Arquivos da Categoria: RH

Dia do Homem

imagem_release_458062Homem também é uma pessoa frágil. Ele tem seus conflitos internos. Também se sentem perdidos em seus pensamentos e suas atitudes.
O homem é pré-determinado desde que nasce.  Nas cores que veste ao nascer, no comportamento que precisa cumprir,  para ser visto como um verdadeiro homem.
É comum que seja ressaltado o comportamento de agressividade, atos de coragem, ter iniciativa, ser protetor, liderança nata, sucesso profissional,… Ufa!!!…. Ser homem não é uma tarefa fácil.
Como o homem pode demonstrar seus sentimentos, ser amável, se há tantas crenças que envolvem o papel de um homem autêntico?
Ser homem é mais do que isso. É lutar, é desbravar caminhos. Mas é proteger,  dar carinho, aconchegar, não brigar, é desejar muito ter Paz e Ser Feliz.
Ser feliz, principalmente, com sua mulher. A mais desejada, a mais admirada e a mais Amada. Ter uma mulher ao seu lado, é tudo que o homem deseja.
O olhar de admiração de sua mulher, é fundamental para a vida de um homem.
Ao contrário que a mulher pensa, o homem quer ser desejado. Não quer estar no domínio, o tempo todo. Mas o homem quer conquistar. O homem quer ser o mais interessante e importante para sua mulher.
Hoje, o homem, quer uma companheira ao seu lado. A mulher que é independente, ele está aprendendo a viver, sem competições. Mas não quer ser deixado de lado.
O homem quer aprender a mostrar seus sentimentos, quer ter mais participação na família, quer ser envolvido pela sua mulher em fantasias e romances, quer mais momentos a dois.
Neste dia do homem, aproveite para resgatar homem em novos momentos de prazer, para as alegrias do dia a dia.
Não fale de problemas,  mostre sua admiração e valorize no que ele faz de melhor. Ressalte a melhor qualidade dele.
E claro, não esqueça do melhor presente…. Que é Você!! Divirtam-se.

Feliz dia do homem!!!

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Taquara, Jacarepaguá – Rio de Janeiro/RJ.

Anúncios

Currículo: a porta de entrada na empresa

imagem_release_445962Na hora de procurar um novo emprego, as pessoas pensam, normalmente, no que elas querem fazer, quanto elas querem ganhar e no momento da entrevista. Poucos candidatos pensam no que vem antes de tudo isso: a apresentação do profissional, que é feita, primeiramente, através do currículo.

Para muitos, o CV (Curriculum Vitae, como é formalmente chamado) não passa de um pedaço de papel, e o que o importante é o que será apresentado na hora da entrevista presencial. O que essas pessoas não percebem é que, devido ao grande número de candidatos que as empresas geralmente recebem, o currículo acaba sendo, por diversas vezes, o único contato que o profissional tem com a empresa contratante. “O currículo é sua porta de entrada para qualquer lugar. Sem um documento apresentável, dificilmente o entrevistador, ou quem quer que seja que analise os currículos dos candidatos, vai se interessar por você”, afirma Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers.

A Coach orienta que um bom currículo deve conter as informações básicas do profissional, além de toda e qualquer outra informação que seja relevante para a sua contratação. “Nome, idade e endereço, bem como os contatos, são essenciais, mas não pode-se parar por aí. Informações sobre sua formação universitária e cursos paralelos (como de idiomas ou de outras habilidades) também são muito importantes. Seu objetivo com aquela entrevista, além de um resumo das suas qualificações, experiências profissionais e cases de sucesso, não podem ser deixados de lado. Caso você trabalhe ou já tenha trabalhado com filantropia também adicione essa informação, pois é um diferencial”, explica.

A profissional diz que, ao mesmo tempo em que o currículo deva ser claro e objetivo, a pessoa não pode se acanhar. “Ao falar de suas habilidades, não tenha medo de fazer um pouco de marketing pessoal, apresentando casos de clientes anteriores e que obtiveram sucesso com sua ajuda, por exemplo. Para quem nunca trabalhou e está atrás de uma primeira experiência, nada de pânico: esse é o momento de demonstrar, seja por meio do currículo ou ainda na entrevista, que você já está buscando garantir seu futuro, e exaltar isso também é importante”, observa.

A profissional finaliza, lembrando que o currículo é como um cartão de visitas para aqueles que não foram contratados ainda. “Existem milhares de modelos de currículos na Internet. Procure aquele que encaixe melhor com seu momento profissional, e não esqueça de mostrar seus diferenciais”, conclui.

Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

O coaching no aprimoramento pessoal

imagem_release_444827Realizar mudanças, mesmo que seja para o melhor, não é uma tarefa fácil para a maioria das pessoas. Sair do lugar-comum e arriscar, seja no âmbito profissional ou pessoal, geralmente requer muita preparação. A verdade é uma só: são poucas as pessoas que se sentem confortáveis com grandes mudanças, mas isso, necessariamente, não é uma coisa ruim.

Os processos de coaching são uma alternativa para quem quer superar uma barreira em sua vida, trocar de emprego ou fazer alguma outra grande mudança, mas não sabe como. Eles ajudam, de forma simples e direta, a transformar realidades em que o indivíduo não consegue perceber a possibilidade de mudança, e, consequentemente, não pode atingir a realidade positiva que ele deseja. De forma geral, pode-se dizer que o coaching é um acelerador de resultados.

Segundo a psicóloga e coach Cíntia Seabra, conhecida no Brasil inteiro pelo seu método de emagrecimento online “O Segredo do Emagrecimento em 8 Semanas”, o coaching é uma forma de aprimorar pessoas, desempenhos e resultados. “Muitas das dificuldades que as pessoas têm originam-se na mente, causando preocupações e prejudicando na tomada de decisões. O coaching faz com que você assuma o controle da sua vida ao ter mais segurança e comportamentos adequados para que ocorra a mudança de hábitos necessária para uma vida mais satisfatória”, afirma.

A profissional esclarece que o coaching pode acontecer de várias formas diferentes, para alcançar diversos resultados. Em sua empresa, Seabra Coaching, existem três tipos de processos: o Coaching de Vida, Coaching de Negócios e Coaching Executivo. “O primeiro é voltado para quem quer promover mudanças urgentes na sua vida pessoal ou profissional, como para emagrecer, planejar sua carreira ou melhorar seu relacionamento. Já o segundo é feito para quem precisa alavancar resultados rápidos nos negócios, como abrir um novo empreendimento, crescer ou inovar. Por fim, o executivo é direcionado a gestores, líderes e empresários que querem alcançar melhores resultados, administrando melhor seu tempo e gerenciando melhor o dia a dia corporativo, por exemplo”, explica Cintia.

O coaching tem uma taxa de aceitação muito grande atualmente, sendo amplamente aprovado por quem o utiliza, como é o caso de da produtora executiva sênior, Laura Lacerda Fonseca. “O coaching de Cintia me fez crescer como ser humano, já que eu estava estagnada profissionalmente e, com sua ajuda, pude me encontrar”, conclui.

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@seabracoaching.com.br e cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.seabracoaching.com.br e www.osegredodoemagrecimento.com.br

Retomando a vida sexual depois dos 50 anos

imagem_release_447488Conforme as pessoas vão envelhecendo, é normal que elas passem a ter relações sexuais com menos frequência, mesmo se a pessoa possuir um parceiro de longa data. De acordo com pesquisas na área de gerontologia, segmento da medicina que estuda as questões multidimensionais do envelhecimento e da velhice, se comparado aos homens, as mulheres têm três vezes mais chances de serem afetadas sexualmente por causa da idade, pelas alterações hormonais que caracterizam essa parte da vida.

Entretanto, os homens também sofrem com a idade, pois, a partir dos 50 anos, pode ser mais difícil ter e manter uma ereção por bastante tempo, também pelo fato de que os níveis de testosterona diminuem com a idade. De acordo com um estudo realizado pelo National Council on Aging (Conselho Nacional do Envelhecimento, em inglês) dos EUA, metade dos norte-americanos com mais de 60 anos tem relações sexuais pelo menos uma vez por mês.

Segundo a psicóloga clínica e hospitalar voltada à saúde do homem, Carla Ribeiro, que atua em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, o desejo sexual pode, sim, diminuir com a idade, mas ele não é o principal motivo pelo qual as pessoas têm menos relações sexuais a partir dos 50 anos. “Muitos fatores, tanto psicológicos quanto fisiológicos, podem atrapalhar o desejo sexual de alguém, e, por isso, existem muitas soluções para resolver esse problema. Por exemplo, para homens, remédios que corrigem disfunções eréteis podem ser usados para garantir um tempo maior durante o ato sexual, mas é preciso conversar com seu médico antes de realmente começar a usa-los”, explica.

A profissional também afirma que a falta de energia pode diminuir a vontade de ter relações sexuais. “A melhor maneira de contornar esse problema é não pensar no sexo como uma atividade atlética que demanda posições exuberantes ou que deva durar por horas. Procure enxergar o sexo como um momento de prazer para você e sua parceira, e tente fazer de tudo para que seja uma experiência relaxante, com massagens, carícias ou até mesmo banhos, já que essa é uma ótima forma de desestressar no final do dia”, observa.

Carla finaliza, esclarecendo que, de longe, a melhor forma de solucionar o problema da falta de sexo a partir dos 50 anos é falar com seu parceiro ou parceira. “O diálogo pode resolver muito mais do que se pensa, pois, dessa forma, é possível conhecer novamente a pessoa com que você decidiu dividir sua vida, e fazer com que os momentos íntimos voltem a ser não só frequentes, como também prazerosos para ambos”, conclui.

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Taquara,

Jacarepaguá – Rio de Janeiro/RJ.

A felicidade no trabalho existe?

imagem_release_445946No imaginário popular, o trabalho é tratado como algo penoso,que perdurará por sua vida toda, e que as pessoas acabam se acomodando em uma empresa onde não são felizes, apenas por estabilidade financeira.

Esse estigma de que o trabalho apenas serve para ganhar dinheiro deve ser acabado, pois, já que as pessoas passam boa parte das suas vidas trabalhando, deve-se procurar uma função que traga felicidade e, ao mesmo tempo, um bom sustento.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, a busca pela felicidade profissional é válida, apesar de não ser fácil. “O seu trabalho não pode ser tratado como algo negativo, onde você se sente preso e insatisfeito. Pelo contrário, o ideal é que você se sinta motivado para trabalhar, goste das suas funções e, claro, ainda esteja satisfeito com seu salário. Nenhum local de trabalho será 100% ideal, pois em qualquer lugar existirão falhas (um colega inconveniente, você poderia ganhar mais, não existe plano de saúde, etc), mas a pessoa deve sempre buscar sentir prazer pelo que faz”, explica.

A profissional afirma que a busca por uma vida material mais humana pode ser desenvolvida através do trabalho, desde que este seja realizado de maneira agradável. “Para uma pessoa se sentir feliz dentro do ambiente de trabalho, normalmente, considera-se cinco importantes fatores. O primeiro é o ambiente, que deve ser motivador e inspirador; imersão é o segundo fator, que é quando a pessoa se sente engajada e motivada para trabalhar. Reconhecimento, terceiro ponto, é quando há uma remuneração justa, além da consideração dentro do ambiente profissional. Os últimos dois fatores, equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, compõe o quadro que deixa a vida de qualquer pessoa mais satisfatória”, elabora.

Madalena finaliza, dizendo que, ao mesmo passo em que o profissional deve buscar ser feliz no ambiente de trabalho, é função dos superiores tornar esse ambiente agradável para todos. “Quando os colaboradores estão felizes, a empresa funciona melhor, gerando mais resultados para a empresa”, conclui.

Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Qual é a sua missão?

imagem_release_446397Que todas as pessoas são diferentes já sabemos, mas o que poucos percebem é que cada um, independente de religião, gênero, raça ou idade, possui uma missão no mundo. As pessoas acabam por mudar a própria vida, a de milhares de pessoas, outras mudam a vida de um número menor de gente, mas, nem por isso, deixam de ser menos importantes.

Segundo o que conta Andreia Rego, que trabalha com coaching e psicanálise, quando a pessoa sabe da sua missão, se torna possível identificar, ao longo do tempo, se ela tem se mantido fiel na manutenção de valores e na construção de ações que a levem a atingir suas metas, tanto pessoais, quanto profissionais. “Quando o indivíduo tem consciência sobre qual é a sua razão de estar vivo, ele se sente motivado para acordar todos os dias. Esse autoconhecimento nos dá a confiança e o estímulo para continuar buscando alcançar nossas metas”, conta.

