Arquivos da Categoria: Educação

Aprenda a dizer não

imagem_release_439030No dia a dia, é comum que as pessoas esqueçam dos seus próprios desejos para atender as vontades dos outros, principalmente pela correria diária presente na sociedade. É normal que pais e mães deixem de fazer uma coisa ou outra para atender seus filhos, assim como, na empresa, as vezes é preciso parar alguma atividade para fazer algo para seu chefe. O problema surge quando as pessoas perdem sua própria autonomia, e não conseguem dizer não para os outros, esquecendo-se de si próprios.

O ato de dizer não parece fácil para muitas pessoas, mas, para outras, é um verdadeiro desafio. De acordo com especialistas, a característica de falar não surge ainda na infância, lá pelo 15º mês de vida, quando o bebê começa a buscar sua independência da mãe. Ao falar não, especialmente nessa fase entre um e dois anos de idade, a criança procura se emancipar, ainda que de maneira limitada, da figura materna. É nesse momento em que, sutilmente, se descobre a figura do “eu”.

Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, quando uma pessoa diz não para algo, ela, na verdade, está, ao mesmo tempo, dizendo sim para si mesmo. “Se uma pessoa lhe encoraja a beber, mas você não está sentindo vontade e recusa, você, ao mesmo tempo, está dizendo sim à sua autonomia, respeitando a si mesmo”, explica.

O profissional fala que, ao aprender a dizer não, a pessoa evita ser vítima de quem sabe dizer sim. “Se o indivíduo não souber se posicionar dentro do ambiente de trabalho, por exemplo, os colegas sempre passarão por cima dele, por serem mais autoritários e assertivos. Isso pode causar estresse, levando a pessoa a se sentir sobrecarregada, quando não há necessidade para isso”, comenta.

Quando as pessoas começam a dizer sim para si mesmas, é possível que aja uma reestruturação do próprio indivíduo. “A partir do momento em que a pessoa toma as rédeas de sua vida e começa a valorizar seus próprios gostos, preferências e sentimentos, ela consegue aprender a dizer não para os outros, e se reestruturar internamente. No fundo, não se trata de aprender a dizer não, mas a valorizar o próprio ‘sim”, conclui Borba.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Uma lição de empreendedorismo

7Os zeladores, faxineiros e auxiliares de serviços gerais estão presentes em todos os segmentos das vidas cotidianas de absolutamente todo mundo, e, mesmo assim, por diversas vezes, esses valorosos profissionais não recebem o respeito e a admiração que merecem.

O que muitas pessoas não percebem, é que, sem estes profissionais, a vida seria uma bagunça; do mesmo modo como, sem um professor ou motorista de transporte público, a cidade para, sem os profissionais da limpeza viveríamos em meio a nossa própria sujeira, o que tornaria a convivência impossível, especialmente nas grandes cidades.

Além disso, em diversos ambientes de trabalho, chega a acontecer desrespeitos por parte de superiores, na hora de se relacionarem com funcionários que prestam serviços gerais. Eraldo Melo, entretanto, é a prova viva de que esta situação pode ser mudada. O agora empresário começou sua carreira em uma das cinco empresas que hoje possui como Auxiliar de Serviços Gerais, sendo promovido, pouco tempo depois, a Encarregado de uma equipe de 10 pessoas. Segundo ele, seus colaboradores eram extremamente desmotivados a irem trabalhar, o que ocasionava muitas faltas e baixa produtividade, e, uma das maiores reclamações deles era que seus superiores se quer lhes davam “Bom dia”, e, muito menos, elogiavam seu desempenho, quando eles cumpriam sua tarefas ou obrigações acima do esperado.

Melo resolveu esta situação ao se reunir mensalmente com seus colaboradores, para que pudessem discutir sobre o trabalho e as melhorias que deveriam ser feitas no setor. A partir disso, os funcionários se tornaram mais motivados, desempenhando seus papeis de maneira mais eficiente e produtiva. Dessa maneira, a empresa, utilizando os treinamentos oferecidos pelo empresário, conseguiu mais credibilidade com seus antigos clientes, além de novos contratos, pois demonstrou o seu verdadeiro valor humano.

Segundo o empreendedor, “cada função tem o seu valor, por isso, não podemos subestimar a capacidade ou o trabalho de ninguém. O faxineiro de hoje pode ser o chefe de amanhã, mas, independente disso, a gentileza é indispensável. Afinal, educação é algo que vem do berço”, conclui.

