plantas. O documento não faz ainda previsões sobre o quadro de oferta & demanda.

Já o relatório mensal do USDA-Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, registra que a safra brasileira de trigo deverá ser de 6,5 milhões de toneladas, contra sua estimativa de 6,0 milhões de tonelada da safra anterior. Por conta disso, o USDA estima também uma necessidade de importação exatamente igual à de produção, isto é, outras 6,5 milhões de toneladas para a próxima temporada, para satisfazer a demanda de 11,6 milhões de tons do Brasil.

“A previsão da Conab reduziu pela metade os rumores sobre redução da área de trigo nesta safra” afirma Luiz Carlos Pacheco, analista sênior da Consultoria Trigo & Farinhas. No mês passado todas as autoridades do Rio Grande do Sul falavam em redução de 20% e a Conab colocou a redução da safra gaúcha em 10%; também no Paraná os rumores eram de uma redução de 5% e a Conab colocou em 2,3%.  O analista afirmou também que as perspectivas de uma boa safra são efetivas para esta temporada, uma vez que deverá ocorrer um fenômeno el Niño atípico, isto, é, com chuvas esparsas durante todo o período, que garantirão uma boa produtividade. “Esta estimativa de boa produtividade deverá reduzir os aumentos de custos e fazer com que mais agricultores ainda aproveitem o prazo do zoneamento agroclimático para aumentar a área. Poderemos ter novas alterações no relatório do próximo mês”, conclui Pacheco.

Outro fator importante são os preços para a safra 2015/16, que estão muito bons, afirma o analista da Consultoria Trigo & Farinhas. Para um custo ao redor de US$ 11,47/saca, “os preços para travamento da safra 2015/16 para dezembro de 2015 fecharam nesta segunda-feira a R$ 36,09 ou US$ 11,83/saca e os da safra 2016/17, para dezembro de 2016, a R$ 44,54 ou US$ 12,37/saca.”

Consultoria Trigo & Farinhas
Fone 00 55 41.3209-8542 – Móvel 00 55 41.9826-3697 TIM Curitiba
Email/Skype: luiz.pach@hotmail.com
Solicite programas de nossas consultorias, palestras e cursos de comercialização de grãos
Curta Trigo&Farinhas no Facebook
www.trigoefarinhas.com.br

De Renato Sorriso à Eraldo Melo: é preciso valorizar os faxineiros

imagem_release_420487No dia 16 de maio é comemorado, no Brasil, o Dia do Faxineiro. Esta profissão, embora tão valorosa e importante quanto qualquer outra, muitas vezes, acaba não recebendo o devido respeito, pois muitas pessoas a consideram “inferior”. Essa classe não engloba apenas pessoas que fazem a limpeza de algum local privado, mas, também, garis, auxiliares de limpeza e até mesmo zeladores.

Mesmo com o grande número de pessoas que exercem essas funções no país, não é raro que elas sejam desvalorizadas, seja em questões salariais, seja por terem seu trabalho taxado como “fácil” ou “ordinário”. Porém, como seria uma cidade sem seus garis? Com certeza, seus habitantes estariam nadando em meio a sujeira. Ou um escritório sem seus auxiliares de limpeza? Sem nenhuma dúvida, as coisas não funcionariam da maneira correta. E, até mesmo, escolas e condomínios sem seus faxineiros, que são as pessoas que sabem de tudo que acontece lá dentro, e podem ajudar a todos?

Além disso, como desrespeitar tais profissionais, se um deles representou a alegria brasileira de forma tão bonita no encerramento dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres? Mais conhecido como Renato Sorriso, o gari e passista brasileiro Renato Luiz Feliciano Lourenço trabalha desde 1995 na Companhia Municipal de Limpeza Urbana da Cidade do Rio de Janeiro (Comlurb). Ele ganhou este apelido em 1997, quanto, trabalhando na limpeza da Passarela do Samba, no carnaval carioca, durante o desfile das escolas de samba, ele começou a sambar com sua vassoura, o que fez com que ele se tornasse um ícone dessa festa popular.

Além de repetir com certa regularidade essa dança entre as apresentações das escolas, Sorriso já até desfilou para a Portela em 2009, fantasiado de malandro. Além de gravar comerciais de TV e se apresentar em espetáculos de samba, o gari foi um dos ícones do bloco dedicado à música brasileira no encerramento das Olimpíadas de Verão em 2012, que contou com a participação de Pelé, Seu Jorge e Marisa Monte, entre outras personalidades. O exemplo de Sorriso mostra como uma pessoa de origem humilde, que possui um trabalho “simples”, é importante na sociedade brasileira, e merece seu devido respeito.

Outro exemplo da influência que um auxiliar de serviços pode ter na vida das pessoas é o empresário Eraldo Melo. Ele começou sua jornada dentro de sua atual empresa (uma das cinco das quais ele é presidente) fazendo parte de uma equipe de faxineiros. Depois de certo tempo, ele começou a se destacar por causa de sua liderança, e acabou sendo promovido a Encarregado de uma equipe de 10 colaboradores. Ao perceber que seus colegas estavam desmotivados pela falta de reconhecimento que recebiam dentro da empresa, Melo passou a realizar reuniões mensais, em que pudesse conhecer melhor seus colaboradores, discutindo sobre os problemas da empresa, e quais melhorias poderiam ser feitas no setor.