Andreia explica que pensar sobre a sua “missão” traz energia e dinâmica para acreditar num futuro melhor. “Somos automaticamente impactados porque compreendemos nosso propósito, o que pode gerar uma perspectiva positiva para o amanhã”, esclarece.

A coach propõe o seguinte: que cada um procure responder as seguintes perguntas, de forma pausada e longe das outras pessoas, para que elas não influenciem suas respostas. Ela diz que o ideal é escrevê-las em um caderno de fácil acesso, para que se possa sempre observar algo que deva ser aproveitado/alterado.

  Confira:

  1. O que é mais importante na minha vida? Como me sinto em relação a isso?
  1. O que me deixa realizado? O que isso me proporciona?
  1. Qual é a minha vocação?
  1. Quais são os meus talentos?
  1. O que me dá mais felicidade?
  1. Quais são os meus principais valores? Enumere os 05 mais importantes para você (Exemplo: amor, humanidade, honestidade, paz, liberdade, conhecimento, etc.).

“Se você não se satisfizer com as suas respostas de hoje, não se preocupe; elas sempre podem mudar, conforme você amadurece como pessoa. Estando satisfeito e empolgado com suas respostas, junte-as em um só parágrafo, e determine qual é a sua missão. A partir daí, comece a trabalhar para que ela se realize!”, conclui a profissional.

Serviço: Andreia Rego

Psicanalista e Coach de Desenvolvimento Humano

Face: https://www.facebook.com/andreiasrego?ref=hl 

Instagram: Andreia Rego

Site: http://coachandreiarego.com.br/

E-mail: asrego@gmail.com

Celular: 21 99941.9950

O segredo para emagrecer é comer bem, e não pouco

61Muitas pessoas têm vontade de emagrecer, mas não sabem como fazer isso da forma adequada, talvez por falta de orientação ou informação, e acabam por prejudicar sua saúde. Alguns optam por exercícios exaustivos e não funcionais, outros (a maioria, na verdade), acabam por realizar dietas absurdas, que contribuem com o efeito sanfona e para a piora na saúde do indivíduo.

Diversos estudos indicam que a melhor maneira de emagrecer não é parando de comer ou exercitando-se de maneira intensa. A forma mais eficiente para perder peso é comendo de maneira adequada, a cada três horas, aproximadamente. Além disso, outras indicações para emagrecer com saúde incluem tomar água antes das refeições e durante o dia (pelo menos 2L diariamente), comer mais produtos orgânicos e diminuir o consumo de álcool. De maneira geral, comer em menores porções com maior frequência no dia é um bom jeito de alcançar o peso desejado sem colocar sua saúde em risco.

Segundo a coach de emagrecimento e psicóloga Cintia Seabra, o problema das pessoas que querem emagrecer e não conseguem é o descontrole perante a comida. “Nós, os seres humanos, desejamos as coisas, e isso não é errado. O problema está em não conseguir se controlar diante desses desejos, e sabotar seu desejo maior: a perda de peso”, afirma a profissional.

Cintia explica que a comida funciona como uma forma de preencher um vazio dentro de si quando não a pessoa não consegue realizar algum desejo. “Por exemplo, quando a pessoa tenta alcançar algum objetivo mas enfrenta obstáculos que não permitem que isso aconteça, a comida se torna a compensação mais acessível. Por isso, as pessoas acabam por utilizar o alimento como forma de preencher de maneira satisfatória, imediata e rasa”, esclarece.

A coach finaliza, observando que o problema não são os desejos que a pessoa sente, mas, sim, o modo como ela lida com eles. “Quando se come de maneira adequada, é possível suprimir os desejos e, ao mesmo tempo, emagrecer. Para perder peso, não é necessário morrer de fome, mas, sim, aprender a comer da maneira adequada e gerenciar melhor a vida de forma geral”, conclui.

Saiba mais no vídeo:

www.osegredodoemagrecimento.com.br/nao-e-seu-desejo-por-comida-que-te-atrapalha-a-emagrecer/

 Serviço: Cintia Seabra

 Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

 cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

 http://osegredodoemagrecimento.com.br

Aprenda a dizer não

imagem_release_439030No dia a dia, é comum que as pessoas esqueçam dos seus próprios desejos para atender as vontades dos outros, principalmente pela correria diária presente na sociedade. É normal que pais e mães deixem de fazer uma coisa ou outra para atender seus filhos, assim como, na empresa, as vezes é preciso parar alguma atividade para fazer algo para seu chefe. O problema surge quando as pessoas perdem sua própria autonomia, e não conseguem dizer não para os outros, esquecendo-se de si próprios.

O ato de dizer não parece fácil para muitas pessoas, mas, para outras, é um verdadeiro desafio. De acordo com especialistas, a característica de falar não surge ainda na infância, lá pelo 15º mês de vida, quando o bebê começa a buscar sua independência da mãe. Ao falar não, especialmente nessa fase entre um e dois anos de idade, a criança procura se emancipar, ainda que de maneira limitada, da figura materna. É nesse momento em que, sutilmente, se descobre a figura do “eu”.

Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, quando uma pessoa diz não para algo, ela, na verdade, está, ao mesmo tempo, dizendo sim para si mesmo. “Se uma pessoa lhe encoraja a beber, mas você não está sentindo vontade e recusa, você, ao mesmo tempo, está dizendo sim à sua autonomia, respeitando a si mesmo”, explica.

O profissional fala que, ao aprender a dizer não, a pessoa evita ser vítima de quem sabe dizer sim. “Se o indivíduo não souber se posicionar dentro do ambiente de trabalho, por exemplo, os colegas sempre passarão por cima dele, por serem mais autoritários e assertivos. Isso pode causar estresse, levando a pessoa a se sentir sobrecarregada, quando não há necessidade para isso”, comenta.

Quando as pessoas começam a dizer sim para si mesmas, é possível que aja uma reestruturação do próprio indivíduo. “A partir do momento em que a pessoa toma as rédeas de sua vida e começa a valorizar seus próprios gostos, preferências e sentimentos, ela consegue aprender a dizer não para os outros, e se reestruturar internamente. No fundo, não se trata de aprender a dizer não, mas a valorizar o próprio ‘sim”, conclui Borba.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Você tem uma carreira ou um emprego?

imagem_release_435246Algumas pessoas têm empregos. Já outras, e essas são, geralmente, mais realizadas com suas vidas, têm carreiras. A diferença entre um e outro não é tão sutil quanto se pode pensar: o primeiro é apenas uma fonte de renda, que você usa apenas para pagar as contas, mesmo não estando satisfeito com sua função, o segundo é uma realização, algo por que você lutou e luta muito para que se torne realidade, e que envolve dedicação, estudo e muita, mas muita competência.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, muitas pessoas se acomodam ao encontrar um emprego que supre suas necessidades financeiras, mesmo que ele não lhe dê tanta satisfação, e deixam suas carreiras para trás. “A carreira- uma série de empregos que culmina em uma realização maior- é, infelizmente, perseguida por todos. O que acontece é que muitos profissionais que possuem uma grande capacidade acabam por se acomodarem em uma empresa onde não são felizes, e só estão lá para cumprir horário e pagar as contas”, observa a profissional.

Entretanto, de acordo com o que explica a coach, as pessoas só percebem que possuem um emprego depois de muito tempo. “Quando você para de se sentir desafiado, e é recompensado por fazer nada além do que te pediram, tenha certeza: você está em um emprego, não uma carreira”, conta.

Madalena explica que diversos são os fatores que fazem com que uma pessoa se acomode: crises financeiras, problemas pessoais, etc., mas que, mesmo assim, não se pode abandonar seus sonhos de ter uma carreira próspera e satisfatória, por mais que a situação não esteja boa, em determinado momento. “Agarrar-se à sua vocação profissional é muito importante, pois, por meio dela, as pessoas podem se realizar, e, com isso, executar um trabalho muito melhor, já que, quando gostamos de algo, nos empenhamos muito mais”, lembra a coach.

Ela finaliza, propondo uma reflexão para todos: você é feliz tendo apenas um emprego? O que aconteceu com seus sonhos de construir uma bela carreira, da qual você poderia se orgulhar? Afinal, você tem uma carreira ou um emprego?

Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Vigilância: profissão de valor

imagem_release_418844No dia 20 de junho comemora-se, no Brasil, o Dia Nacional do Vigilante. Essa data foi a escolhida para comemorar o trabalho dessa categoria, pois em 20 de junho de 1983 foi sancionada a Lei 7102/1983, que regulamenta a profissão. Segundo dados da Confederação Nacional de Vigilantes e Prestadores de Serviços (CNTV), existem, no Brasil, cerca de 1,8 milhões de profissionais nessa categoria, o que movimenta mais de R$15 bilhões por ano.

Apesar de estarem presentes em diversos segmentos da sociedade, essa classe luta, até hoje, por alguns direitos básicos, que outros contribuintes têm como a aposentadoria especial aos 25 anos de serviço para toda categoria e o tratamento igual a qualquer outro trabalhador, seja ele empregado direto ou terceirizado.

Essa última reivindicação é uma das mais importantes para a classe, segundo o que afirma o empresário Eraldo Melo. Ele possui cinco empresas no ramo de prestações de serviços, que vão desde a limpeza até a vigilância, e entende como essas pessoas se sentem. “Acontece que muitos vêem o trabalho do vigilante como dispensável, pois acreditam que ele não é tão importante para o bom funcionamento de uma empresa. Pelo contrário, eles são essenciais, pois garantem que todos tenham segurança para trabalhar com tranquilidade”, afirma.

Outro fato importante que Melo destaca como uma vitória da classe é o fato de que esses profissionais conseguiram ter seu direito do adicional de periculosidade reconhecido. “Esse adicional é concedido para cargos que envolvem acidentes, sejam químicos, biológicos ou físicos. Apesar de muitos vigilantes não utilizarem armas de fogo em seus trabalhos, nunca se sabe o que o assaltante pode portar, por exemplo”, observa. Como a classe lida todos os dias com a possibilidade de sofrer atentado à vida, sempre foi essencial que eles sejam protegidos em todos os âmbitos legais. Esse adicional foi concedido em 2012, com a alteração do artigo 193 da CLT, proposta pela Lei nº 12.740,

“Sempre é bom lembrar que, pelo menos segundo a minha experiência pessoal, os vigilantes estão constantemente realizando cursos, participando de palestras e de especializações, para serem sempre capacitados a atender como lhes é esperado”, fala. O empresário ainda destaca que os vigilantes fazem um serviço duplo. “Além de protegerem o patrimônio público ou privado, eles ainda prezam pela vida das pessoas que se encontram nesse espaço. Tal função deve ter sua importância reconhecida, para que esses profissionais possam exercer seus cargos com dignidade e disposição”, conclui.

Serviço: Eraldo Melo

Ex Faxineiro, Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

Fone: (64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

5 dicas para revolucionar sua empresa

90Todos os anos, milhares de pessoas abrem suas próprias empresas no Brasil e no mundo, seguindo suas vontade de se tornarem seus próprios chefes. Entretanto, a cada 100 empresas que são abertas no país, 48 encerram suas atividades em, no máximo, três anos.

Para ter um negócio bem sucedido, segundo Jonathan Souza, um dos fundadores da Agência Publicidade Popular, de Porto Alegre, é preciso seguir algumas regras. “Neste mercado altamente competitivo, é preciso revolucionar a forma como as empresas se relacionam com os clientes e oferecem seus produtos, por exemplo”, afirma.