Serviço: Eraldo Melo

Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

(64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

Estudar em casa é possível, desde que seja de forma disciplinada

imagem_release_423771No imaginário popular, é normal que as pessoas pensem que estudar em casa não é algo produtivo e que a maneira correta seria em locais como bibliotecas, sejam elas públicas ou particulares. Entretanto, com a correria do dia a dia, torna-se muito mais prático ficar em um ambiente confortável para realizar seus estudos, como, é claro, sua própria casa.

Estudar e aprender coisas em casa não necessariamente implica em aprender sozinho, de forma autodidata, mas, muitas vezes, em cursos e aulas online. Segundo Fernanda Frattarola, que dá aulas online para estudantes que queiram passar no exame de proficiência em inglês TOEFL, para aprender inglês em casa, antes de mais nada, é preciso saber ouvir as instruções dadas nos programas de aprendizado. “É preciso ter a disciplina para praticar diariamente, no mínimo 30 minutos por dia, ouvindo, lendo e falando em inglês. O ambiente onde a pessoa estuda também é importante, pois ela poderá se concentrar melhor em um local calmo, bem iluminado e sem influências externas”, afirma.

Ela, que já ajudou milhares de pessoas a passarem no TOEFL por meio de suas aulas online, reforça que a dedicação para aprender inglês é necessária, assim como qualquer outra parte da vida. “As pessoas pensam, muitas vezes, que, por ser uma língua presente  no cotidiano de todos, não é necessário estuda-la a finco. Muito pelo contrário, para sair do lugar comum de só saber algumas frases, é preciso se familiarizar do idioma, por meio de filmes, músicas e livros, por exemplo”, pontua.

Fernanda observa que é preciso desenvolver uma rotina diária de estudos, para que os assuntos não caiam em esquecimento, principalmente para quem pretende participar de provas que exigem o conhecimento da língua, como o próprio TOEFL. “Sempre recomendo aos meus alunos que procurem exercícios oficiais na hora de estudar, para não cair nas armadilhas de exercitar o conteúdo errado. E claro, seguir as orientações do seu professor é uma das principais coisas a serem feitas, afinal, ele só quer que você desenvolva todo seu potencial e aprenda inglês de verdade”, finaliza.

Serviço: Passe no TOEFL

Fernanda Frattarola

www.facebook.com/passenotoefl?_rdr

www.fernandafrattarola.com.br/

Como não vitimizar seu filho

imagem_release_406037Algumas pessoas se fazem de vítima diante os problemas da vida. Estas pessoas, geralmente, não possuem o controle das suas emoções e ações, além de usarem qualquer coisa como desculpa para seus fracassos diários. Segundo estudos psicológicos, as pessoas se vitimizam para conseguir mais atenção, mostrando às pessoas com quem se relaciona que sua vida é ruim, na esperança que isso possa despertar alguma piedade e atenção por parte dos ouvintes

Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, vítima é todo aquele que vive ressentido, e que perdeu o contato com sua força de vida original. “Esta força é a responsável por alavancar projetos, mergulhar em relacionamentos satisfatórios e em exigir do mundo trocais justas e balanceadas. A vítima é todo aquele que culpa os outros pelas suas adversidades e esqueceu de se responsabilizar pela própria vida”, explica o profissional.

Borba ainda diz que é muito comum que pais transformem seus filhos em vítimas, por tentarem protegê-los de mais, ou, até mesmo, por forçarem um amadurecimento precoce, mesmo que de forma não intencional.

O psicólogo listou algumas ações, realizadas pelos pais, e que podem tornar os filhos vitimizados no futuro. Confira:

1)  Fazer tudo para seu filho, antecipando suas necessidades e não deixando-o amadurecer sua independência:

Crianças adoram ser reconhecidas em suas idiossincrasias e ações espontâneas. Com um olhar um pouco mais observador, já é possível encontrar talentos incríveis em crianças pequenas. Estimule-os em vez de censurá-los. Querer que seu filho seja uma cópia sua é retirar lentamente sua identidade.

2)  Envolver as crianças em temáticas adultas, colocando-os pra darem opiniões:

Crianças são muito vulneráveis a terem de tomar partido em qual dos pais estaria certo ou errado naquela questão. Isso os torna pessoas “pesadas”, pois não suportam carregar um peso que não lhes compete. Deixe seu filho ter uma infância livre.

3)  Olhar com pena ou piedade para suas crianças.

Independente da sua situação de vida, sempre estimule seu filho a ser um vencedor e um desbravador. Jamais tenha piedade ou dó dele. Acredite em seu potencial e em sua força de vida. Crianças aprendem primeiro a se identificarem com o olhar dos pais, para depois, quando chegam na fase adulta, selecionarem o que irão manter ou eliminar deste olhar inicial. Isto seria um adulto realmente na fase adulta.