Mesmo fazendo isto por vontade própria, o empresário e palestrante motivacional percebeu a necessidade de tratar seus colegas de forma mais humanizada, e assim o fez. Com o passar do tempo, ele foi crescendo dentro da empresa, até surgir a oportunidade de se tornar proprietário dela, o que permitiu a compra de suas outras empresas. Eraldo é um exemplo de que, mesmo estando na posição mais baixa, com o salário mais modesto e, por diversas vezes, sendo desvalorizado, ainda é possível aflorar e buscar uma melhora de vida para si e para os outros.

Com esses exemplos de humildade e determinação dentro da profissão de faxineiro, e, com certeza, muitos outros espalhados pelo país, torna-se evidente o valor dessa função, e a necessidade de seu dia ser celebrado, e seu ofício, valorizado.

Serviço: Eraldo Melo

Ex Faxineiro, Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

Fone: (64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

O direito do consumidor no Brasil

imagem_release_417491No Brasil, são comuns problemas relacionados aos consumidores. Não importa qual a classe social, ou com qual tipo de serviço ele está tendo o problema, a verdade é que, pelo menos uma vez na vida, todas as pessoas acabam se sentindo lesadas, seja por empresas que prestam serviços ou estabelecimentos comerciais.

Só no ano passado, os Procons de todo o país receberam mais de 2.490.769 reclamações, uma média de 206 mil consumidores atendidos por mês. Esses dados, que fazem parte do Boletim Sindec 2014, também incluem a informação de que em 62,7% das vezes que as pessoas ligaram foi para fazer algum tipo de reclamação.

Segundo o advogado Tiago Kidricki, do Kidricki e Sousa Advogados Associados, de Porto Alegre, é responsabilidade do órgão saber orientar as pessoas quais atitudes devem ser tomadas a partir de uma reclamação. “Às vezes, as pessoas pensam que não podem ir além, reivindicando seus direitos. Dependendo do caso, é possível até entrar com uma ação judicial de danos morais contra a empresa, mas isso vai da gravidade da situação”, afirma.

Kidricki, que é especializado em Direito Previdenciário, mas atua nas áreas Direito do Consumidor, Tributário, Civil e Empresarial, explica que é comum os consumidores se sentirem lesados, o que indica uma falha por parte das empresas. “Se o cliente fosse bem atendido, o número de reclamações seria bem menor. Quem se sentir prejudicado pode e deve procurar ajuda para oferecer soluções reais para o solucionamento dos problemas”, conclui.

Serviço: Kidricki e Sousa Advogados Associados

Tiago Beck Kidricki OAB/RS n. 58.280

Rua João Abbott 473/503 – Petrópolis, Porto Alegre

Fone: 51 30283443

www.ksadvogados.com.br

Preços do trigo agora dependem apenas do dólar e de Chicago para subir mais

76Com a entrada do trigo paraguaio em níveis mais baixos do que os do trigo nacional no Paraná, o trigo local disponível da safra 2014/15 deixou de subir nos últimos 10 dias.

Auxiliado pela queda do dólar e das cotações de Chicago neste período, o trigo paraguaio está sendo oferecidos a US$ 250,00/t em Curitiba, equivalente a RR$ 770,00; US$ 245 em Ponta Grossa, equivalente a R$ 755,00; US$ 235,00 em Guarapuava/Irati, equivalente a R$ 724,00 e US$ 230/t, equivalente a R$ 708,00 na região de Cascavel, praticamente iguais aos preços pagos pelo trigo local, analisa Luiz Carlos Pacheco consultor do Trigo & Farinhas.

Os vendedores de trigo no Rio Grande do Sul também estão conscientes da sua situação e tentam colocar o seu produtonos níveis dos trigos importados que, com a alta do dólar desta segunda-feira, atingiram cerca de R$770,00/t CIF moinhos, contra algo em torno de R$ 750/760 do trigo local. Mas, resta pouco trigo local paraser ofertado e nem tudo de boa qualidade, a metade, pelo menos, é de enchimento, não suportando, portanto este preço.

Para a safra 2015/16, que está sendo plantada neste momento, o preço fechou nesta segunda-feira em R$ 36,11/saca para o trigo paranaense e R$ 28,93/saca para o trigo gaúcho, para entrega e pagamento em dezembro/15. Os preços da próxima safra estão 1,20% acima dos preços médios atuais no Paraná e 0,55% no Rio Grande do Sul, respectivamente.

Serviço: Consultoria Trigo & Farinhas

41 3209-8542 –41 9826-3697

www.trigoefarinhas.com.br

Dicas de etiqueta em e-mails empresariais

imagem_release_409376A boa etiqueta no ambiente corporativo vai muito além do espaço físico. Como a revolução tecnológica proporcionou que, atualmente, a maioria das empresas trabalhasse a base dos computadores integrados, é possível perceber como cada funcionário se comporta online, caso o superior assim deseje.

Segundo Madalena Feliciano, diretora geral do Outliers Careers, é necessário atentar-se pela maneira como se escreve e-mails que vão circular pela empresa. “Desde erros ortográficos até piadinhas que parecem ser inocentes, mas que possuem potencial para magoar alguém, nada pode passar em um e-mail corporativo; é necessário prestar atenção redobrada a tudo”, explica a profissional.