Souza oferece algumas dicas que prometem ajudar empresários a sobressaírem seus negócios, entregando resultados diferenciados para seus clientes. Confira:

1.   Conheça seu consumidor

Parece simples, mas muitos ignoram que conhecer quem está comprando seu produto ou desfrutando do seu serviço merece toda a sua atenção. Perceba a maneira com que eles compram, quais produtos que eles gostam mais e quanto eles gastam. Dessa forma, você poderá agradar de uma forma mais eficiente os seus clientes;

2.   Adapte-se aos novos públicos

Os consumidores querem empresas que oferecem liberdade e conveniência. Procure encontrar um meio termo que una ambas essas características, tentando atender uma demanda diferente da tradicional, ou seja: entrando em contato com clientes novos;

3.   Esteja online

“Estar online” não é só possuir um site com uma sessão “fale conosco”. As mídias digitais, como o Facebook, estão se mostrando cada vez mais essenciais para empresas que querem ter liderança de mercado, tanto no Brasil como no mundo. Mas não pense nem por um segundo em deixar seu site, blog ou fan page parado: para que o cliente se identifique com a marca, é preciso que a empresa sempre poste conteúdo relevante, que agrade o cliente, tornando-se parte do seu dia a dia;

4.   Pense no amanhã

Claro que todos pensam no futuro, mas você já parou para imaginar como será o amanhã da sua empresa? Esse exercício permite que os empresários pensem em diversos cenários possíveis, o que leva a reflexões sobre como sair de crises, inovar ou se destacar de maneira diferenciada, por exemplo, gerando um brain-storming que expande o conhecimento sobre seu próprio negócio;

5.   Seja flexível

As novas gerações tendem a pensar muito no equilíbrio entre a vida profissional e o trabalho, e a possibilidade de ter essa flexibilidade influencia muito na hora de contratar uma empresa para fazer determinado serviço, por exemplo.

Além disso, oferecer essa flexibilidade de horários aos seus colaboradores também é uma forma de manter um ambiente de trabalho mais feliz e produtivo.

Serviço: Publicidade Popular

Sites: www.publicidadepopular.com.br

E-mail: contato@publicidadepopular.com.br

Você está pronto para uma promoção?

imagem_release_442399A busca por um emprego duradouro, onde se possa permanecer por muitos anos, é válida. Entretanto, o que causa infelicidade em muitas pessoas, é o fato de que elas não mudam de cargo por um grande período de tempo, o que faz com que as mesmas funções acabem se tornando massivas.

Ao mesmo tempo, essas pessoas não fazem ideia de como mudar sua situação, e tornar a vida na empresa agradável novamente. Segundo o empresário e palestrante motivacional Eraldo Melo, a primeira atitude que deve ser tomada é fazer bem o seu trabalho sempre, realizando até mais do que lhe é pedido, para impressionar seus superiores. “Acredito que outro ponto importante é começar a treinar alguém que você julgue ser capacitado para substituí-lo, quando à hora chegar. Desse modo, seus superiores ficarão duplamente impressionados: pelo bom trabalho que você vem exercendo e pela sua pró-atividade em procurar alguém que possa tomar seu lugar”, explica.

Ele, que é dono de cinco empresas nos ramos de serviços gerais e vigilância, afirma que o mais importante dentro de um trabalho é fazer algo que o deixe feliz. “Caso você não encontre essa felicidade no ambiente de trabalho, a melhor coisa a se fazer é buscar novos ares, seja dentro da mesma empresa, com uma função diferente, ou em outro local. O colaborador deve demonstrar aos seus superiores que suas habilidades e ideias podem alavancar novos negócios, beneficiando a empresa em si”, esclarece.

O empresário observa que, normalmente, na hora de oferecer uma promoção à alguém, os superiores analisam se esta pessoa está realmente pronta para exercer esse cargo. “É preciso levar em conta se o colaborador pode acarretar em pontos positivos para a empresa, bem como se ele deseja realmente crescer na empresa, pois, às vezes, as pessoas afirmam que querem crescer, mas não estão psicologicamente prontas para isso”, pontua.

Melo finaliza, lembrando que as empresas não se interessam por quem só quer ganhar dinheiro. “Os superiores se prestam atenção em quem faz a diferença nas funções, sabendo diferenciar daqueles que só pensam no lucro financeiro. Tudo isso é levado em conta na hora de tomar a decisão. Por isso, se atente para suas atitudes no ambiente de trabalho, pois suas atitudes hoje podem colher frutos amanhã”, conclui.

Serviço: Eraldo Melo

Ex Faxineiro, Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

Fone: (64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

O lado positivo da desorganização

89Muitas pessoas tendem a acreditar que quem é mais organizado é bem sucedido, ao passo que quem não consegue manter as coisas no lugar são criticadas. Porém, não manter a mesa ou o armário constantemente organizados não é tão ruim quanto parece, pois, segundo pesquisas, pessoas desorganizadas são mais criativas.

De acordo com um estudo realizado em 2013 pela Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos, pessoas que possuem quartos, escritórios e mesas bagunçadas possuem a tendência de serem mais inventivas do que quem tem mania de deixar tudo impecavelmente organizado. Não se trata, nesse caso, de deixar a higiene de lado, permitindo que o lixo se acumule, por exemplo, mas, sim, deixando a já conhecida “bagunça organizada” acumular, que pode ser bem-vinda para muitas pessoas.

Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, sinais de que a pessoa lida bem com a bagunça organizada podem ser percebidos facilmente no dia a dia de cada um. “Por exemplo, se a sua mesa for bagunçada, mas você ainda tiver total controle sobre ela, pode indicar que seu nível criativo é elevado. A criatividade pode ser notada, também, em casos em que a pessoa mais desorganizada é a mais metódica”, observa.

O profissional lembra que ambientes desorganizados podem estimular a criatividade, pois faz a pessoa pensar fora das linhas de raciocínio tradicional. “Personalidades influentes, e que causaram um grande impacto no mundo, como Albert Einstein e Steve Jobs, por exemplo, eram conhecidas por não serem organizadas, e acredita-se que isso pôde influenciar na suas capacidades criativas”, explica.

Borba finaliza, lembrando que, para quem é desorganizado, encontrar um equilíbrio entre a desorganização e a urgência de limpeza é muito importante, para que seu local de trabalho ou descanso ainda possa ser saudável, ao mesmo tempo em que se mantém dentro do padrão de cada um.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

O amor próprio e o emagrecimento

5Todos os dias, as pessoas fazem julgamentos de valor. Elas julgam seus colegas de trabalho, a situação atual do país, as suas escolhas diárias, mas, principalmente, julgam a si mesmas. Entretanto, o julgamento que elas fazem de si mesmas não é sobre o curso de sua vida ou se ela deveria estar fazendo coisas melhores com seu tempo livre, por exemplo, mas, sim, sobre sua aparência.

Para quem julga estar acima do peso ou não ser bonita o suficiente, esses julgamentos podem ser um soco no estômago. Segundo Cintia Seabra, psicóloga e coach de emagrecimento que é referência nacional na área, as pessoas tendem a pensar, quando se olham no espelho, sobre o que os outros estão achando delas, e não sobre a sua imagem em relação a si mesmas. “As pessoas tendem a criar opiniões boas sobre os outros e ter opiniões degradantes sobre si mesmas. É preciso saber se amar mais, pois, quando nos amamos, permitimos que os outros nos amem, também”, afirma.

Ela lembra que não se pode querer emagrecer tendo em mente o que os outros pensam de nós, e, sim, ter o desejo de mudança para se agradar. “As vezes esquecemos disso, mas as pessoas que gostam da gente de verdade olham além da estética, por mais que, muitas vezes, nós mesmas façamos isso.  Pensar pouco de si mesma não ajuda em nada na sua vida, pois, por mais que as coisas não estejam boas hoje, amanhã elas podem estar ótimas, e sempre devemos almejar a mudança com a esperança de um futuro mais feliz”, explica.

Cintia, que já ajudou milhares de brasileiros a emagrecer com seu programa de emagrecimento online, O Segredo do Emagrecimento em oito Semanas, pontua que as pessoas são muito maiores do que a imagem que é refletida no espelho, e, por isso, o desejo de mudar e perder peso deve vir de dentro, por vontade própria de se sentir mais feliz consigo mesma.

A coach finaliza, observando que, para se motivar para emagrecer, a pessoa em questão deve sempre procurar pensar no que o emagrecimento trará de bom na sua vida, no sentido de se sentir bem consigo mesma. “Se livre do peso do seu julgamento e da sua opinião negativa sobre si própria, e faça suas escolhas visando a sua própria felicidade, e não a dos outros”, conclui.

Saiba mais no vídeo: www.youtube.com/watch?v=EoMtx3x5eD0Serviço

Cintia Seabra

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

É preciso falar sobre o lixo

imagem_release_397979Anualmente, os brasileiros jogam fora 76 milhões de toneladas de lixo. Dessas, 30% poderiam ser reaproveitadas, mas somente 3% são encaminhadas para centros de reciclagem. Nos últimos dez anos, o número de municípios que realizavam a reciclagem saltou de 81 para 900 – número expressivo, porém que não representa nem 20% das cidades do Brasil. O potencial que o país tem para reciclagem é imenso, mas não é bem aproveitado, e isso acarreta em danos gravíssimos para o meio-ambiente.

Cada vez mais, as pessoas utilizam embalagens e produtos industrializados dentro de suas casas, e a forma de consumo está diretamente relacionada com a alta produção de resíduos gerados. Segundo Eraldo Melo, Presidente do Grupo Conservar, empresa que terceiriza serviços, a coleta específica para o lixo orgânico e inorgânico dos lares é um grande desafio. “As pessoas precisam ser conscientes quando se fala em separação de lixo. Muitas vezes, cabe a quem faz a manutenção da casa ou condomínio realizar uma análise para checar se há lixo reciclado juntamente ao orgânico, porém, isso nem sempre é possível, visto que o risco de contaminação ou acidentes pode ser alto”, afirma.

O empresário explica que o manuseio do lixo requer treinamentos específicos, para que não haja perigo para o colaborador, e a coleta seja realizada da maneira correta. “Caso o colaborador não receba o treinamento adequado, os riscos podem afetar a sociedade em geral. Imagine: se o funcionário não receber e seguir as orientações corretas, ele não poderá separar o lixo corretamente, deixando de contribuir para a reciclagem de diversos resíduos. Assim, a natureza sofrerá, e nós também, pois tudo que é sentido lá é sentido aqui também, e, geralmente, em proporções muito maiores e desastrosas”, elabora.

Melo acredita que, por mais que a coleta específica para o lixo orgânico e inorgânico possa ser um desafio para os moradores e administradores de determinada área (de um condomínio fechado, por exemplo), ela deve ser realizada e defendida a todo custo. “Os síndicos têm o trabalho de conscientizar seus condôminos sobre a importância da separação da produção de resíduos, lançando reflexões sobre o problema e ampliando discussões sobre a gestão do lixo”, explica.

O empresário finaliza, lembrando que as pessoas não só podem como devem se adequar aos novos tempos, em especial à questão ecológica. “Os problemas ambientais não são mais algo que acontecerá no futuro, eles acontecem aqui e agora, e precisamos nos mobilizar como um todo para combatê-los. Cuidar do lixo produzido já é um ótimo começo, e até ações pequenas podem ser significativas, como separar suas lixeiras por cor e resíduo, por exemplo. Ressalto a importância de contar com pessoal treinado para esta tarefa, para cuidar tanto das pessoas, quanto do meio ambiente”, conclui.

Serviço: Eraldo Melo

Ex Faxineiro, Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

Fone: (64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

Terapia, sinônimo de saúde

imagem_release_436434Mesmo em pleno século XXI, muitas pessoas, talvez influenciadas pelo modo como a mídia (filmes, televisão, etc) trata o tema, entendem que apenas pessoas que não estão normais fazem terapia. Ou seja, no imaginário popular, apenas os loucos e desequilibrados precisam de ajuda profissional.

Na verdade, segundo especialistas, não existe nada de errado em alguém querer ou precisar de ajuda. Com tantas pressões e angústias que a vida cotidiana pode trazer, o ato de procurar uma terapia é completamente saudável. A verdade é que saúde mental é algo que poucos entendem ou sentem compaixão sobre, já que, segundo pesquisas, 25% de pessoas com doenças mentais acreditam que os outros sentem compaixão por elas. Muitas pessoas, que não se aprofundam ou se interessam pelo assunto, acreditam que as doenças mentais são algo que está “dentro da cabeça do indivíduo”, e que ele deveria se livrar delas sozinho.

Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, o “pouco caso” com doenças mentais não é apenas uma questão social, pois esse estigma é uma barreira que impede as pessoas de buscarem tratamentos adequados. “É tão comum que as pessoas vão ao médico ao menor sinal de gripe, então por que não ir ao psicólogo para cuidar da sua parte emocional? Afinal, ela é tão importante quanto a parte física, para o bom funcionamento do seu corpo”, afirma.

Ele observa que grande parte das pessoas que procuram ajuda psicológica não tem doenças mentais sérias, mas, sim, estão enfrentando alguma dificuldade ou transição nas suas vidas, e precisam de um apoio maior nesses momentos. “Muitas vezes, na verdade, a pessoa só quer alguém que a escute sem fazer juízos de valor e que a possa aconselhar quando necessário”, comenta.