A vítima sempre sofre e se perde em seus dramas. Enquanto não aprender a separar amor de piedade, enquanto acreditar que ao receber a pena e a piedade dos outros, está também recebendo amor, este processo jamais terá fim. Dramas internos avassaladores costumam transgredir e ultrapassar várias e várias gerações. Por isso, torne-se responsável pela própria vida. Não há nada mais leve, belo e libertador do que ver um adulto caminhando junto a sua criança interna.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

TOEFL IBT, ITP ou IELTS: qual o melhor exame de proficiência?

imagem_release_412848Para fazer uma graduação ou pós-graduação no exterior é necessário possuir, na maioria das universidades, certificado de proficiência na língua que é obtido por meio de exames práticos, como o IELTS e o TOEFL. Ambos são específicos para a língua inglesa, com a diferença que o primeiro é mais aceito em universidades do Reino Unido, e o segundo possui um alcance maior, mesmo sendo dos Estados Unidos. O exame estadunidense possui dois tipos diferentes: o IBT, realizado online e que avalia as quatro áreas do conhecimento (speaking, writing, listening e reading), o ITP, realizado no papel, porém sem o speaking e writing.

Muitos alunos possuem dúvidas sobre qual prova vale a pena ser feita. Segundo Fernanda Frattarola, que dá aulas online para pessoas que querem passar no TOEFL IBT e ITP, antes de decidir pela prova, o candidato precisa saber se vai tentar uma bolsa pelo Ciências sem Fronteiras ou se é pela própria universidade. “O teste ITP é aceito por alguns países que participam do programa federal, porém as bolsas ‘por fora’ geralmente optam pelo IBT ou IELTS. É dever do candidato se informar qual a melhor prova a ser feita, já que poucos países aceitam o ITP”, afirma a professora.

Fernanda acredita que as melhores opções são as provas do IBT e do IELTS, já que o ITP é menos aceito. “Com o IBT, além de maior aceitação, há uma variação de nota muito grande, o que significa mais opções para o candidato”, comenta.

A professora adverte que se o candidato não estiver familiarizado com o inglês britânico, utilizado nos áudios da prova IELTS, o exame estadunidense é mais recomendado. “No speaking e no writing não há diferença, mas o listening pode se tornar difícil para quem não está familiarizado com o sotaque”, fala. Fernanda finaliza, dizendo que independente de qual prova o estudante faça, sempre é bom olhar os sites oficiais dos exames para conhecer as estruturas específicas de cada teste, além de realizar muitos exercícios, a fim de praticar ao máximo.

Áudio Release: www.fernandafrattarola.com.br/qual-prova-fazer-itp-ibt-ou-ielts/

Serviço: Fernanda Frattarola

Passe no TOEFL

www.facebook.com/passenotoefl?_rdr

www.fernandafrattarola.com.br/

Conheça mais sobre a prova do TOEFL

imagem_release_400331Para estudar no exterior, especialmente se for para fazer uma graduação, pós-graduação ou especialização, é necessário possuir, na maioria das universidades, certificado de proficiência na língua, que é obtido por meio de exames práticos, como o IELTS e TOEFL. Ambos são específicos para a língua inglesa, com a diferença que o primeiro é mais aceito em universidades do Reino Unido, e o segundo possui um alcance maior, mesmo sendo dos Estados Unidos.

Muitos especialistas afirmam que, quando o estudante decide que quer estudar no exterior, mas não tem certeza onde, o melhor a se fazer é investir no TOEFL, visto que ele é aceito em 9.000 instituições, de 130 países diferentes. Os dois tipos desse exame são o TOEFL IBT, que é realizado via internet, e o TOEFL ITP, feito de maneira tradicional, no papel impresso. Cada um tem suas particularidades, devido ao seus formatos. O TOEFL ITP avalia: escuta (listening), conhecimento gramatical (Structure and Written Expression) e leitura (Reading) e é uma prova de múltipla escolha. Já o TOEFL IBT mede as quatro áreas do conhecimento: fala (speaking), escuta (listening), leitura (reading) e escrita (writing) e por isso é mais aceito. Clique aqui para conhecer a fundo a diferença entre as provas:

http://fernandafrattarola.com.br/diferencas-entre-o-toefl-itp-e-o-toefl-ibt/

Segundo Fernanda Frattarola, que dá aulas online para pessoas que querem passar tanto no TOEFL IBT quanto no TOEFL ITP, cada uma das provas tem uma duração diferente. “No total, a prova do TOEFL IBT dura, aproximadamente, quatro horas. Na parte de leitura, por exemplo, se gasta entre 60 a 100 minutos, dependendo de quantos textos a pessoa receber. Tudo depende da preparação do candidato, é claro”, explica Fernanda. Ela também diz que a pontuação máxima é 120 pontos, e que notas  acima de 80 pontos já são consideradas boas.