Madalena listou alguns itens básicos de etiqueta em e-mails corporativos, para que se faça um bom uso desta ferramenta. Confira:

1.   Amigos, amigos…negócios a parte:

Os e-mails trocados utilizando-se o domínio da empresa devem ser estritamente profissionais. “É cada vez mais comum o vazamento de informações via e-mail ou mídias digitais que podem causar danos a empresa, e, por isso, é necessário separar bem o ambiente pessoal do de trabalho”, explica Madalena;

2.   Escrever pouco é escrever bem

Quando se quer passar uma mensagem, é sempre bom escrever de modo conciso, porém educado. “Ir direto ao ponto rapidamente, sem deixar de fora o que é essencial, é de bom tom nos e-mails profissionais”, aponta;

3.   Lembrar-se das aulas de português é sempre bom

Para um profissional formado, sempre pega mal escrever errado, mesmo que seja por pura falta de atenção. “A capacidade e credibilidade do indivíduo são analisadas, também, por e-mail, por isso a necessidade de checar o que se escreve”, diz a coach;

4.   Checar antes de apertar “enviar” sempre é bom

Uma mexida desatenta no mouse, e o e-mail é enviado pela metade ou com informações incorretas. Segundo a diretora geral do Outliers Careers, é importante checar com precisão o corpo do e-mail, para ter certeza que ele será enviado da forma desejada;

5.   Nada de beijos e abraços

Na hora de assinar um e-mail, é altamente recomendado que se escreva, apenas “atenciosamente”, ou, para encurtar, “att”. Por mais que você seja próximo, colocar “beijos” ou “abraços” no final de um e-mail corporativo pode não ser bem visto pelos superiores.

Serviço: Outliers Careers
Madalena Feliciano
Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83, São Paulo – SP.
E-mail:
madalena@outlierscareers.com.br
Site:
www.outlierscareers.com.br

Consolidadas todas as condições para aumentar a área de trigo da próxima safra 2015/16

74O anúncio da elevação em 4,5% do Preço Mínimo de Garantia do Governo Federal, que passará para R$ 34,95/saca para o trigo pão, contra R$ 33,45 da safra anterior veio se somar aos outros dois fatores importantes para o aumento de área do trigo:

a)      a boa lucratividade atual que, segundo a Consultoria Trigo & Farinhas, está em 34,21% para o trigo disponível da safra 2014/15 e de 14,21% para a próxima safra de 2015/16, no Paraná e de 7,86% para o trigo doméstico e

b)      as previsões de clima favorável, feitas pelos meteorologistas: não deve faltar chuva para a safra de inverno, segundo os meteorologistas. Está chovendo bem em todas as regiões produtoras e deverá haver chuvas constantes no Centro-Oeste, Sudeste do Paraná durante as próximas duas semanas, até o fim de abril. Depois disso, não haverá uma interrupção total das precipitações, como é comum no outono e inverno da região central do país. Para a maior parte das regiões produtoras, não há previsão de ausência de chuvas, mas pancadas isoladas.

Com isto, é possível que a área plantada seja igual ou superior aos  1,271,57 mil hectares previstos no Paraná e 912 mil hectares previstos para o Rio Grande do Sul na safra 2015/16 e 2.425,27 mil hectares em todo o Brasil.

Como o clima deve ser favorável, segundo os meteorologistas, diante de um El Niño moderado que não deixará faltar chuvas, ainda que esparsas, acredita-se, neste momento, em uma produtividade média para o Brasil de 2.753 quilos/hectare, o que poderá proporcionar uma produção ao redor de 6,7 milhões de toneladas para a próxima temporada.

A elevação do Preço Mínimo sempre tem um impacto favorável sobre as decisões dos agricultores e, quando ela é tomada antes do plantio, como neste ano, deverá contribuir para uma decisão favorável do agricultor.

Consultoria Trigo & Farinhas
Fone 00 55 41.3209-8542 – Móvel 00 55 41.9826-3697 TIM Curitiba
Email/Skype: luiz.pach@hotmail.com
Solicite programas de nossas consultorias, palestras e cursos de comercialização de grãos
Curta Trigo&Farinhas no Facebook

Em 2015 poderá haver abundância de trigo no Mercosul, prevê Consultoria

62A Consultoria Trigo & Farinhas divulgou nesta semana o seu primeiro Levantamento sobre a área, produtividade e produção de trigo para a safra 2015/16 no Brasil e no Mercosul. Nele, a área a ser plantada no Bloco deverá ser -9,34% menor do que a safra anterior e a produção -1,69% menor, mas, se o clima for favorável, deverá haver abundância do produto graças aos estoques 138,63% maiores que a Argentina está acumulando na atual temporada, retendo exportações, na tentativa de baixar os preços internos.

Luiz Carlos Pacheco, diretor da Consultoria Trigo & Farinhas, analisa país por país do Bloco e, no caso do Brasil, estima que a área plantada de trigo para a safra 2015/16 seja de 2.425,27 mil hectares, cerca de -12,06% a menos do que os 2.757,90 mil ha plantados na safra anterior. Esta redução deverá ocorrer principalmente na região Sul, onde deverá haver uma redução média de -13,24% para 2.259,25 mil ha. A boa notícia é que as regiões Centro-Oeste e Sudeste deverão aumentar as áreas plantadas em 9,87% e 7,66%, respectivamente. Estas duas regiões são as mais promissoras para o plantio de trigo a médio e longo prazo, no continente, pois tem uma qualidade melhor que o trigo argentino e a maior produtividade por hectare da América do Sul, entre 5.000 e 6.000 quilos/hectare, contra a média de 2.651 kg/ha do Mercosul.

Os demais países do Bloco também deverão plantar menos trigo na safra 2015/16, segundo Pacheco, diante das dificuldades de financiamento e preços baixos, que geram problemas de custo/benefício e, no caso argentino, de incertezas políticas, pois o trigo será plantado no atual governo e colhido no próximo, não havendo garantias de que as reivindicações do setor de eliminar ou reduzir o atual imposto de importação de 23% e liberar as exportações serão atendidas ou não. Assim, a redução da área plantada na Argentina deverá ser de -6,8%, no Paraguai de -9,3% e no Uruguai de -15,78%.