Borba finaliza, explicando que fazer terapia pode ser benéfico para seu bem-estar, dando uma nova perspectiva para a sua realidade, seus problemas, seus relacionamentos, etc. “Muitos pensam que a ajuda psicológica é para sempre, mas não é bem assim. Apesar de certas terapias serem, realmente, de longo prazo, o objetivo principal desse processo será o da sua melhora pessoal, mudando o jeito como você encara seus problemas, e trabalhando para que sua vida se estabilize”, conclui.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

A banalização do “eu te amo”

imagem_release_438565Com o Dia dos Namorados se aproximando, as lojas começam a intensificar suas propagandas de venda de produtos voltados para a data, começam a brotar textos nas redes sociais sobre o assunto, e as pessoas parecem querer arranjar alguém para dizer “eu te amo” mais do que qualquer outra coisa.

Atualmente, seja pelo status de ter alguém para amar, seja por medo de ficar sozinho (a), as pessoas parecem desesperadas para ter seus sentimentos por alguém comprovados, ou, então, querem que o cônjuge reforce esse amor constantemente. Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, o que acontece hoje em dia é uma banalização do “eu te amo”. “Por mais que não possa parecer, cada vez mais as pessoas se esforçam para sentir algo que (ainda) não existe. Não podemos falar aquilo que não sentimos, ou seja, não há porque apressar o ‘eu te amo’ em uma relação”, afirma.

Ele explica que não é saudável falar por falar, pois isso acarreta no desgaste da relação. “Não deve ser pensado em quantidade, mas, sim, em qualidade. Não obrigue seu cônjuge a falar, deixe que ele se expresse à sua própria maneira. A consistência do sentimento é mais importante do que a frequência, então o ideal é falar quando o ‘eu te amo’ vem naturalmente, não quando ele é solicitado”, comenta.

O psicólogo diz que é preciso que as pessoas saibam avaliar o que é o amor, e como ele é percebido no dia a dia do casal. “Lembro-me de um casal que atendia; quando fiz a pergunta ‘o que é amor para você’ o marido respondeu que era quando acordava, seu café já estava o esperando, e sua mulher estava levando as crianças para a escola. Já para ela, era quando sentia que recebia atenção e carinho do seu companheiro ou quando faziam programas que ela escolhia. Desse modo, expliquei que são nesses momentos em que eles se sentem amados que o ‘eu te amo’ deve ser falado, pois, assim, ambos irão se sentir bem na relação já que o sentimento se encontra presente naquele instante”, explica. Ele ainda recorda que, nesse caso específico, após o casal passar a entender os momentos em que se sentiam felizes na relação, eles começaram a reproduzir com mais vezes essas atitudes que faziam com que ambos se sentissem amados, tornando a relação mais prazerosa e íntima.

Borba finaliza, dizendo que nunca deve-se exigir que a outra pessoa faça ou diga algo de maneira forçada. “Esse tipo de reação é infantil,pois exclui a liberdade do outro. Quando a pessoa se sente livre e sem cobranças, o sentimento flui naturalmente, o que revela-se ser bom tanto para um, quanto para o outro”, conclui.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Você tem medo de mudanças?

77Mudar é algo que fazemos com tanta naturalidade que, as vezes, nem percebemos. Claro, as mudanças que passam despercebidas são pequenas, como a marca do shampoo, a rota para casa, e o programa de televisão favorito. As verdadeiras mudanças, que impactam de modo significativo na sua vida, são feitas com muita preparação, pois representam marcos importantes.

Mudar de casa, mudar de escola, mudar de emprego, e, por que não, de peso, também. As pessoas têm medo de exercer essas mudanças, se auto-sabotando de alcançar uma situação de vida melhor e mais saudável. De acordo com a psicóloga e coach de emagrecimento, Cintia Seabra, os medos, geralmente, interferem nos desejos de cada um. “É preciso sempre pensar o que você quer para sua vida, e qual é o motivo que você tem para deixar o medo te impedir de realizar seus sonhos”, comenta.

Ela explica que, para alguns, é um sentimento de ficar paralisado por achar que não vai conseguir alcançar seus objetivos. Já, para outros, é o medo do desconhecido. E, para mais um pouco de gente, é o puro medo da felicidade. “Muitas pessoas que chegam até mim estão bem claras sobre o que precisam e quanto querem emagrecer, mas, no meio do caminho, acabam descobrindo que têm medo da mudança, e desistem”, lamenta Cintia, que é referência nacional na sua área, por meio do seu programa de emagrecimento online, O Segredo do Emagrecimento em oito Semanas.

Segundo o que a coach afirma, é preciso ter clareza das coisas que precisam ser mudadas, para, então, conseguir emagrecer de vez. Ela ainda complementa, esclarecendo que um bom acompanhamento profissional pode mudar sua vida, e que não é necessário estar sozinha nestes momentos de mudança. Viviane Zelante é uma destas pessoas que percebeu a importância de atingir seu peso desejado, e, hoje, é uma das participantes do programa O Segredo do Emagrecimento em oito Semanas. “São semanas que abalam seu emocional, mas que te mostram uma força interna estupenda, que nem você sabia que tinha. Hoje, percebo que sou uma pessoa extremamente forte, e que nada pode me parar de alcançar meus objetivos”, assegura.

Cintia finaliza, explicando que o mais importante, para iniciar a jornada rumo ao emagrecimento, não é o “como”, mas sim o seu motivo para querer emagrecer. “Assuma seus desejos, identificando o que você quer para sua vida. Após isso, lute até chegar ao seu peso ideal, e se mantenha firme nele”, conclui.

Saiba mais no vídeo: www.youtube.com/watch?v=OV6YYi1U1ck

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

5 dicas para melhorar a organização financeira pessoal

imagem_release_436176Quem conhece o Coaching Financeiro sabe que o processo ao qual o profissional se submete ajuda, e muito, na organização de finanças pessoais. Essa metodologia atua na investigação dos pontos frágeis que todos os indivíduos têm, avaliando seus pontos fortes e fracos, além de considerar qual é o orçamento real que cada um possui, para que a pessoa aprenda a viver dentro do que lhe é permitido.Segundo Andreia Rego, que trabalha com coaching e psicanálise, ter controle financeiro, atualmente, não é impossível como muitos dizem. “Sabendo como conduzir melhor essa tarefa, é possível ter uma maior noção sobre o que se tem gastado e poupado, ampliando sua noção sobre seu próprio dinheiro”, afirma. Ela ainda lembra que o dinheiro vai muito além de administrar entradas e saídas, pois ele está ligado aos valores pessoais de cada um, ao seu estado emocional para lidar com isso, e as metas de vida que cada um tem.

Andreia explica que, nos seus atendimentos relacionados ao Coaching Financeiro, é possível perceber que seus clientes até têm noção das reservas e gastos, mas que isso nem sempre resulta em uma organização financeira eficaz. “Outros, ainda, não chegam a se preocupar com esse tipo de controle, e só percebem o quanto gastaram quando já é tarde demais. Isso tudo por falta de planejamento prévio”, pontua.

A coach oferece algumas dicas para quem se preocupa com uma vida feliz e estável financeiramente, confira:

  1. Organize numa planilha ou aplicativo as entradas (receitas) e saídas (despesas) mensais;
  2. Crie meta de médio/longo prazo, estipulando valor que deseja guardar por mês, conforme valor que deseja ter no final desta meta. Lembre-se: meta tem prazo para começar e terminar;
  3. Avalie se os gastos com supérfluos estão em excesso e deixe apenas os que fizerem sentido;
  4. Evite criar despesas altas no cartão de crédito e, se usá-lo, pague valor total, nunca mínimo;
  5. Evite cheque especial. Com administração eficaz não é necessário usar esse produto.

Ela finaliza, esclarecendo que esse é só o início, pois, com o Coaching Financeiro, muitas ferramentas e ações são dinamizadas, mapeando os pontos fortes individuais e fortalecendo motivações para uma melhor gestão financeira.

É importante revisitar valores internos para mudar hábitos financeiros. Manter uma vida com qualidade e equilíbrio financeiro requer viabilizar redução de despesas desnecessárias, aumento dos ganhos, pesquisa de investimentos que façam o dinheiro crescer e, acima de tudo, construção sábia de um futuro rentável.

Serviço: Andreia Rego

Psicanalista e Coach de Desenvolvimento Humano

Face: https://www.facebook.com/andreiasrego?ref=hl 

Instagram: Andreia Rego

Site: http://coachandreiarego.com.br/

E-mail: asrego@gmail.com

Celular: 21 99941.9950

Em um ano difícil, diferenciar-se é essencial

imagem_release_423573O ano já começou, e está praticamente na metade, e as previsões apenas confirmam: 2015 será (e está sendo) um ano difícil para a economia brasileira. Alguns falam em uma crise duradoura, outros falam que o PIB crescerá pouco (ou nada), já mais uma meia dúzia afirma que os juros serão altíssimos e que o dólar chegará a R$5,00.

Em meio a este cenário de recessão, demissões e uma reorganização interna em empresas é comum, afinal, ninguém quer ficar no vermelho. Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, em tempos de crise a primeira coisa a ser feita é não perder a cabeça. “Manter a calma e ter uma atitude positiva, e não conformista, ajuda os profissionais a se destacarem e a colher esses frutos quando a crise passa. Por enquanto, existem mais previsões do que certezas, e, por isso, esta é uma boa hora para identificar as oportunidades e se destacar no mercado”, afirma.

Ela explica que é em anos difíceis que os bons profissionais podem ser identificados. “Em anos bons, todos podem prosperar, por mais sorte do que juízo, o que permite que muitos se deem bem, mesmo não sendo tão competentes. Em anos difíceis, como o nosso atual, é preciso ser um verdadeiro profissional e provar seu valor, beneficiando a empresa e a si próprio, também”, pontua. A profissional ainda lembra que em cenários como estes, os consumidores também se tornam mais exigentes, por perceber que seu dinheiro possui muito valor. Ou seja, mesmo com o poder de compra diminuído, os clientes querem investir da maneira correta, em empresas e produtos que tenham qualidade e bom atendimento.

Madalena sugere que, neste ano, os profissionais busquem se diferenciarem no mercado de trabalho. “Participar de oficinas, palestras, cursos de aprimoramento de habilidades, por exemplo, ajuda o profissional a se destacar, tanto dentro da própria empresa, quanto para o mercado externo”, conta. A coach fala que pensar diferente, para buscar soluções dentro do ambiente empresarial pode mostrar pró-atividade. “Se a perspectiva da empresa é ganhar menos, por exemplo, o funcionário pode pensar em maneiras de ganhar em produtividade, por exemplo”, exemplifica.

A diretora geral lembra que os superiores sempre desejam números mais expressivos, e que isso só é conseguido com pessoas tecnicamente preparadas, e espiritualmente motivadas para isso. “Para os superiores, investir nas pessoas certas é o melhor caminho, e, para os colaboradores, investir em si mesmo também é garantia de sucesso. De maneira geral, buscar se superar, mostrar suas ideias e manter a cabeça calma é o melhor caminho para atravessar essa crise”, finaliza.

Serviço: Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Uma lição de empreendedorismo

7Os zeladores, faxineiros e auxiliares de serviços gerais estão presentes em todos os segmentos das vidas cotidianas de absolutamente todo mundo, e, mesmo assim, por diversas vezes, esses valorosos profissionais não recebem o respeito e a admiração que merecem.

O que muitas pessoas não percebem, é que, sem estes profissionais, a vida seria uma bagunça; do mesmo modo como, sem um professor ou motorista de transporte público, a cidade para, sem os profissionais da limpeza viveríamos em meio a nossa própria sujeira, o que tornaria a convivência impossível, especialmente nas grandes cidades.

Além disso, em diversos ambientes de trabalho, chega a acontecer desrespeitos por parte de superiores, na hora de se relacionarem com funcionários que prestam serviços gerais. Eraldo Melo, entretanto, é a prova viva de que esta situação pode ser mudada. O agora empresário começou sua carreira em uma das cinco empresas que hoje possui como Auxiliar de Serviços Gerais, sendo promovido, pouco tempo depois, a Encarregado de uma equipe de 10 pessoas. Segundo ele, seus colaboradores eram extremamente desmotivados a irem trabalhar, o que ocasionava muitas faltas e baixa produtividade, e, uma das maiores reclamações deles era que seus superiores se quer lhes davam “Bom dia”, e, muito menos, elogiavam seu desempenho, quando eles cumpriam sua tarefas ou obrigações acima do esperado.