Ela acredita que estar bem preparado é o segredo do sucesso. “As provas do TOEFL não são provas comuns de inglês, são provas de estratégia e existem estratégias para cada questão das provas.Nas minhas aulas, ensino todas as estratégias, assim os alunos ficam tranquilos e confiantes na hora de fazerem a prova”. Fernanda lançará, na segunda-feira (13/04), uma série de vídeos gratuita que irá explicar tudo que uma pessoa precisa saber para passar no TOEFL IBT.

Para ter acesso a série de vídeos da Fernanda, e ainda receber dicas imediatas sobre o TOEFL IBT, basta se cadastrar no link: www.passenotoefl.com.br/inscricao-dicas-ibt/

Serviço: Passe no TOEFL

Fernanda Frattarola

www.facebook.com/passenotoefl?_rdr

www.fernandafrattarola.com.br/

Processamento auditivo: como funciona e qual é a sua importância para o desenvolvimento

0a9bee1e39eefa05f21946bb.jpg_256Distúrbios no processamento auditivo podem prejudicar aprendizado.

Processamento auditivo é a capacidade que o sistema nervoso tem de usar a informação que chega pela audição. Esse processamento é relacionado diretamente com as habilidades auditivas adquiridas e desenvolvidas desde o nascimento, como, por exemplo, localizar o som, focar a atenção em um som e ignorar outros, memorizar sons sequenciais etc.
Algumas pessoas apresentam dificuldades nessas “simples” habilidades, o que pode causar a desatenção, dificuldade de concentração, de compreensão e de aprendizagem. “Esta dificuldade é chamada de Transtorno de Processamento Auditivo”, explica a Dra. Rita de Cássia Cassou Guimarães, Otorrinolaringologista e Otoneurologista de Curitiba, PR.
A Doutora exemplifica: “É como se o cérebro fosse um rádio. O sinal existe, mas por algum motivo, existem ruídos, interferências e a informação não consegue ser perfeitamente compreendida. Nesse caso, o problema está no sistema nervoso central, em que o processamento do estímulo sonoro não é feito corretamente e a decodificação é lenta”, diz.
Existem muitos casos em que crianças não tiram boas notas na escola e são caracterizadas como desatentas, agitadas ou com falta de interesse. Por outro lado, alguns adultos também se queixam de dificuldades no seu dia-a-dia profissional e o convívio com familiares e amigos – como, por exemplo, problemas de memória, concentração, entendimento, etc. “Quando acontece algum desses dois casos citados – que são apenas dois exemplos de um universo muito grande – é possível que exista um Transtorno de Processamento Auditivo em ambos os casos”, exalta a especialista.
“Todos escutam os mesmos sons. Quem não tem o distúrbio, consegue prestar mais atenção no que interessa, já quem possui o distúrbio, ouve um monte de barulhos e fica completamente perdido. A sensação é de frustração, já que a pessoa se esforça para entender e, simplesmente, não consegue. O que um aluno sem distúrbio faz em 15 minutos, o com distúrbio leva três horas. No final, a nota ainda é ruim”, ressalta.
Rita lembra que o Transtorno pode estar presente em qualquer um – mesmo naqueles que não possuem perda auditiva, – mas que existem tratamentos eficazes e essas dificuldades podem ser revertidas quando tratadas adequadamente.
Deve ser agendada uma consulta com um médico especialista se existir alguma queixa semelhante a dificuldade de aprendizagem e/ou para ler e escrever; a troca de letras para falar, ler ou escrever; problemas de memória; desatenção e/ou distração;cansaço rápido quando está assistindo às aulas ou palestras; agitação e/ou inquietação; dificuldade para ouvir e prestar atenção em ambientes ruidosos; parecer não ouvir/entender bem; demora para escutar e/ou compreender o que foi dito; dificuldade para aprender línguas estrangeiras; dificuldade em conversas com muitas pessoas ao mesmo tempo; dificuldade para localizar de onde o som está vindo; dificuldade para realizar uma sequência de tarefas que lhe foi solicitada.
Quando existe a suspeita do distúrbio do processamento auditivo, um otorrinolaringologista deve fazer um histórico clínico detalhado, assim como solicitar todos os exames auditivos incluindo os testes de processamento auditivo. “É por meio desse exame que será possível identificar qual o tipo de alteração – o que definirá as habilidades que deverão ser trabalhadas durante o tratamento”, explica Rita. As alterações têm grande chance de serem revertidas com o treinamento adequado.