O clima está sendo previsto como favorável para todo o período de plantio e desenvolvimento do trigo, graças à ocorrência de um fenômeno El Niño que foge das suas características clássicas, favorecendo, desta vez, a entrada de frentes frias e de chuvas nos próximos meses, sem, contudo, a ocorrência de geadas.

Maiores detalhes deste estudo de seis páginas poderão ser obtidos via email para luiz@trigoefarinhas.com.br.

SERVIÇO: CONSULTORIA TRIGO & FARINHAS

Fones 00 55 41 3209-8542/00 55 41 9826-3697

Email: luiz@trigoefarinhas.com.br

As regras mais importantes para enriquecer

65Muitas pessoas têm, como aspiração para suas vidas, enriquecer. Enquanto uns preferem o caminho do trabalho duro, falta de tempo com a família e baixa qualidade de vida, outros fazem jogos de azar e a loteria, ou, ainda, optam por caminhos ilícitos, na esperança que o tão esperado dinheiro apareça.

Entretanto, segundo Robson Profeta, que é coach de finanças, o verdadeiro rico é aquele que possui uma renda passiva, ou seja, quem vive de rendas. “A pessoa que não trabalha, e consegue viver muito bem com os seus investimentos, é, verdadeiramente, rica”, aponta. Ele, que é executivo e atua nas áreas de finanças, administração, RH e negócios há mais de 20 anos, acredita que muitas pessoas sabem o que querem, mas não conseguem traçar um plano de ação, e alcançar seus objetivos.

Profeta listou as principais regras para quem quer enriquecer. Confira:

1.   Descubra quanto precisa

Como diz o livro de Alice no País das Maravilhas, “Se não sabe aonde quer chegar, qualquer caminho serve”. Saiba qual é seu numero. Riqueza não significa acumular rios de dinheiro, até porque muitas pessoas acumulam rios de dinheiro e rios de divida, afirma o coach;

2.   O ego não pode falar mais alto

E se falar, que esteja consciente de seus impactos. Um dos maiores obstáculos de nossa sociedade é a ânsia pelo consumo. Um carro melhor, um apartamento maior, uma casa de praia, etc. O ego e nossa necessidade de reconhecimento social faz com que compremos bens e serviços muitas vezes supérfluos às nossas vidas e sem qualquer valor real, gerando uma rápida sensação de prazer. Profeta adverte: “Seja consciente ao consumir”;

3.   Cuidado com os ativos que adquire

Muitos ativos que compramos não são nossos melhores amigos. Um veículo mais caro provavelmente trará um seguro, um imposto e/ou manutenção mais caros. Um apartamento maior provavelmente trará, também, taxas maiores, e assim sucessivamente. Estes ativos geram passivos, ou seja, dividas. Se estiver consumindo por causa da regra 2ª, consuma consciente.

Tente investir em ativos que geram renda. Compre um apartamento para alugar, ações que paguem dividendos, etc.

4.   Evite os juros

Saiba que, se você paga juros sobre qualquer bem ou serviço, tem alguém do outro lado ganhando com isto. Por isso, inverta o lado do jogo, receba renda e deixe que outros paguem juros. No mercado, para alguém ganhar, alguém tem que perder. Se não souber onde quer chegar, e seu ego atrapalhar seus objetivos, pagará juros.

5.   Conheça seus valores

Sua hierarquia de valores explica muito a seu respeito. Caso seu principal valor seja a segurança e seu valor menos importante seja a diversão, não adianta querer tirar 30 dias de férias no Caribe e relaxar. Talvez fique mais estressado ainda com o medo de perder seu emprego. Navegue nesta pirâmide, se conheça. Muitas pessoas descobrem as reais razões pelas quais não conseguem juntar dinheiro. Se um dos seus principais valores é o poder, a regra 2ª pode estar sabotando seus planos, mesmo que inconscientemente.

6.   Monte seu controle

Dificilmente ganhará dinheiro se não aprender a doma-lo. Faça um fluxo de caixa projetado e controle suas finanças. Não adianta ter um bocado de dinheiro no final do ano, fruto do seu 13º salário, e gasta-lo com a viagem dos sonhos e, nos próximos três meses, aparecer gastos extras com IPVA, seguros, matrícula e material escolar dos filhos, reajuste de colégio e plano de saúde, etc. Você só visualiza isto corretamente fazendo um fluxo de caixa adequado, seja em uma planilha eletrônica, ou mesmo no famoso caderninho de anotações.

Em suma, o coach de finanças acredita que, para se atingir a tão sonhada riqueza, é preciso seguir alguns passos fundamentais. “Se a pessoa não tomar cuidado com seus ganhos, controlar seu salário e saber os limites do seu dinheiro, nunca atingirá suas metas, e continuará frustrado”, pontua Profeta. Ele finaliza, falando que uma boa opção para aumentar a renda é realizar investimentos, porém, sempre acompanhado de um profissional competente no assunto, que possa aconselhar o investidor da maneira correta.

Serviço:  Robson Profeta

Coach Financeiro

Site: www.robsonprofeta.com.br

E-mail: rp@robsonprofeta.com.br

Tel:  11  98107-1003

Site reunirá comércio da Rua Teresa, em Petrópolis

29Um projeto promete revolucionar o tradicional comércio de roupas da Rua Teresa, em Petrópolis, Rio de Janeiro. A rua possui mais de 800 empresas têxteis, mas poucas delas tinham alguma interação online com os clientes. Por isso, um petropolitano e um coordenador de tecnologia  resolveram criar a iniciativa de disponibilizar a venda de produtos de diversas dessas lojas por meio de um site. A ideia combinou inovação com praticidade, pois, realizando apenas um cadastro, a pessoa tem acesso a todas as lojas parceiras do site, e, na hora de finalizar a compra, pagará apenas um frete.