Melo resolveu esta situação ao se reunir mensalmente com seus colaboradores, para que pudessem discutir sobre o trabalho e as melhorias que deveriam ser feitas no setor. A partir disso, os funcionários se tornaram mais motivados, desempenhando seus papeis de maneira mais eficiente e produtiva. Dessa maneira, a empresa, utilizando os treinamentos oferecidos pelo empresário, conseguiu mais credibilidade com seus antigos clientes, além de novos contratos, pois demonstrou o seu verdadeiro valor humano.

Segundo o empreendedor, “cada função tem o seu valor, por isso, não podemos subestimar a capacidade ou o trabalho de ninguém. O faxineiro de hoje pode ser o chefe de amanhã, mas, independente disso, a gentileza é indispensável. Afinal, educação é algo que vem do berço”, conclui.

Serviço: Eraldo Melo

Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

(64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

Você tem fome de quê?

87Segundo dados de 2013 do Ministério da Saúde, aproximadamente 50,8% da população brasileira sofre com sobrepeso, o que significa que muitas pessoas não conseguem controlar o quanto comem, causando o ganho de peso.

Entretanto, de acordo com Cíntia Seabra, coach de emagrecimento que é referência nacional na área, existem dois tipos de fome, e para emagrecer mais rápido é fundamental saber qual é o tipo de fome que te domina. “Existe a fome física, que é a mais fácil de reconhecer, pois ela aumenta gradualmente, causa desconforto corporal e ruído no estômago. E também há a fome emocional, mais difícil de ser identificada e driblada. A fome emocional aparece do nada e tem senso de urgência, mesmo que você tenha acabado de fazer uma refeição”, afirma.

Ela explica ainda que a fome emocional se caracteriza pela vontade incontrolável de comer, mesmo que não haja o desconforto físico (que geralmente aparece duas ou três horas após uma boa refeição), e este tipo de fome existe para suprir uma necessidade maior da sua vida, seja uma falta de atenção, uma compensação por causa de uma situação ruim, etc. “As pessoas sentem esse tipo de fome, e nem percebem que estão comendo, pois realizam esse ato enquanto assistem TV, navegando na Internet ou dirigindo, por exemplo. Esse tipo de fome está no piloto automático, a pessoa come, mas não se sente saciada”, observa.

A coach, que é conhecida por todo o Brasil pelo seu programa de emagrecimento online, chamado O Segredo do Emagrecimento, finaliza, dizendo que a pessoa que deseja emagrecer deve, primeiramente, tomar consciência da sua vida, para entender quais mudanças devem ser realizadas. “A fome emocional pede por uma mudança de vida, ou seja, para gerenciar seu peso é preciso, primeiramente, gerenciar sua vida”, conclui.

Saiba mais no vídeo:www.youtube.com/watch?v=yklvjzzSyc8&feature=youtu.be

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach e ​​Psicóloga Clínica

cintia@seabracoaching.com.br e cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.seabracoaching.com.br e www.osegredodoemagrecimento.com.br

Síndrome de Solomon: você tem?

18A Síndrome de Solomon foi desenvolvida pelo psicólogo americano Solomon Asch, e, para comprová-la, fez testes com 123 voluntários, em que avaliou a influência que a opinião dos outros tem sobre o que o indivíduo pensa.

Na prova, o psicólogo mostrou três linhas diferentes, adicionando uma quarta a elas, e os voluntários precisavam dizer quais das linhas eram iguais às desenhadas ao lado. Os alunos que davam sua opinião antes (e que sabiam qual era a resposta correta) induziam a última vítima ao erro, e, no total, 75% das cobaias responderam incorretamente para não ir contra ao que dizia a maioria.

O que Solomon quis determinar com esse experimento, segundo o psicólogo e mastercoach João Alexandre Borba, é que os seres humanos estão muito condicionados em relação ao que os outros pensam sobre eles. “Podemos perceber a Síndrome de Solomon em nós mesmos quando tomamos decisões ou adotamos comportamentos para evitar nos sobressairmos, destacarmos ou nos diferenciarmos dentro de um determinado grupo social, ou, também, quando boicotamos nossos próprios pensamentos e vontades para seguir no mesmo fluxo da maioria. É muito importante que a nossa identidade sempre acompanhe nossas ações. Uma ação sem a presença forte do “eu”, sempre se torna facilmente influenciada”, explica.

Por vezes, de acordo com Borba, esse sentimento de não querer se destacar pode gerar inveja sobre quem não tem esse medo e não tenta seguir a opinião da maioria. “Superar a Síndrome de Solomon é necessário para que as pessoas possam desenvolver consciência crítica, e o começo disso é superando a obrigação de sempre acreditar e concordar com as opiniões alheias”, observa.

“É preciso compreender a futilidade que é deixar as opiniões dos outros influenciarem o modo como vivemos nossas vidas. Só porque uma grande maioria acredita que X é a verdade absolta, não significa que ela realmente é tudo isso que dizem, ou então que ela se aplica a sua vida. É importante manter o pensamento crítico e analítico constantemente. Sem o mesmo, nos tornamos marionetes não ‘mãos’ de opiniões alheias. Permita-se refletir sobre os mais variados temas, deixando sua mente livre para agir ”, finaliza o psicólogo.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Casais que não se escutam brigam mais

imagem_release_433743A comunicação de um casal é, de longe, um dos pontos fundamentais do seu relacionamento, e, quando esta característica é falha, problemas começam a surgir. Brigas imensas, por exemplo, podem ser evitadas quando existe uma boa comunicação entre o homem e a mulher, mas então por que é tão difícil para os casais se comunicarem de maneira eficiente?

Segundo a psicóloga clínica e hospitalar voltada a saúde do homem, Carla Ribeiro, as diferenças entre os homens e as mulheres faz com que a boa comunicação seja uma tarefa difícil, pois as mulheres falam o que pensam, só que de um jeito mais demorado, e os homens vão direto ao assunto, sendo, por vezes, grosseiros. “É muito comum que casais tenham problemas comunicacionais entre si, e que, ao longo dos anos, essa comunicação fique cada vez mais estreita.”, afirma.

A psicóloga lembra que a comunicação pode ser verbal ou não-verbal, e que boa parte dos casais não aprimoram a sua comunicação durante o relacionamento. Entretanto, para que a relação seja duradoura e satisfatória para ambos, é preciso se esforçar para dar certo.”Não existe uma formula mágica para a comunicação entre os casais, mas posso dizer que saber ouvir enquanto o outro estiver falando é um passo muito importante”, observa.

Saber interpretar corretamente o que seu parceiro quer dizer pode impedir muitas brigas, e, por isso, é preciso aprender a ser paciente, e ter disposição para realmente ouvir o que o outro quer dizer. “Quem não escuta, não compreende, e arranja problemas por pouca coisa. Na minha experiência profissional, pude perceber que, no momento em que os casais passam a se escutarem, tudo fica mais fácil”, comenta.

Carla finaliza, reforçando que a boa comunicação é um aprendizado diário, que é facilitado pela convivência. “Se os casais conseguirem utilizar as comunicações verbais e não verbais, estarão diminuindo os erros de comunicação”, conclui.

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Taquara,

Jacarepaguá – Rio de Janeiro/RJ.

Por um mundo sem cigarros

imagem_release_419688O dia 31 de maio foi instituído, em 1987, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o Dia Mundial Sem Tabaco, para alertar sobre as doenças e mortes causadas pelo tabagismo. No Brasil, o Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva (INCA), órgão do Ministério da Saúde que coordena as ações de prevenção e controle do câncer e Centro Colaborador da OMS para controle do tabaco, é o responsável pela divulgação e comemoração da data de acordo com o tema estabelecido a cada ano pela Organização.

Segundo dados da OMS, todos os anos, cinco milhões de pessoas no mundo morrem por causa do tabagismo, sendo que, no Brasil, 500 pessoas morrem diariamente por doenças ligadas ao cigarro. De acordo com o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, é preciso lembrar que a fumaça do cigarro prejudica outras pessoas também, apesar do fumante em si ser o mais afetado. “Sete não fumantes morrem por dia em consequência do fumo passivo, já que o tabagismo passivo aumenta em 30% o risco de câncer de pulmão e 24% o risco para infarto”, afirma. Ele ainda fala que o tabagismo em si está relacionado a mais de 50 doenças, sendo responsável por 25% das mortes por doença no coração.

O psicólogo explica que existem diversos motivos que levam a pessoa a fumar; para relaxar e aliviar as tenções, disfarçar o tédio, amenizar uma situação de estresse e combater a ansiedade e por pura influência do grupo social estão entre as causas mais comuns. Borba ainda fala que, no caso dos adolescentes, a imitação dos adultos e a necessidade de aceitação pela turma de amigos são as justificativas mais usadas. “É um hábito que, por mais simples que pareça, pode afetar a vida inteira de um indivíduo, pois algumas atividades, como fazer esportes e levar uma vida saudável, por exemplo, se tornam dificultadas por causa do cigarro”, pontua.

O psicólogo conclui, dizendo que, além desse vício diminuir a expectativa da vida de um indivíduo e causar problemas posteriores, ele ainda polui o meio ambiente e o cenário urbano, por causa da fumaça e bitucas, que são deixadas pela cidade. “Apesar de parecer dificílimo parar de fumar, com força de vontade e apoio profissional tudo é possível. Recomendo que as pessoas que decidam parar de fumar realizem acompanhamento psicológico, pois, assim como uma droga, a falta do cigarro causará mudanças de humor temporárias, mas que são para o bem do indivíduo”, finaliza.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

E se você exigisse mais dos seus candidatos?

imagem_release_422476Entrevistas de emprego são, quase sempre, parecidas. O candidato chega, fica esperando em uma sala (nervoso, geralmente), aguarda até ser chamado e o “interrogatório” começa. Claro, fazer perguntas para saber as qualidades e o que o candidato pensa de si mesmo é importante, mas será que isso é tudo?

As velhas perguntas referentes às falhas, qualidades e aspirações não são mais o suficiente para diferenciar as pessoas em processos seletivos, com o alto nível de competição que pode-se perceber atualmente. Muitos vídeos, matérias e tutoriais na Internet já possuem essas respostas prontas, para que o candidato possa ver o que é, comumente, perguntado em processos seletivos. Como, então, diferenciar as pessoas e identificar o melhor profissional para sua empresa? Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, é preciso que os entrevistadores criem maneiras diferentes de testar as habilidades e qualidades dos candidatos. “Colocar a capacidade de alguém à prova, forçando-o a revelar sua verdadeira identidade, é uma forma de descobrir quem aquela pessoa sentada à sua frente realmente é”, afirma.

Ela lembra de um caso muito comentado, de um processo seletivo inovador feito pela marca de cervejas Heineken. Ao longo do vídeo feito sobre essa ação, é possível perceber que todos os candidatos respondiam coisas parecidas, ao afirmar que combinavam bem com a vaga por gostarem muito de futebol (a empresa é patrocinadora de diversas competições do esporte) ou que seu estilo de gerenciamento era “apaixonado”, por exemplo.

Madalena afirma que a marca procurava uma pessoa entre 1734 candidatos para ser trainee para seu departamento de patrocínios e eventos, e isso é como procurar uma agulha num palheiro. “Dessa forma, eles fizeram três provas diferentes para ver como eles se saíram, tudo sem avisar os candidatos: andar de mãos dadas com o entrevistador, prestar primeiros socorros e ajudar os bombeiros a segurarem uma cama-elástica para que uma pessoa pulasse do prédio. Com isso, puderam identificar quem teria o perfil comportamental desejado para a posição”, explica.

Apesar de que nem todas as marcas e empresas possam fazer esse tipo de testes, por não serem tão grandes quanto a Heineken, a coach afirma que é possível, sim, que, em empresas de qualquer tamanho, testes práticos sejam feitos para testar as habilidades e o perfil comportamental dos candidatos. “Muitas vezes, a pessoa já está acostumada às respostas que os entrevistadores querem ouvir, e acaba por responder de forma automática. Com esses processos seletivos diferenciados, é possível perceber quem é adequado, de verdade, para o cargo, elevando o nível do corpo de funcionários de uma empresa”, pontua.

A coach finaliza, afirmando que é necessário sair do lugar comum, para entregar resultados cada vez melhores, e contratar pessoas que realmente são aptas para exercer determinada função, agregando valor e ajudando a empresa a crescer.