Dra. Rita de Cássia Cassou Guimarães (CRM 9009)
Otorrinolaringologista, otoneurologista, mestre em clínica cirúrgica pela UFPR
Blog: http://canaldoouvido.blogspot.com
Email: ritaguimaraescwb@gmail.com
Telefone: 41-3225-1665   
Endereço: Rua João Manoel, 304 Térreo, Bairro São Francisco, Curitiba PR.

Sexualidade do portador de necessidades especiais

0ahumbnailChega ao meu consultório, um adolescente de 16 anos com paralisia cerebral e uma leve incapacidade de aprendizado.

É trazido pela mãe para trabalhar muitas outras questões vistas pela família, mas o foco principal do paciente era a sexualidade. Já havia passado por várias situações de tratamentos, físico, mental, comportamental, cuidados especiais de toda natureza. Em todas as situações só ouvia, ouvia, ouvia… Nunca ninguém perguntava o que ele realmente queria, desejava ou sentia.

Hoje ainda é comum se perceber que os portadores de necessidades especiais quando crescem, continuam sendo tratados como crianças ou como doentes.

O desenvolvimento sexual coloca certos problemas para os pais de crianças normais. Muitos preferem que a escola forneça a educação sexual. Mas infelizmente, pouquíssimas escolas ou universidades têm fornecido cursos adequados sobre sexualidade das pessoas portadoras de necessidades especiais.

Na verdade, com freqüência, os pais e professores se juntam, discutem sobre várias problemáticas e tendem a querer esquecer que crianças, adolescentes e adultos portadores de necessidades especiais, também têm sentimentos e desejos sexuais.

Coloco aqui um dos relatos deste jovem (cadeirante).

“Eu queria sair sozinho com minha cadeira de rodas, por mim mesmo”. Ir às lojas ao parque. Eu queria escolher quando sair, quando EU tivesse vontade, a minha vontade, ao invés de esperar que alguém tivesse livre para me levar aonde ela quisesse!

Mesmo sentindo medo de sair conzinho, eu queria me arriscar! Eu tinha medo de cair da minha cadeira ou que algum carro me atropelasse. Tinha medo também que as pessoas não me vissem atrás do balcão da loja porque eu estava baixo demais, ou que elas não fossem entender o que eu queria dizer por causa da minha dificuldade da fala. Mas um dia eu me arrisquei e consegui. Sai, entrei no elevador, apertei o botão, desci ate a rua.

Atravessei a rua e fui até o Shopping.  Foi a minha maior aventura. Esqueci até que tinha medo. Como foi bom sair quando senti vontade e parar onde desejei parar. Em um determinado momento, parei no meio do Shopping e fiquei observando as pessoas caminharem de um lado para outro. Muitas alegres, outras nem tanto. Muitas garotas lindas e perfeitas que circulavam. Elas nem me olhavam, mas eu as via, admirava-as e até fantasiei coisas boas, mesmo sabendo que jamais as veria novamente. Senti-me excitado, mas administrei isto bem. Voltei para casa muito feliz. Esta liberdade, mesmo que por um dia, me fez crescer, me deu prazer, me senti gente. “Pretendo sair outras vezes”.

A sexualidade na teoria freudiana, não se restringe ao corpo biológico, mas se articula num outro registro econômico que passa “necessariamente pelo campo da representação e pela busca do prazer”.

Como pensar este jovem neste contexto, que vivendo um momento já conturbado da adolescência onde busca se subjetivar, no entanto encontra-se capturado por um mundo de fantasias, mundo de imagens onde ele experimenta como um espectador de um público e que para ele as pessoas, principalmente as meninas são lindas e perfeitas?

Como pensar a libido deste menino parado e, diante de si um público aonde sua fantasias vão sendo desenhadas de acordo com seus desejos e, ele vai inventando situações para dar vazão aos desejos e sua frustrações?

As necessidades o fazem lançar um novo desafio em sua vida. Ele deseja sair outras vezes. Algo nele mudou.

Na psicoterapia procuramos trabalhar através da escuta, do acolhimento, exercícios de auto estima, relaxamento e principalmente a respiração, principal ferramenta na qualidade e purificação da qualidade de vida e alivio do sofrimento.

Zenita Terezinha Goebel
CRP-05/5197
Psicóloga clínica e Hipnoterapeuta – formação em psicanálise, terapia de casais, Terapia Cognitivo Comportamental, Curso em Psicoterapia do Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade TODA/H.
goebelpsi@yahoo.com.br
(21) 2556-3620 e 9322-8921
Atendimento em Botafogo, Largo do Machado e Flamengo

Curso livre em Terapias Integrativas

Objetivo é capacitar pessoas da área da saúde para atuar com a visão integral e transdisciplinar da Naturologia.