Segundo Makinson Agostini, um dos idealizadores do projeto, a ideia é facilitar não só as vendas, mas também a relação entre os lojistas e seus clientes, criando comodidade e atraindo um novo público para os empresários. “Começamos com tudo isso há um ano e meio, após percebermos as dificuldades dos lojistas com as vendas online, tanto pela questão financeira, quanto pelo marketing”, explica o empresário. Medeiros afirma que a ideia do site, batizado de Trendy Club, serve para facilitar a vida dos lojistas, que terão um portal de vendas e serviço de entregas, além de apresentar uma facilidade para os clientes, também.

Também parte do projeto, o administrador Rafael Medeiros, afirma que o site será um aliado do tradicional comércio, para fortalecer as vendas em tempos de crise. Ele explica que não há nada similar ao projeto no Brasil, e a inovação só tende a auxiliar o comércio a crescer. “A empresa precisa da adesão de, pelo menos, 30 lojas, para que o projeto comece a funcionar”, afirma.

Medeiros fala que os custos de participar da iniciativa Trendy Club podem variar de acordo com a necessidade do lojista. “Cada comerciante tem a total liberdade de escolher o plano que mais se adapta ao seu bolso. Desse modo, podemos abranger lojas grandes e pequenas”, afirma o empresário. Ele ainda complementa, dizendo que o objetivo final é fortalecer o comércio local de Petrópolis, pois, desse modo, pessoas de outros estados podem se interessar pelas lojas da Rua Teresa, e comprar produtos desse comércio, aumentando o lucro dos lojistas.

Serviço: Trendy Club e Misto de Ideias

Makinson Agostini, coordenador de tecnologia

Rafael Medeiros, empresário digital

Email: marketing@trendyclub.com.br

Fone: 21 30730319

Site: http://www.trendyclub.com.br/ e http://www.mistodeideias.com.br/

Necessário vincular novamente o reajuste dos benefícios ao aumento do salário mínimo

55A partir deste ano, de 2015, o cenário de como será feito o reajuste do piso mínimo nacional havia ficado indefinido, pois se esgotaria o acordo para reajuste dos salários mínimos no formato “inflação mais crescimento do PIB”.  O Governo, então, editou Medida Provisória, mantendo a sistemática até 2019. Muitos economistas vinham defendendo que o impacto nas contas públicas, por causa do reajuste, tem sido alto demais. Ao mesmo tempo, eles reconhecem que o salário mínimo avançou positivamente com tal sistemática. Contudo, a MP editada não abordou a questão da vinculação do reajustes dos demais benefícios do INSS ao reajuste do salário mínimo, o que se espera seja feito no Congresso Nacional neste ano. A estratégia do Governo, ao lançar a Medida Provisória foi, no entanto, esvaziar um pouco a discussão sobre a vinculação.

Segundo Tiago Kidricki, advogado atuante na área de direito previdenciário, este é o momento ideal para que os aposentados e pensionistas do INSS lutem com mais força por esta antiga e justa reivindicação de vinculação de reajustes de seus benefícios ao aumento do salário mínimo. “Nos últimos anos, os inativos do Regime Geral, que recebem acima do mínimo, foram agraciados apenas com o reajuste do INPC, enquanto os que recebem o mínimo tiveram reajustes reais expressivos. Isto importou numa diferença de 41,03% entre os reajustes concedidos”, explica o profissional.

Kindricki afirma que, agora, é o momento de “recolocar” as coisas no lugar, fazendo justiça e vinculando o reajuste dos benefícios ao do salário mínimo. O profissional argumenta que, além dos argumentos usualmente utilizados de não discriminação, igualdade e proporcionalidade, o reajuste unificado para todos dentro beneficiários do INSS é uma necessidade do sistema previdenciário nacional. Ressalva, de outro lado, que não se trata de medida impossível ou irresponsável, mas algo necessário dentro da perspectiva de futuro de uma Previdência Social saudável, que é direito de toda a coletividade.

Ele explica que, na sua opinião, dois reajustes dentro do mesmo sistema previdenciário não seria algo razoável. “Beneficiar com reajustes reais apenas o valor mínimo é incentivar, por exemplo, toda uma massa de trabalhadores autônomos a contribuir apenas pelo mínimo, já que não há vantagem em contribuir, mesmo podendo, por um valor maior”. Ou seja, a afirmação do advogado é no sentido de que estamos incentivando cada vez contribuições de menor patamar e, por conseguinte, arrecadação menor, o que é ruim para o sistema inteiro. Fundamenta o especialista: “Então, por que contribuir com mais, mesmo tendo condições, se lá na frente, provavelmente, haverá o empate com o salário mínimo?”. O reajuste único para todos os benefícios resolveria esta distorção, facilitaria o planejamento do contribuinte, aumentaria a arrecadação e todos sairiam ganhando, complementa. Acerca do esforço contábil que a previdência deveria fazer para chegar a esta unidade, minimiza-o a lembrar que o crescimento do PIB nos próximos anos, assim como no ano de 2014, se prevê fraco ou inexistente, o que traria uma diferença de recursos suportável pelo caixa do INSS.