Saiba mais pelo vídeo: www.youtube.com/watch?v=zKeFBsU5Z5k

Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Desequilíbrio emocional atrapalha o emagrecimento

imagem_release_417080O sobrepeso pode ser causado por diversos fatores, sejam eles genéticos, biológicos, nutricionais e psicológicos. Esses últimos dois funcionam, geralmente, de duas maneiras diferentes: levar uma pessoa a comer mais, ou se tornar um obstáculo para perder o peso.

Segundo a psicóloga e master coach de emagrecimento, Cintia Seabra, o desequilíbrio emocional faz com que as pessoas se tornem mais vulneráveis, se esquecendo de seus reais objetivos. “Emoções negativas alimentam pensamentos sabotadores, ideias de fracasso e limita a capacidade e perseverança de quem deseja emagrecer”, afirma.

Antes de qualquer coisa, a coach fala que é preciso gerenciar bem a vida para gerenciar bem o peso. “Muita gente busca na comida, a satisfação que falta na vida. É nessa hora que, quem está acima do peso, fica dependente do prazer imediato que o açucar proporciona, por exemplo.” Explica ela, que é referência nacional na área pelo seu programa “O Segredo do Emagrecimento”.

Cintia finaliza, falando que “o como emagrecer” é mais importante que “o que fazer para emagrecer”. Embora elas saibam o que fazer, é o como que as paralisa na hora de brigar com o ponteiro da balança.

Saiba mais no vídeo-release: www.youtube.com/watch?v=sSYHDCSgFdY

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

Bom atendimento é garantia de satisfação

Coimagem_release_422363m a quantidade de opções mercadológicas que existem nos dias de hoje, a simples vontade ou necessidade de comprar um produto ou contratar um serviço não é mais o principal determinante na escolha de um cliente. Para conquistar a clientela, e ser a sua principal opção na hora da compra, é preciso se mostrar disposto a atendê-la da maneira correta.

O consumidor, além de qualidade e bom preço, também quer se sentir satisfeito na hora da compra, sentir que está sendo “bem cuidado” pelos vendedores. Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, faz diferença, na avaliação de quem está comprando, ter alguns elementos básicos atendidos por quem os atende. “A gentileza, principalmente, deve ser sempre visada e estimulada, por parte dos patrões, para seus funcionários. Ninguém gosta de ser mal tratado em lugar algum, o que dirá em um estabelecimento ou empresa em que se pretende gastar dinheiro”, afirma.

O profissional explica que é necessário, primeiramente, que haja um bom relacionamento entre os funcionários de diferentes equipes e setores, pois, se a empresa tiver um bom entrosamento, transmitirá simpatia, também, no atendimento. “Todos os colaboradores devem se esforçar e envolver na hora de receber, captar e fidelizar os clientes, para que eles sintam vontade de voltar”, conta.

Ele fala que o famoso ditado “não julgue um livro pela capa”, geralmente, é pouco lembrado nessas horas, pois, o primeiro atendimento em um empreendimento ou empresa pode ser crucial para a criação da imagem dele para o cliente. “Não se pode desconsiderar a opinião do freguês, seja em um atendimento via internet, telefone ou presencial. Uma boa ideia, que pode ser implementa pelos superiores, é pedir um feedback, dos clientes, para saber como os funcionários estão se saindo nesse setor, o que pode ser melhorado, etc”, diz.

Borba oferece algumas dicas para que um bom atendimento seja o “cartão de visita” da empresa ou empreendimento. “Ser simpático sempre, expondo seus produtos de maneira positiva, porém sem mentiras, é uma boa maneira de começar. Ligar ou mandar um e-mail para o cliente, para saber o que ele achou dos produtos e atendimento, indica preocupação com a satisfação”, sugere.

Ele ainda lembra que qualificar, sempre, a equipe, para que o atendimento seja sempre melhor, é uma forma de estimular os colaboradores, ao mesmo tempo em que melhora a imagem da empresa, na visão do cliente. “De maneira geral, tratar cada cliente como se fosse único tem grandes chances de fideliza-lo, e, promovendo a gentileza entre os funcionários e freguesia, faz com que o ambiente de trabalho se torne melhor”, conclui.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Todo cuidado é pouco em planos de demissões

imagem_release_422456Incertezas políticas e econômicas preocupam o Brasil e o mundo. No território nacional, nos últimos tempos, protestos de diferentes classes trabalhistas, greves de funcionários públicos, escândalos de corrupção e a alta do dólar tem preocupado, e muito, a população, especialmente as empresas em geral, que, juntas, estão demitindo milhares de funcionários, para cortar os gastos.

Apesar de demissões em massa serem comuns em cenários de crise como o atual, muitas pessoas, consideradas mais essenciais ou valiosas para a empresa, continuam trabalhando, porém, com uma falta de motivação e medo característico de quem acabou de ver inúmeros colegas ficarem desempregados.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, em tempos de crise, a gestão de mudanças também pode ajudar nessa transição. “O clima organizacional fica muito pesado quando há um plano de demissões em andamento; as pessoas não param de falar sobre o assunto, e sentimentos misturados, como angústia e ansiedade, se tornam comuns, o que faz a produção cair consideravelmente”, explica a profissional.

Nesse ambiente de transações é que a verdadeira faceta de cada um começa a se mostrar, segundo o que afirma Madalena. “Existem dois tipos de comportamentos utilizados para resistir à mudanças: passivos, em que a pessoa deixa de produzir de maneira adequada e não colabora mais, e o ativo, em que o colaborador começa a sabotar a empresa, além de falar mal, ridicularizar e intimidar seus superiores. Essas posturas indicam como o indivíduo está digerindo as mudanças e desligamentos que estão ocorrendo no ambiente da empresa”, observa.

Mesmo com o cenário econômico em condições ruins, como o do Brasil atual, ainda se torna difícil para alguns assimilar a necessidade de mudança sem resistência. “Existem diversos motivos pelos quais uma pessoa pode lutar contra um processo de transformações, sendo alguns dos principais o medo dos resultados posteriores; a crença de que a mudança não é necessária; falta de confiança em seus superiores e sentimento de impotência perante o que está acontecendo”, lista a profissional.

A coach fala que conscientizar as pessoas que ficam na empresa sobre a necessidade dessas mudanças é fundamental, para que não fique nenhum sentimento de falta de justificativa ou satisfação. “Apesar de ser um processo doloroso, é preciso mostrar que é para o bem da organização. Incentivar o corpo de colaboradores a fazer sempre seu melhor, para que outros planos de demissões não ocorram, também é importante, além de evidenciar o porquê de tudo aquilo estar acontecendo, se pautando no que está ocorrendo com a economia, também pode ajudar”, pontua.

Madalena conclui, dizendo que os superiores devem dar o exemplo, se tornando mais presentes na vida empresarial, e, quando necessário, deixando de receber alguns benefícios, como forma de demonstrar que eles, também, estão se sacrificando. “Embora não seja possível agradar a todos com os processos de mudança, é papel dos líderes minimizar esse desconforto, mostrando que isso acontecerá para o bem coletivo e criando estratégias de gestão para acabar com as resistências às mudanças”, finaliza.

Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Autoestima está ligada a perda de peso

imagem_release_417012Apesar de existirem milhares de dietas mágicas criadas para fazer com que a pessoa perca os quilinhos a mais, elas têm origens suspeitas, e podem colocar a saúde em risco. Para perder peso de forma eficiente, existem três passos fundamentais: praticar exercícios físicos com regularidade, manter uma alimentação equilibrada e o mais importante; manter uma relação saudável consigo mesmo, não se descuidando da autoestima.

Segundo Cintia Seabra, coach de emagrecimento que é referência nacional na área, o último item é indispensável para emagrecer e não voltar a engordar depois. “Antes de pensar em perder peso, a pessoa precisa resgatar sua autoestima, e analisar se primeiro perdeu a autoestima e depois engordou, e vice versa”, fala. Cintia diz que, apesar dos indivíduos possuírem tendência a acreditar que primeiro engordaram e depois perderam a autoestima, isso é apenas uma ilusão, já que essa característica tem relação com a maneira como se vive e com o amor próprio – como se respeita, se entende e se aceita.

Ela explica que, muitas vezes, a pessoa deixa de cuidar de si mesma para cuidar dos outros, ou focar apenas em trabalhar, o que causa uma piora no modo como ela se enxerga. “As pessoas passam por cima de si mesmas, e, por isso, engordam. Olhe para o passado, no momento em que começou a perceber que seu peso aumentou, e pense: como estava sua vida naquela situação? A partir daí, a pessoa pode começar o processo de recuperação da sua autoestima”, explica a profissional.

A coach ainda fala que, evidentemente, a ligação entre autoestima e variações no peso é estreita, pois, se a primeira estiver em baixa, os reflexos serão sentidos no corpo.  “Para recuperar sua autoestima, e, a partir disso, perder peso, eu recomendo que minhas clientes façam um exercício em que elas voltem no tempo, olhem quando conquistaram algo na vida que foi importante para elas, e percebam o potencial que está adormecido. Esse contato com forças e experiências positivas passadas, reativa a crença em suas capacidades. Assim, após a recuperação da autoestima, o emagrecimento pode ocorrer de modo mais facilitado”, finaliza.

Saiba mais no vídeo: http://osegredodoemagrecimento.com.br/resgatar-autoestima?inf_contact_key=7569853137a658abe521e3baa5577eaec615f2f6e326da3dd41075261081c5f3

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

Oratória é mais do que falar: é saber se expressar

imagem_release_424580Fazer uma boa palestra vai muito além de ter um discurso bem ensaiado e possuir um bom material de auxílio. Fazer uma boa palestra é a união de saber falar, se expressar por meio de gestos, criar uma ligação com a plateia, saber se portar em frente ao público, cuidando para não transparecer insegurança e medo e, como dito anteriormente, contar com um bom material de apoio, caso necessário.

Muito difícil? Não necessariamente. Existem treinamentos e atitudes que podem ser feitas a fim de transformar qualquer pessoa em uma boa oradora – basta saber a quem pedir auxílio e se esforçar para conquistar as metas traçadas.

Segundo Eraldo Melo, empresário e palestrante motivacional, dois itens que merecem bastante atenção na hora de apresentar um bom discurso são: postura e gesticulação. “Os gestos são o complemento da fala. É normal que ao falar as pessoas gesticulem de maneira natural – e é isso o que deve acontecer durante uma palestra: o orador deve fazer gestos quase automáticos, – aquele que não gesticula, torna sua palestra fria, inexpressiva e forçada, com muita ‘cara’ de ensaiada”, explica o empreendedor.

O gesto é uma forma de dar força as palavras que estão sendo ditas, seja por meio das mãos, dos braços, do movimento da cabeça, do olhar, etc. “Porém, o orador não deve se esquecer de que ao discursar, os gestos devem ser comedidos, sem exageros, na hora certa e com naturalidade”, diz.

Na hora certa? Sim. “O gesto deve preceder, vir antes da palavra ou acompanhá-la, nunca vir depois do que foi dito. Isso porque ao acontecer antes, ele prepara o efeito da palavra; se acompanhá-la, reforça a palavra; se for feito após a palavra, faz com que ela perca a força”, exalta o especialista.

No que diz respeito à postura, o orador deve evitar ser displicente, assim como seu olhar deve sempre percorrer todo o público, não se focando em apenas um expectador ou lado. “Durante a fala, o ideal é evitar as possíveis manias que possam existir como estalar os dedos, mexer na roupa, esfregar as mãos, bater palmas, etc.,” lembra Melo, que afirma que o orador deve sempre agir com espontaneidade – mas isso não significa que ele não deve ensaiar antes. “Para transmitir espontaneidade pro público, é preciso muito trabalho antecedendo a palestra. Só assim o orador poderá avaliar o que precisa ser mudado e concentrar-se em melhorar seus erros”, ressalta.

Para um discurso sair como o planejado e conquistar a plateia, o orador deve usar com maestria a fala, os gestos e a postura, lembrando-se sempre de não deixar as mãos imóveis e nem gesticulando de maneira exagerada. “A melhor atitude com relação aos próprios gestos é não prestar muita atenção neles – e sim deixar com que eles fluam com naturalidade. Já para evitar problemas na fala ou na postura, a dica é a mesma de sempre: treine anteriormente em voz alta, ficando cada vez mais seguro do que será dito. Isso transparecerá ao seu público – e a chance de você ser melhor entendido e avaliado é muito maior”, conclui o palestrante.