Nos dias 20 e 21 de outubro será dado início ao Curso Livre em Terapias Integrativas, coordenado pelo terapeuta holístico Joaquim Francisco Pereira da Fonseca e pela coache Verônica Pacheco. “As terapias integrativas são atividades reconhecidas pelo Ministério do Trabalho e do Emprego, são integradas ao Sistema Único de Saúde (SUS) e validadas no estado do Rio de Janeiro pela Lei 5471, de 10 de junho de 2009, que estabelece a criação do Programa de Terapias Naturais”, explica Fonseca.

O curso tem como finalidade capacitar profissionais com base em uma visão integrativa e transdisciplinar da Naturologia, também conhecida como “Medicina Naturista” ou “Medicina Natural”, na saúde e nos processos de doença. As aulas terão como meta desenvolver os conceitos e métodos de medicinas tradicionais, como a Chinesa, Indiana e Grega, e de tratamentos modernos. “Os profissionais serão estimulados a orientar, ensinar e a divulgar os recursos naturais para a promoção, manutenção e recuperação da saúde e da qualidade de vida”, observa.

Os participantes terão contato aprofundado com diferentes temas ligados a Naturologia. Entre os conteúdos que serão abordados se destacam a Oligoterapia, a Iridologia Digital, Farmacologia, Fitoterapia, Auriculoterapia, Diagnóstico Laboratorial, Estética na Ortomolecular e Homeopatia. “O corpo deve ser visto de maneira integrada e é preciso entender que a prevenção é o melhor caminho para evitar as enfermidades. Melhor do que combater as doenças, é manter o organismo sempre saudável”, ressalta.

O diferencial do curso é que os alunos trabalham na área enquanto dão continuidade ao curso. Conforme as disciplinas são concluídas, os participantes podem atuar na área na qual o conhecimento já foi adquirido. “Por exemplo, ao terminar as aulas sobre Homeopatia, os alunos estarão habilitados a darem início as suas atividades neste segmento. Ao mesmo tempo em que estão aprendendo outras terapias, os profissionais conseguem obter rendimento financeiro e custear o restante do curso”, comenta Verônica.

Com previsão de término em início de 2014, as aulas serão ministradas todo terceiro final de semana do mês, das nove da manhã às seis da tarde, possibilitando a consolidação dos conhecimentos adquiridos. “Haverá estágio supervisionado e os alunos ainda poderão se cadastrar no banco de dados da Associação dos Terapeutas Solidários (ATS) e serem indicados pela instituição para os pacientes”, acrescenta Fonseca.

Serviço: Curso Livre em Terapias Integrativas
Data de início: 20 e 21 de outubro de 2012 (todo terceiro final de semana de cada mês)
Horário: 9h às 18h.
Endereço: Rua Marechal Marques Porto, 18, Tijuca. (Próximo ao Metrô Afonso Pena)
Valor: 18 parcelas de R$350,00 – Quem trouxer um amigo ganhará 10% na primeira parcela. 
Fones:  21 3795-4736 / 8574-9774 / 7708-4171
Coordenadores: Joaquim Francisco Pereira da Fonseca (Terapeuta Holístico) – Verônica Pacheco (Coaching e Jornalista)
Vagas limitadas!!

Mudança de data

Área de atuação do designer é ampla

Desenvolver games e sites, tratar fotos, fazer ilustrações, criar curta-metragens animados e efeitos especiais, inventar e animar personagens em 3D, elaborar folhetos, propagandas e cartões, produzir vídeos para a televisão e a internet e trabalhar com maquetes eletrônicas são algumas das funções de um designer. Além de realizar trabalhos gráficos, atuar em agências na área de criação de artes publicitárias e desenvolver produtos funcionais e bonitos. “Existem diversos segmentos no design e com a internet e todas as tecnologias digitais, a área se tornou muito promissora e cheia de oportunidades para trabalhos criativos e inovadores”, afirma Andre Kischinevsky, pró-reitor do Instituto Infnet.

O designer gráfico também é responsável pela elaboração da parte visual de revistas, jornais, livros, anúncios e até outdoors, criação de logotipos e papelaria para empresas e profissionais e padronização de cores, fontes e ilustrações. “Este profissional está sendo cada vez mais requisitado no mercado de trabalho devido à necessidade de ampliação de áreas já existentes e ao surgimento de novas mídias. O designer gráfico pode montar o seu próprio escritório e prestar serviços para empresas ou conquistar uma vaga no mercado de trabalho e atuar em agências de comunicação ou escritórios de design existentes”, observa.