Serviço: Kidricki e Sousa Advogados Associados

Tiago Beck Kidricki – OAB/RS n. 58.280

Rua João Abbott 473/503 – Petrópolis, Porto Alegre

Fone: 51 30283443

www.ksadvogados.com.br

Desaposentadoria: tudo que você precisa saber

A desaposeimagem_release_398830ntadoria, ou desaposentação, é a possibilidade de o trabalhador utilizar sua volta ao mercado de trabalho, mesmo após aposentado pela primeira vez, para, depois, se aposentar pela segunda vez, desfrutando de maiores benefícios, já que estes são resultado do seu novo período como contribuinte. Esta decisão, que deve ser tomada por parte do beneficiário, reflete em outras áreas da legislação, como a civil, trabalhista, previdenciária, tributária, etc., e, por isso, é objeto de discussões no Brasil.

Há possibilidade, com esta troca de benefícios, de se alçar um benefício de maior valor, ou mesmo de outra espécie (trocar uma aposentadoria por idade por uma por tempo de contribuição, por exemplo). Esta ação surgiu como tese de reação dos advogados da área previdenciária à negativa de devolução das contribuições vertidas ao Regime Geral (INSS), após a aposentadoria, segundo o advogado Tiago Kidricki, de Porto Alegre. “O entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) foi que, já que os valores não podiam ser reembolsados, por conta do princípio da solidariedade. Mas ficou em aberto a possibilidade de serem reaproveitados. A solução foi a desaposentadoria, para que, com a renúncia ao benefício, se possa aproveitar o tempo e as contribuições posteriores”, explica Kidricki.

O advogado enfatiza que o maior problema nesta ação é a falta de esclarecimento sobre como ela funciona. Por exemplo, havia muita especulação sobre como a desaposentadoria funcionaria, pois muitos, inclusive juristas, achavam que todo o valor recebido pela primeira aposentadoria deveria ser devolvido. “A tese da desaposentação sem devolução dos valores já recebidos está cada vez mais sólida no Judiciário. O TRF4 já admitiu, o STJ também, e agora resta a posição final do STF, que atualmente conta com dois votos a favor (Ministros Marco Aurélio e Luís Barroso)  e dois contrários (Ministros Dias Toffoli e Teori Zavascki), tendo suspendido por tempo indeterminado o julgamento do tema”, ressalta o especialista.

Ele finaliza dizendo que deve haver uma análise, por parte do aposentado, para saber se a desaposentadoria vale, mesmo, a pena, pois, o cálculo da nova aposentadoria é feito com as regras da legislação atual, e pode inclusive em resultar em valor inferior ao da primeira aposentadoria. “A melhor coisa a se fazer é contatar um advogado de confiança, e que possa fazer uma boa orientação sobre quais atitudes deverão ser tomadas, a iniciar pela realização do cálculo”, finaliza.

Serviço: Kidricki e Sousa Advogados Associados

Tiago Beck Kidricki

OAB/RS n. 58.280

51 30283443

www.ksadvogados.com.br

Rua João Abbott 473/503 – Petrópolis, Porto Alegre/RG.

Zonas Norte e Oeste do Rio de Janeiro são as que mais se valorizaram em 2013

0aBolha Imobiliaria Rio (2)Apesar de o Leblon e Ipanema ainda conterem os metros quadrados mais caros do país, as maiores valorizações de preços ficam longe dali.

Os bairros de Leblon e Ipanema, no Rio de Janeiro, continuam sendo, sem novidade para ninguém, as regiões brasileiras com os imóveis mais caros. Porém, em um período de um ano – de julho de 2012 a julho de 2013, – os metros quadrados brasileiros que registraram maior aumento ficam localizados em bairros da zona oeste e da zona norte da capital fluminense.
Segundo dados do Índice FipeZap, os imóveis que tiveram as maiores altas nos preços ficam no bairro da Penha, na zona norte carioca, que sofreram com uma valorização de 57% no intervalo analisado – e somente no mês de julho, os valores do metro quadrado nessa região cresceram 17% em relação a junho.
Também na parte norte da cidade, Madureira foi o segundo lugar que registrou as maiores valorizações nos preços. Lá, a alta foi de 41%. Em seguida aparece Vargem Grande, na zona oeste, que completou a lista das principais altas nos preços, com 39%.
Para Carlos Samuel de Oliveira Freitas, advogado e diretor de condomínios e jurídico da Imobiliária Primar Administradora de Bens, do Rio de Janeiro, essas regiões estão se valorizando desde 2012 porque recebem altos investimentos segurança pública e infraestrutura.
“A pacificação, o crescimento do financiamento imobiliário e a grande força econômica da população dessas regiões são alguns dos fatores para a valorização do metro quadrado nessa área”, diz Freitas, que comenta que a Zona Sul já é considerada saturada por muitas pessoas devido aos seus altos valores.
“Tanto as construtoras como o poder público voltaram a investir na Zona Norte. Exemplo disso é Marechal Hermes, em que há a expectativa de receber a extensão do Parque Madureira. Dessa forma, quem quer investir na região já começa desde agora”, comenta o especialista.
Apesar do aumento dos valores nas zonas norte e oeste, em valores absolutos, o Leblon, na zona sul do Rio, continua sendo o metro quadrado mais caro da cidade e do país, valendo R$ 21.767. O bairro vizinho, Ipanema, segue logo atrás, com o valor de R$ 18.177. Além disso, a cidade do Rio continua apresentando o maior preço médio do metro quadrado no país: R$ 9.160, contra R$ 8.346 em Brasília e R$ 7.192 em São Paulo.
Primar Administradora de Imóveis
Site: http://www.primaradministradora.com.br
Blog: http://primaradministradora.blogspot.com
E-mail: diretoria@primaradministradora.com.br
Fone: 21 3297-8675/ 3297-8666 / 3550-5030
Endereço 1: Rua Arquias Cordeiro, N° 324, grupo 212, Méier, Rio de Janeiro – RJ.
Endereço 2: Rua Dalcídio Jurandir, 255, loja 125, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro – RJ.