Serviço: Eraldo Melo

Ex Faxineiro, Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

Fone: (64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

Como ficar mais feliz com motivação

imagem_release_418844Muitas pessoas dizem que é difícil ser feliz nos dias atuais. Economia deficitária, preços altos para fazer qualquer tipo de coisa, educação e saúde de má qualidade atrasam, e, diversas vezes, complicam as pessoas de cumprirem seus objetivos e sonhos.

Para Eraldo Melo, dono de 5 empresas no Brasil, mesmo com todas as dificuldades da vida cotidiana, ainda é possível realizar o sonho de ser feliz- o que acarreta em outras conquistas-, desde que haja motivação. “Na verdade, ao invés do que muitos podem pensar, uma pessoa não “é” feliz constantemente, mas ela “fica” feliz, sendo, este, o estado de espírito mais importante da humanidade. Para que mudanças de vida efetivas sejam realizadas, entretanto, é necessário ter motivação, ou melhor, automotivação, pois o que realmente faz diferença é a maneira como a pessoa encara os obstáculos que surgem no meio do caminho”, conta.

Ele, que, sendo de origem humilde, iniciou sua carreira em uma de suas atuais empresas como Auxiliar de Serviços, acredita que existem alguns ingredientes fundamentais para que cada pessoa no mundo encontre a felicidade com motivação. “Não adianta a pessoa apenas dizer ‘quero ser feliz e mudar minha vida’ se não começar a perceber os elementos essenciais para que isso aconteça”, explica.

Melo listou os itens necessários para que alguém encontre a motivação para ser feliz e alcançar seus objetivos, confira:

1.   Amor próprio

Segundo o palestrante motivacional, é preciso, em primeiro lugar, amar a si mesmo, colocando-se em primeiro lugar. “Não se trata de se achar melhor que os outros, muito pelo contrário. É preciso se dar valor para poder ser feliz, pois, quando se está feliz consigo mesmo, é possível focar essa felicidade para outras coisas”, fala.

2.   Trabalho em equipe

Já diria Aristóteles, “o homem por natureza é um ser social”. Eraldo concorda com isso, dizendo que o trabalho em equipe torna o homem mais forte, capaz e inteligente, pois, quando as pessoas trabalham juntas, elas vivem melhor, e conseguem alcançar seus objetivos.

3.   Persistência

“Quando temos um sonho, temos que persistir para a realização do mesmo, pois este é um ingrediente fundamental nas nossas vidas. Sonhos realizados são garantia de felicidade!”, diz o empresário. Ele ainda fala que sempre, independente da situação, é necessário persistir para vencer.

4.   Atitude

Na vida, segundo Melo, as pessoas são responsáveis pelo o que serão no futuro. Ou seja, uma atitude tomada hoje, que seja positiva e que gera mudanças, vai acarretar em um amanhã melhor e mais feliz.

5.   Sonho

Por fim, o empresário explica que nada adianta ter todos os itens acima se a pessoa não tiver um sonho pelo qual lutar. “Sem sonho, não há razão de viver. Se agarre na sua paixão e busque-a”, finaliza.

Serviço: Eraldo Melo

 www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

(64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

A ferramenta que ajuda no detalhamento do perfil profissional

80Muitas pessoas não se conhecem bem. Apesar dessa frase soar estranha, isso é mais comum do que se pensa, pois esses indivíduos não conseguem identificar com facilidade suas qualidades, defeitos e, até mesmo, quais são seus sonhos e aspirações, o que impede que eles se tornem líderes.

Se autoconhecer, e saber qual é o seu tipo de liderança é fundamental.  Segundo Andreia Rego, que trabalha com coaching e psicanálise, saber detalhadamente o perfil do líder é primordial para uma vida harmônica, direcionando cada vez mais o pessoal e o profissional para o equilíbrio e satisfação. “O estilo da liderança é muito importante, pois indica quais são as atitudes e maneira de ser de cada pessoa. Basicamente, não podemos deixar de ressaltar que o estilo de liderança está muito ligado ao modo de vida do profissional”, explica ela, que é Master Business em Administração com ênfase em Humanas, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Andreia ainda fala que a estrutura pessoal envolve-se com a esfera de trabalho, onde seu empenho será desenvolvido de acordo com o ambiente, cargo, cobranças, agilidade nas entregas, qualidade de serviço, etc. “Na linguagem da metodologia DISC, a qual aplico por meio do processo de Coaching, a palavra ‘estilo’ equivale a ‘ser flexível’, ou seja, o estilo de liderança depende da situação. Um líder de sucesso, de modo geral, é aquele que flexibiliza pessoas e processo, põe em foco seus colaboradores, aprende com rapidez, gerencia o ambiente de mudança, tem iniciativa própria e tem alto desempenho”, afirma.

De acordo com ela, que realiza consultoria DISC, dentro dos processos de Coaching Executivo/Liderança, para mapear perfis comportamentais e talentos de cada indivíduo, esses ingredientes são encontrados nos comportamentos e tipos de personalidades, sendo mais destacados em uns e menos em outros.

Abaixo, a coach exemplificou os quatros perfis de liderança DISC (D = Dominância I = Influência S = Estabilidade C = Conformidade ) da maneira que ela relaciona. Confira:

  1. O Dirigente: é um estilo de liderança do líder que tem um comportamento ‘altamente Dominante’. Geralmente, é um líder exigente. Muito presente, é demarcador à sua posição e leva a equipe à ação. O D = Dominância alto tem um estilo direto de gerenciamento, lida facilmente com situações estressantes, toma decisões rápidas, não tem medo de errar. Contudo, com o foco em resultados, tem dificuldades para ouvir sua equipe e respeitar regras. Estes são alguns dos alertas a serem observados e cuidados.
  2. O Persuasivo: é um estilo de liderança do líder que demonstra ‘alta Influência’. Este prefere criar uma atmosfera amigável e aberta com seus parceiros. O I = Influência alto gosta de desenvolver relacionamentos interpessoais fortes. Este líder confia na sua habilidade de ‘vender’ ideias, sendo receptivo para ouvir novas sugestões. Mesmo tendo um perfil assertivo, valoriza o trabalho em equipe. Toma decisões rápidas e gosta de estar envolvido em todos os assuntos. Um dos alertas desse perfil é a impaciência para lidar com detalhes e minúcias.
  3. O Apoiador: é um estilo de liderança baseado na ‘alta Estabilidade’, onde tende a se ver prestando um serviço para os integrantes da equipe, mais que os orientando. O S = Estabilidade alto oferece apoio quando necessário e espera receber o mesmo apoio dos colaboradores. É calmo, tranqüilo, cordial com as pessoas, hábil para dar instruções, sendo seu foco mais direcionado para pessoas. Gosta de atuar em ambientes estruturados e organizados, onde se sente seguro. Suas decisões levam mais tempo, pois são ponderadas. Um dos pontos a se cuidar é o fato de não lidar muito bem com mudanças bruscas e riscos.
  4. O Criterioso: é o estilo de liderança com ‘alta Conformidade’. Este líder trabalha com planejamento e estrutura. O C = Conformidade alto tenta impor autoridade por meio de normas e procedimentos. Seu estilo é baseado em bom senso e disciplina. Gosta de preparar trabalhos de alta qualidade. É detalhado e se aprofunda em análises. Um ponto a ser observado é o cuidado com rigidez em excesso, pois pode não aceitar outros tipos de argumentações.

Com o mapeamento dos perfis de liderança, a coach afirma que é possível trabalhar com o diagnóstico para integrar ações concretas ao seu desempenho. “Nesse sentido, o Coaching ajuda o profissional a investir no autoconhecimento, para a construção de um PDI – Plano Individual de Desenvolvimento, através da ferramenta DISC”, finaliza.

Serviço: Andreia Rego

Psicanalista e Coach de Desenvolvimento Humano

Face: https://www.facebook.com/andreiasrego?ref=hl 

Instagram: Andreia Rego

Site: http://coachandreiarego.com.br/

E-mail: asrego@gmail.com

Celular: 21 99941.9950

O desemprego e a necessidade do aprimoramento pessoal

imagem_release_422442Foram divulgados, na quinta-feira, 07/05, dados sobre a taxa de desemprego nos três primeiros semestres de 2015, em senso realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O percentual subiu nesse tempo, chegando a 7,9%, e a população desocupada cresceu 23%, já que, no quarto trimestre de 2014, a desocupação ficou em 6,5%, e, nos primeiros três meses do ano passado, em 7,2%.

Os números, que fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), indicara que a região Nordeste teve a maior taxa de desocupação do país, atingindo 9,6%, sendo que o Sul teve a menor, de 5,1%. O Sudeste ficou com 8% do total, 8,7% no Norte e, no Centro-Oeste, o nível de desemprego foi de 7,3%. A pesquisa ainda mostrou que o desemprego para quem tem ensino médio incompleto é maior entre os grupos, podendo chegar a 14%, consideravelmente maior ao de quem tem ensino superior completo, que é 4,6%.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, os números no Brasil podem ser explicados pela recessão e crise econômica pelas quais o país está passando. “Quando há uma instabilidade no cenário econômico, é normal que a situação mude, e pessoas percam seus empregos. Claro, não é fácil para ninguém, mas é preciso ter em mente que isso é passageiro, e em breve acabará”, afirma.

A coach explica que esse não é o momento para ficar parado. “Mesmo para quem tentar diversas vezes e não conseguir arranjar outro emprego, não se pode desanimar. Fazer cursos, participar de workshops e palestras é essencial para se manter atualizado sobre as tendências mercadológicas, e se manter atrativo para os empregadores”.

Madalena conclui, dizendo que o processo do coaching pode ajudar quem se encontra em situação de desemprego. “Ao determinar seus pontos fortes e os que ele precisa melhorar, além de aumentar seu rendimento, o candidato se torna um atrativo nos processos de seleção”, conclui.

Serviço: Outliers Careers
Madalena Feliciano
Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Motivação é a chave para mudança de hábito e emagrecimento

Young sexy woman wearing old pants after losing weight over white background

Young sexy woman wearing old pants after losing weight over white background

Emagrecer – de forma saudável, sem dietas loucas que só prejudicam o corpo – exige muita força de vontade e motivação. A pessoa que se dispuser a mudar sua vida deve estar preparada para vencer os obstáculos e conquistar seus objetivos. Alguns escorregões podem acontecer ao longo do caminho, afinal, falhar é humano, mas manter o foco é essencial.

De acordo com Cintia Seabra, coach de emagrecimento que é referência nacional na área, “motivação” é quando você tem a clareza dos motivos que existem para você entrar em ação, levantar da cadeira, e ir em direção à sua meta. Entretanto, ela afirma que, mesmo sendo um fator muito importante, a verdadeira diferença na sua jornada do emagrecimento é a mudança de hábitos.

A coach ainda diz que, qualquer transformação é desafiante no início, mas é necessário deixar de exercer o papel de vítima, e tomar o controle da sua própria vida. “De acordo com a neurociência, para um hábito ser instalado, é preciso que ele seja praticado por quatro semanas contínuas. Apesar de, muitas vezes, parecer impossível trocar seu estilo de alimentação e deixar de ser sedentário, essa mudança é necessária para você ir adiante e alcançar o que você quer”, afirma.

Cintia explica que as pessoas têm que conhecer os seus motivadores de dor e prazer, para que possam exercer a mudança. “O lado da dor mostra o quanto está custando viver do jeito como você está, e o lado do prazer mostra o que você vai ganhar ao alcançar o peso ideal. É sempre necessário pensar o que o emagrecimento vai lhe proporcionar, e, então, mudar seus hábitos, para que sua vida possa ser mais saudável e satisfatória”, conclui.

Saiba mais no vídeo: www.youtube.com/watch?v=iCm_9WKuL54

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

Saiba mais sobre a Síndrome do Pensamento Acelerado

imagem_release_419674No mundo em constante mudança e com o ritmo acelerado, é difícil afastar a mente dos problemas e obrigações diários, fazendo com que, mesmo nos momentos de descanso, as pessoas continuem com a cabeça cheia.

Com origem no ritmo alucinante das grandes cidades, overdoses diárias de informações e obrigações que afetam a saúde emocional, a Síndrome do Pensamento Acelerado é uma condição do mundo moderno, que acomete milhares de pessoas. Segundo especialistas, essa síndrome não é uma doença, mas, sim, um sintoma vinculado a um quadro de transtorno de ansiedade.