O profissional que atua com design deve ser criativo, curioso e detalhista. Ter conhecimento técnico é essencial para realizar um bom trabalho. A formação deve contemplar desde aspectos históricos até o ensino do uso de softwares avançados. “O bom designer é detalhista, compreende bem o cliente e domina as teorias e técnicas necessárias para atingir os objetivos do seu trabalho. A elaboração de cada detalhe deve ser minuciosa. No Infnet, nós temos excelentes professores, com excelente formação teórica e também com atuação no mercado. Com esta combinação, somada a uma ótima infraestrutura, temos convicção de estar formando designers capazes de fazer grande diferença para seus clientes”, explica Kischinevsky.

Com a missão de formar profissionais competentes e que se destaquem pelos trabalhos realizados, o Instituto Infnet, uma faculdade de alto nível em tecnologia, comunicação e design, oferece diferentes cursos para quem deseja entrar na área. “No Infnet é oferecida a graduação em Design Gráfico e pós-graduações em Design. O conteúdo é completo e o aluno aprende desde o básico, como noções de luz, sombra e formas, até aspectos complexos do design, como os processos criativos, metodologia e gestão de projetos de design”, conta.

São três anos de estudo para se graduar em Design Gráfico. O curso oferecido pelo Infnet é prático e digital e sua proposta é promover uma formação com sólida fundamentação teórica de Design Gráfico e conhecimento prático das ferramentas do Design Digital. “A graduação é totalmente voltada ao mercado e o nosso compromisso é formar alunos que sejam disputados pelos empregadores. O corpo docente conta com profissionais atuantes na área e com ampla bagagem profissional”, ressalta.

As pós-graduações do Infnet abrangem as áreas de Design Digital – com foco em Design Gráfico e Webdesign -, Animação 3D e Edição Digital de Vídeo, MBA em Design Estratégico, Direção de Arte Publicitária e MBA em Marketing Digital. “Os cursos de pós da ECDD duram de um ano e meio a dois anos e têm feito grande diferença na vida de vários dos seus egressos. Na pós destinada a profissionais mais seniores, a de Design Estratégico, os alunos aprendem a utilizar os meios e métodos do design para lidar com situações e problemas de gestão, oferecendo soluções criativas e diferenciadas”, acrescenta Andre.

Instituto Infnet

Um instituto de tecnologia fundado em 1994, com a abertura da internet para as empresas brasileiras. Hoje, é referência na formação de profissionais nas áreas da comunicação, design, TI (Tecnologia da Informação) e negócios.

Instituto Infnet contrata Toda Comunicação

Toda irá coordenar a assessoria de imprensa do Instituto
O Instituto Infnet, referência na formação de profissionais das áreas de Tecnologia da Informação, Comunicação e Design, terá o apoio da Toda Comunicação no seu relacionamento com a mídia. “Nós queremos ter um relacionamento mais próximo com a sociedade. Hoje somos muito conhecidos nos meios de TI e Design, mas relativamente pouca gente conhece nosso trabaho fora desses grupos”, afirma Andre Kischinevsky, pró-reitor da Infnet.
De acordo com Verônica Pacheco, jornalista e proprietária da Toda Comunicação, a credibilidade do jornalismo certamente irá contribuir para a consolidação na mídia da imagem sólida e de confiança que o Instituto já possui. “Além da satisfação dos alunos, o Infnet terá reconhecimento nacional, especialmente pela sua tradição no mercado e sua atuação ética e de excelência. O objetivo desta parceria é consolidar o respeito da opinião pública em relação ao Instituto”, observa.
O planejamento de mídia, elaborado de maneira personalizada para o Infnet, possui diversos assuntos de interesse público. Os principais temas gerais que serão usados na produção das pautas serão educação, tecnologia da informação e carreiras, além de questões sociais. “O Instituto possui o Núcleo de Cultura, Ambiente e Sociedade, que tem como missão engajar alunos e docentes na promoção de valores éticos em causas relacionadas ao patrimônio cultural brasileiro, sustentabilidade ambiental e inclusão social, sempre dentro do contexto da tecnologia e do design”, comenta Andre.
História
Com 18 anos de atuação, o Instituto Infnet possui uma história de sucesso. Foi fundado em 1994, por professores que perceberam o grande potencial que a internet teria no futuro e a necessidade que o Brasil teria de profissionais formados na área. Baseada em valores como excelência no ensino, empreendedorismo, liderança, tecnologia orientada ao mercado, ética e responsabilidade social, a escola cresceu e fez a diferença na vida de muitas pessoas.
Andre ressalta que estes valores fazem parte de cada ação do Infnet e movem a instituição para atuar com força no ensino superior brasileiro. “Tudo o que ensinamos tem esses valores como base, para que os profissionais formados em qualquer curso da escola possam propagar estes princípios na sociedade brasileira”, enfatiza. O Instituto foi reconhecido através de diversos premios: dois prêmios de empreendedorismo, pela Endeavor e pela revista Você S/A, dois prêmios da Microsoft pela inovação e pela qualidade dos cursos e um prêmio da Assespro pela contribuição ao setor de TI do Rio de Janeiro.
Hoje, o Instituto Infnet possui 7 títulos de graduação, 23 títulos de pós-graduação e dezenas de cursos intensivos nas áreas de TI, design, comunicação e negócios.
 