Coaching financeiro ensina a equilibrar o orçamento

Metodologia enfatiza aprendizado para manter a saúde financeira sempre em dia.
O brasileiro gasta boa parte do seu salário com impostos cobrados pelo poder público. Em 2011, os tributos federais, estaduais e municipais ultrapassaram R$ 1,5 trilhão, um recorde histórico que representa um aumento de 17,1% na arrecadação em termos nominais e de 11%, cerca de R$ 1,29 trilhão, em termos reais em relação a 2010. Os dados são do Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que analisa desde 2000 a quantidade de tributos pagos pelos consumidores brasileiros.
Além de pagar os impostos embutidos nos produtos e serviços, o brasileiro precisa quitar outras dívidas todos os meses. Segundo a Pesquisa Global sobre Confiança do Consumidor e Intenções de Gastos do 1º trimestre de 2012, realizada pela Nielsen, 34% dos consumidores aproveitam o dinheiro que sobra do orçamento para cobrir as pendências financeiras. Aproximadamente 33% dos entrevistados gastam com entretenimento e 32% investem os recursos extras na poupança.
Com tantos gastos e impostos, equilibrar o orçamento é uma tarefa difícil e muita gente não consegue se livrar das dívidas. Para não perder o controle das contas e conseguir economizar algum dinheiro, é fundamental ter planejamento. “O coaching financeiro é um método que pode ser muito útil para adequar o orçamento ao salário. Não é consultoria, é uma metodologia de desenvolvimento pessoal e profissional que traz benefícios para diferentes áreas da vida”, afirma Bruno Juliani, presidente da Academia Brasileira de Coaching (ABRACOACHING).
Juliani explica que a principal diferença entre a consultoria e o coaching é que no primeiro são dadas orientações e, no segundo, o indivíduo faz as suas próprias escolhas. “Na consultoria, o profissional apresenta ao cliente várias alternativas de investimentos, maneiras de cortar os gastos e como ter uma vida financeira saudável. Já no coaching, o coachee (cliente) é estimulado a pensar em suas ações e a buscar as respostas. O trabalho é feito em conjunto, uma parceria entre o cliente e o coach (profissional que atua com coaching)”, ressalta.
Com o coaching financeiro é possível montar uma estratégia de acordo com a condição atual do cliente, visando alcançar estágios mais avançados. Ou seja, são definidas as metas que devem ser conquistadas e as ações para chegar ao ponto desejado. “As limitações e todas as variáveis vão sendo analisadas no decorrer do processo. O diferencial do coaching é a ênfase no aprendizado, que pode ser usado pelo resto da vida. Quando sentir necessidade, o cliente saberá quais são os próximos passos, sem a ajuda do coach”, observa o especialista.
Como no ditado popular, o coaching financeiro não dá o peixe, mas ensina a pescar. Com o desenvolvimento de uma base, a pessoa descobre sozinha a melhor forma de usar o seu dinheiro e consegue obter independência financeira. “É preciso modificar os comportamentos e elaborar planos de ação para equilibrar as finanças e manter o orçamento em dia. É essencial ter uma visão de futuro e disciplina para poupar dinheiro e fazer novos investimentos, seja para obter mais renda ou um patrimônio”, declara Juliani, instrutor do curso de Formação em Coaching da ABRACOACHING.
A performance do indivíduo é melhorada com o uso de técnicas e ferramentas próprias do coaching e os resultados positivos são otimizados. “O coach promove o autoconhecimento do cliente, já que é o coachee que vai desvendar seus pontos fortes, o que deve ser melhorado, seus valores e os fatores que o motivam. Se conhecer melhor gera mais qualidade de vida, pois a pessoa fica menos estressada e tem o controle das situações. E com uma boa saúde financeira, o indivíduo tem mais liberdade para determinar novos objetivos e realizar seus sonhos”, acrescenta.
Academia Brasileira de Coaching
A Academia Brasileira de Coaching (ABRACOACHING) é dedicada ao desenvolvimento do potencial humano e organizacional. O trabalho é feito por meio do aprimoramento, ensinamento e disseminação do coaching, uma metodologia de sucesso comprovado internacionalmente. O indivíduo aprende a explorar o máximo de seu potencial criativo, intelectual e emocional para alcançar seus objetivos. A ABRACOACHING é reconhecida junto ao Behavioral Coaching Institute (BCI).

Novo formato de negócios reduz burocracia e favorece empreendedores individuais

Uma nova modalidade de negócios acaba ser aprovada pelo Senado e enviada para sanção presidencial. A criação da chamada “Empresa Individual de Responsabilidade Limitada” deve diminuir a burocracia das pequenas empresas, favorecendo dessa forma o empresariado individual. A aprovação faz parte do Projeto de Lei Complementar 18/11 da Comissão de Constituição e Justiça – CCJ – do Senado.

De acordo com informações divulgadas pelo site da Fenacon – Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis – a decisão foi tomada em caráter terminativo, ou seja, o projeto não precisou passar pelo Plenário da Casa e foi direto para aprovação presidencial.