O psicólogo e master coach João Alexandre Borba explica que as pessoas mais vulneráveis a desenvolverem esse tipo de síndrome são aquelas avaliadas constantemente por causa de suas obrigações profissionais, não podendo se desligar delas por nem um segundo. ”Bons exemplos são médicos, jornalistas e executivos. A pressão profissional, juntamente ao excesso de informações às quais somos submetidos diariamente, que é considerado normal, atualmente, pode abalar o emocional de alguém”, afirma.

O profissional cita que os sintomas são a sensação de estar sendo esmagado pela rotina, a impressão de que as 24 horas por dia são insuficientes para o cumprimento de todas as tarefas, o sentimento de apreensão, falta de memória, déficit de atenção, irritabilidade e sono alterado. “O esgotamento mental é a principal descrição para a pessoa que sofre da SPA, transferindo o cansaço intelectual para o cansaço físico, o que faz com que o humor seja muito volátil, também. A tecnologia tem influência nesse quadro, pois é lotada de estímulos e informações que podem cansar a vista e o cérebro”, observa.

Borba conclui, falando que, para quem se identificou com os sintomas acima, é recomendado buscar ajuda profissional. “O melhor a se fazer é buscar um estilo de vida que permita fugas do estresse cotidiano, praticando atividades físicas e dedicando tempo ao lazer. Fazer pausas, retomar alguns hobbys e tentar fazer coisas sem nenhuma atividade simultânea”, finaliza.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

De Renato Sorriso à Eraldo Melo: é preciso valorizar os faxineiros

imagem_release_420487No dia 16 de maio é comemorado, no Brasil, o Dia do Faxineiro. Esta profissão, embora tão valorosa e importante quanto qualquer outra, muitas vezes, acaba não recebendo o devido respeito, pois muitas pessoas a consideram “inferior”. Essa classe não engloba apenas pessoas que fazem a limpeza de algum local privado, mas, também, garis, auxiliares de limpeza e até mesmo zeladores.

Mesmo com o grande número de pessoas que exercem essas funções no país, não é raro que elas sejam desvalorizadas, seja em questões salariais, seja por terem seu trabalho taxado como “fácil” ou “ordinário”. Porém, como seria uma cidade sem seus garis? Com certeza, seus habitantes estariam nadando em meio a sujeira. Ou um escritório sem seus auxiliares de limpeza? Sem nenhuma dúvida, as coisas não funcionariam da maneira correta. E, até mesmo, escolas e condomínios sem seus faxineiros, que são as pessoas que sabem de tudo que acontece lá dentro, e podem ajudar a todos?

Além disso, como desrespeitar tais profissionais, se um deles representou a alegria brasileira de forma tão bonita no encerramento dos Jogos Olímpicos de 2012, em Londres? Mais conhecido como Renato Sorriso, o gari e passista brasileiro Renato Luiz Feliciano Lourenço trabalha desde 1995 na Companhia Municipal de Limpeza Urbana da Cidade do Rio de Janeiro (Comlurb). Ele ganhou este apelido em 1997, quanto, trabalhando na limpeza da Passarela do Samba, no carnaval carioca, durante o desfile das escolas de samba, ele começou a sambar com sua vassoura, o que fez com que ele se tornasse um ícone dessa festa popular.

Além de repetir com certa regularidade essa dança entre as apresentações das escolas, Sorriso já até desfilou para a Portela em 2009, fantasiado de malandro. Além de gravar comerciais de TV e se apresentar em espetáculos de samba, o gari foi um dos ícones do bloco dedicado à música brasileira no encerramento das Olimpíadas de Verão em 2012, que contou com a participação de Pelé, Seu Jorge e Marisa Monte, entre outras personalidades. O exemplo de Sorriso mostra como uma pessoa de origem humilde, que possui um trabalho “simples”, é importante na sociedade brasileira, e merece seu devido respeito.

Outro exemplo da influência que um auxiliar de serviços pode ter na vida das pessoas é o empresário Eraldo Melo. Ele começou sua jornada dentro de sua atual empresa (uma das cinco das quais ele é presidente) fazendo parte de uma equipe de faxineiros. Depois de certo tempo, ele começou a se destacar por causa de sua liderança, e acabou sendo promovido a Encarregado de uma equipe de 10 colaboradores. Ao perceber que seus colegas estavam desmotivados pela falta de reconhecimento que recebiam dentro da empresa, Melo passou a realizar reuniões mensais, em que pudesse conhecer melhor seus colaboradores, discutindo sobre os problemas da empresa, e quais melhorias poderiam ser feitas no setor.

Mesmo fazendo isto por vontade própria, o empresário e palestrante motivacional percebeu a necessidade de tratar seus colegas de forma mais humanizada, e assim o fez. Com o passar do tempo, ele foi crescendo dentro da empresa, até surgir a oportunidade de se tornar proprietário dela, o que permitiu a compra de suas outras empresas. Eraldo é um exemplo de que, mesmo estando na posição mais baixa, com o salário mais modesto e, por diversas vezes, sendo desvalorizado, ainda é possível aflorar e buscar uma melhora de vida para si e para os outros.

Com esses exemplos de humildade e determinação dentro da profissão de faxineiro, e, com certeza, muitos outros espalhados pelo país, torna-se evidente o valor dessa função, e a necessidade de seu dia ser celebrado, e seu ofício, valorizado.

Serviço: Eraldo Melo

Ex Faxineiro, Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

Fone: (64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

Ansiedade e compulsão alimentar

imagem_release_416595Segundo uma pesquisa realizada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), O Brasil é o 4º país mais ansioso do mundo, com 23% de sua população ansiosa. Esta é uma reação normal diante de situações que podem provocar medo, dúvida ou expectativa. Por exemplo, antes de embarcar em um avião, o nascimento de um filho e uma cirurgia delicada, são situações que geram ansiedade, e de maneira compreensiva.

Entretanto, se essa condição perdura por mais de seis meses, sendo acompanhada por sintomas como inquietação, fadiga, irritabilidade, perturbação do sono e dificuldade de inquietação, se trata do transtorno da ansiedade generalizada (TAG), distúrbio caracterizado pela preocupação excessiva ou expectativa apreensiva. A ansiedade também pode causar a pessoa a comer compulsivamente, ou seja, comer além do que necessário e de modo rápido, independente de se sentir saciado.

Segundo a coach de emagrecimento Cintia Seabra, a ansiedade é o que faz as pessoas comerem mais do que deveriam, e possui diversas causas, como, por exemplo, quando a preocupação sobre o futuro se sobrepõe ao viver no presente. “Para gerenciar bem o seu peso, é necessário gerenciar bem a sua vida. Pessoas ansiosas geralmente comem muito pois usam o alimento para preencher o que falta nas suas vidas – prazer, afeto, companhia, etc”, conta a profissional.

Ela, que já ajudou milhares de brasileiros a emagrecer com seu programa online “O Segredo do Emagrecimento”, acredita que, para emagrecer, é necessário fazer esforços e encarar a vida de frente, encontrando as causas para sua ansiedade, e tratando-as. “Na hora de se alimentar, é preciso pensar no que aquela comida vai lhe trazer de bom, e o que ela representa; sustento ou compensação. A medida que você parar de carregar suas preocupações e problemas, a comida vai passar a alimentar somente seu corpo, e não mais sua alma”, finaliza Cintia.

Saiba mais no vídeo:www.youtube.com/watch?v=XMTea8mlQiU&feature=youtu.be

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

Como não vitimizar seu filho

imagem_release_406037Algumas pessoas se fazem de vítima diante os problemas da vida. Estas pessoas, geralmente, não possuem o controle das suas emoções e ações, além de usarem qualquer coisa como desculpa para seus fracassos diários. Segundo estudos psicológicos, as pessoas se vitimizam para conseguir mais atenção, mostrando às pessoas com quem se relaciona que sua vida é ruim, na esperança que isso possa despertar alguma piedade e atenção por parte dos ouvintes

Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, vítima é todo aquele que vive ressentido, e que perdeu o contato com sua força de vida original. “Esta força é a responsável por alavancar projetos, mergulhar em relacionamentos satisfatórios e em exigir do mundo trocais justas e balanceadas. A vítima é todo aquele que culpa os outros pelas suas adversidades e esqueceu de se responsabilizar pela própria vida”, explica o profissional.

Borba ainda diz que é muito comum que pais transformem seus filhos em vítimas, por tentarem protegê-los de mais, ou, até mesmo, por forçarem um amadurecimento precoce, mesmo que de forma não intencional.

O psicólogo listou algumas ações, realizadas pelos pais, e que podem tornar os filhos vitimizados no futuro. Confira:

1)  Fazer tudo para seu filho, antecipando suas necessidades e não deixando-o amadurecer sua independência:

Crianças adoram ser reconhecidas em suas idiossincrasias e ações espontâneas. Com um olhar um pouco mais observador, já é possível encontrar talentos incríveis em crianças pequenas. Estimule-os em vez de censurá-los. Querer que seu filho seja uma cópia sua é retirar lentamente sua identidade.

2)  Envolver as crianças em temáticas adultas, colocando-os pra darem opiniões:

Crianças são muito vulneráveis a terem de tomar partido em qual dos pais estaria certo ou errado naquela questão. Isso os torna pessoas “pesadas”, pois não suportam carregar um peso que não lhes compete. Deixe seu filho ter uma infância livre.

3)  Olhar com pena ou piedade para suas crianças.

Independente da sua situação de vida, sempre estimule seu filho a ser um vencedor e um desbravador. Jamais tenha piedade ou dó dele. Acredite em seu potencial e em sua força de vida. Crianças aprendem primeiro a se identificarem com o olhar dos pais, para depois, quando chegam na fase adulta, selecionarem o que irão manter ou eliminar deste olhar inicial. Isto seria um adulto realmente na fase adulta.

A vítima sempre sofre e se perde em seus dramas. Enquanto não aprender a separar amor de piedade, enquanto acreditar que ao receber a pena e a piedade dos outros, está também recebendo amor, este processo jamais terá fim. Dramas internos avassaladores costumam transgredir e ultrapassar várias e várias gerações. Por isso, torne-se responsável pela própria vida. Não há nada mais leve, belo e libertador do que ver um adulto caminhando junto a sua criança interna.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

O coaching e o autoconhecimento

imagem_release_415693Já diria Sócrates, “conhece-te a ti mesmo”, afinal, para vencer na vida, conquistar a posição que você quer dentro de uma empresa e realizar seus sonhos é essencial se autoconhecer, ou seja, identificar e avaliar suas qualidades, defeitos, angústias, limitações,  valores, talentos e habilidades.

O autoconhecimento não vem fácil para muita gente, mas isso não quer dizer que ele não pode ser desenvolvido. Segundo o coach financeiro, Robson Profeta, isso pode ser solucionado de maneira eficaz. “Em muitos casos, a pessoa só precisa de um empurrão para saber quem é, quais suas competências e como maximizá-las, fortalecendo assim seu posicionamento, não apenas no mercado de trabalho mas também em sua vida pessoal. O coaching já ajudou, e continuará ajudando, muita gente com isso, e o mais incrível é poder observar os resultados desse tipo de trabalho. É transformador!”, afirma o profissional.

Profeta explica que o coaching é um processo que visa aumentar a performance do indivíduo. Imagine descobrir competencias individuais e investir fortemente nestas competências, sem canalizar energia desnecessária. “Esse processo ajuda as pessoas a alcançarem seus objetivos, e, no meio disso, a se autoconhecerem. O indivíduo acaba conhecendo suas forças e seus pontos a serem melhorados, o que dá a motivação para realizar uma mudança de vida”, pontua. Ele ainda fala que o coaching pode auxiliar na diminuição do stress, resolução de conflitos internos, causando uma melhora na autoestima, auto-confiança, tornando o indivíduo responsável por esta mudança na vida.

O especialista  complementa, dizendo que o autoconhecimento é fundamental em diversos processos da vida, inclusive, em técnicas de coaching financeiro, por exemplo. “Esse segmento ajuda as pessoas a aprenderem a viver dentro de seu orçamento, o que, para muitos, é uma verdadeira batalha. Essa metodologia auxilia o indivíduo a identificar opções para resolver seus problemas, avaliando-as e decidindo pela melhor delas”, finaliza.

Serviço: Robson Profeta

Coach Financeiro

Site: www.robsonprofeta.com.br

E-mail: rp@robsonprofeta.com.br

Tel:  11  98107-1003