Serviço: Instituto Infnet
Endereço: Rua São José, 90 / 2º piso, Rio de Janeiro – RJ.
Fone: (55-21) 2122-8800
Email: info@infnet.edu.br
Site: http://www.infnet.edu.br

Desafio Infnet 2012

Ter um curso de ensino superior é um diferencial importante na hora de concorrer a uma vaga de emprego. A formação do profissional é vista como um fator fundamental pelos empregadores. “O Infnet oferece uma formação 100% alinhada com o mercado de trabalho, com aulas práticas, exemplos e cases”, afirma Andre Kischinevsky, Pró-Reitor do Instituto Infnet.

Para poder ter o orgulho de contar com alguns dos melhores alunos do Rio de Janeiro em seu quadro discente, o Instituto Infnet promove anualmente o Desafio Infnet. O concurso tem como objetivo oferecer bolsas de até 100% para jovens que concluíram o Ensino Médio entre 2008 e 2012. Os melhores colocados nas provas ganharão bolsas de 30% a 100% nas mensalidades dos cursos de Design Gráfico, Publicidade e Propaganda, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Engenharia da Computação, Sistemas de Informação e Gestão da Tecnologia da Informação.

Andre comenta que esta é uma ótima oportunidade para os estudantes. Mais que ter um curso de terceiro grau no currículo, estes futuros profissionais serão formados com uma metodologia de ensino voltada para o mercado. Os estudantes contarão com toda a infraestrutura do Infnet, como laboratórios, salas de exames, biblioteca, espaços para estudo e auditório.

As inscrições para o Desafio Infnet 2012 vão até o dia 17 de agosto e devem ser feitas no site http://www.infnet.edu.br/desafioinfnet. Os candidatos devem morar no estado do Rio de Janeiro e não devem estar cursando ou estarem matriculados em nenhum curso superior. O desafio é dividido em três áreas – gestão, lógica e criatividade. O participante deve escolher a área para a qual deseja prestar o concurso e optar pelo desafio correspondente.

Abracoaching promove seminário gratuito online sobre Coaching

Você já deve ter lido ou ouvido em algum lugar a palavra coaching. Mas você sabe o que é coaching, qual a sua importância e como funciona? Se a resposta for não, este convite é para você. A AcademiaBrasileira de Coaching (Abracoaching) irá promover um Seminário Gratuito Online sobre Coaching.

O evento será realizado hoje (13/03) em dois horários – das 19h30 às 21h e das 21h30 as 23h. Durante o seminário serão abordados vários assuntos com o objetivo de esclarecer dúvidas sobre o coaching. Além disso, serão abordados temas como a diferença entre coaching, terapia, consultoria, treinamento e aconselhamento; benefícios do coaching; o mercado de coaching; e as vantagens de se tornar um coach.

“Nós aproveitamos a oportunidade para apresentar a Abracoaching, mostrar as vantagens de se tornar um coach pela academia e todo o conteúdo programático que é incluído nos cursos da instituição”, ressalta Bruno Juliani, empresário, instrutor e diretor geral da Abracoaching.

A Abracoaching é uma empresa dedicada ao desenvolvimento do potencial humano e organizacional através do aprimoramento, ensinamento e disseminação do Coaching em seus mais amplos aspectos. A instituição é reconhecida junto ao Behavioral Coaching Institute (BCI) e foi considerada por três anos consecutivos pela Survey ICAA como a número um em treinamento de Business and Organization Coaching Training.

Quem quiser participar do Seminário Gratuito Online sobre Coaching deve se inscrever no site da Abracoaching.

Telefones:  SP – (11) 4062-1689 | RJ – (21) 4062-7078 | MG – (31) 4062-7031
PR – (41) 4062-1017 | RS – (51) 4062-4635 | GO – (62) 4052-1017
Emails: atendimento@abracoaching.com.br | comercial@abracoaching.com.br
Site: http://www.abracoaching.com.br/
Links para inscrição: https://www3.gotomeeting.com/register/137664006
https://www3.gotomeeting.com/register/957858494