O contador Gilmar Rissardi – sócio da empresa curitibana Bilanz Gestão Contábil – comenta o assunto. “Assim como para os empreendedores, a diminuição da burocracia às atividades de uma empresa também é bastante positiva ao nosso país e à economia como um todo. O que não podemos deixar de ressaltar é a importância que todos os empresários individuais trabalhem na formalidade, não só para qualificar o seu próprio negócio como também para participar ativamente das atividades econômicas da cidade, estado e país onde está localizada a sua empresa”, destaca o contador.

O Projeto de Lei diz que a nova modalidade de empresa deve ser formada por apenas uma única pessoa que será a responsável pela totalidade do capital social que não deve ser inferior a 100 vezes o maior salário mínimo válido no Brasil.

Além disso, o novo negócio também pode ser resultado da concentração das quotas de outra modalidade societária num único sócio, independente das razões que motivaram a concentração das atividades em apenas um grupo econômico. É importante lembrar que cada empresário só poderá constituir uma única empresa nesse formato. As informações são da Fenacon.

O contador Gilmar Rissardi diz ainda que os novos empresários devem buscar mais informações e orientação de um profissional da área para melhor orientar no procedimento de abertura de empresas bem como para acompanhar as atividades e movimentações do negócio. “É sempre recomendado o acompanhamento de um contador para auxiliar nas questões burocráticas, acompanhar os tributos e taxas e todas as outras movimentações da empresa. É uma área que se deve ter muito cuidado para que o negócio não ganhe restrições junto ao Fisco”, alerta o contador da Bilanz.

 

Aumente sua renda revendendo produtos da DelSanto

A empresa San Marco Alimentos busca profissionais da área de vendas para comercializar fungos e hortaliças em conserva da DelSanto, que são elaborados sem o uso de produtos químicos. O objetivo é aumentar a carteira de clientes da empresa, com foco nos restaurantes. “O vendedor irá receber uma boa comissão. Esta oportunidade é ideal para quem já trabalha no ramo e quer incrementar seu portifólio de produtos”, destaca Alexander Bonetti, proprietário da San Marco Alimentos.

Sucesso de vendas

A indústria Água Mineral Timbu comemora a venda de 263 cupons no site de compras coletivas Abuze. A oferta foi 50% de desconto em um fardo de garrafinhas de água 500ml (12 garrafas com gás ou sem gás) mais cinco litros (duas unidades) de Água Timbu. A ideia foi promover a Boutique Timbu, primeira boutique de águas do Brasil, já que os compradores têm que retirar o produto na loja. Na Boutique Timbu, além de água com a marca da empresa, com todas as embalagens disponíveis, um painel com fotos da indústria apresenta a fonte. As famosas águas Perrier, Panna e San Pellegrino podem ser adquiridas na loja que conta com o serviço Timbu Express para o Batel Soho. A Boutique de Água fica na Rua Vicente Machado, 837.

Catarinense prefere comprar a vista

Pagar a vista e evitar o prolongamento das contas é a preferência de 68% dos consumidores catarinenses, segundo pesquisa realizada pelo Índice das Marcas de Preferência e Afinidade Regional (Ímpar 2010). O estudo – feito com 1,7 mil pessoas, sendo 48% homens e 52% mulheres – revela os principais hábitos de consumo da população de Santa Catarina. “É interessante observar o perfil dos habitantes de uma região, suas preferências e formas de consumo antes de dar início a algum negócio no local. Desta forma é possível conhecer o público com o qual está se lidando e a assertividade é muito maior”, afirma Leopoldo Glustak, sócio-proprietário da Pura Vida importadora e distribuidora de cosméticos.

Código de barras facilita a vida de empresas e consumidores

Criado no fim da década de 50 e utilizado pela primeira vez nos anos 60 pelo exército americano, o código de barras revolucionou a forma de identificar e armazenar dados no mundo inteiro. Na década de 70 o sistema passou a ser utilizado principalmente pelas indústrias e posteriormente o varejo também percebeu suas vantagens e benefícios.

Segundo Marcelo Mendes, da empresa KSA Informática, o código de barras possibilita a otimização do fluxo de informações e do fluxo de produtos físicos, reduzindo os custos operacionais e aumentando a eficiência. “Sua função básica é aumentar a velocidade de entrada de dados em sistemas informatizados com segurança. O sistema é tão importante que muitos produtos são obrigados por lei a terem esse tipo de identificação”, ressalta.

O empresário explica que entre as principais tecnologias disponíveis para realizar o processo de captura automática de dados, o código de barras é a mais utilizada e divulgada em todo o mundo devido o seu custo/benefício. “Comparada à coleta manual de dados – que é mais lenta, suscetível a erros e mais cara -, o código de barras é 15 vezes mais rápido e 10.000 vezes mais seguro”, afirma.

As principais vantagens deste sistema são o aumento da segurança no processo de captura e identificação das informações, a eliminação de erros, redução de desperdícios, eficiência no desempenho e melhores margens. “Nós fazemos consultoria em vendas e fazemos assistência técnica autorizada dos produtos da Zebra Technologies – líder mundial de soluções para impressão, como a fabricação de impressoras de recibo e etiquetas de código de barras e softwares”, explica.

A KSA também faz a manutenção autorizada em máquinas de outras marcas, como a Motorola Symbol, e tem a missão de prestar serviços de alto padrão técnico aos seus clientes. “Nós oferecemos atendimento e serviços com qualidade, sempre atento às novidades do mercado e buscando suprir as necessidades e expectativas dos nossos clientes, primando pela ética, segurança, rapidez e eficiência”, acrescenta.