Arquivos da Categoria: Homem

Dia do Homem

imagem_release_458062Homem também é uma pessoa frágil. Ele tem seus conflitos internos. Também se sentem perdidos em seus pensamentos e suas atitudes.
O homem é pré-determinado desde que nasce.  Nas cores que veste ao nascer, no comportamento que precisa cumprir,  para ser visto como um verdadeiro homem.
É comum que seja ressaltado o comportamento de agressividade, atos de coragem, ter iniciativa, ser protetor, liderança nata, sucesso profissional,… Ufa!!!…. Ser homem não é uma tarefa fácil.
Como o homem pode demonstrar seus sentimentos, ser amável, se há tantas crenças que envolvem o papel de um homem autêntico?
Ser homem é mais do que isso. É lutar, é desbravar caminhos. Mas é proteger,  dar carinho, aconchegar, não brigar, é desejar muito ter Paz e Ser Feliz.
Ser feliz, principalmente, com sua mulher. A mais desejada, a mais admirada e a mais Amada. Ter uma mulher ao seu lado, é tudo que o homem deseja.
O olhar de admiração de sua mulher, é fundamental para a vida de um homem.
Ao contrário que a mulher pensa, o homem quer ser desejado. Não quer estar no domínio, o tempo todo. Mas o homem quer conquistar. O homem quer ser o mais interessante e importante para sua mulher.
Hoje, o homem, quer uma companheira ao seu lado. A mulher que é independente, ele está aprendendo a viver, sem competições. Mas não quer ser deixado de lado.
O homem quer aprender a mostrar seus sentimentos, quer ter mais participação na família, quer ser envolvido pela sua mulher em fantasias e romances, quer mais momentos a dois.
Neste dia do homem, aproveite para resgatar homem em novos momentos de prazer, para as alegrias do dia a dia.
Não fale de problemas,  mostre sua admiração e valorize no que ele faz de melhor. Ressalte a melhor qualidade dele.
E claro, não esqueça do melhor presente…. Que é Você!! Divirtam-se.

Feliz dia do homem!!!

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Taquara, Jacarepaguá – Rio de Janeiro/RJ.

Casais que não se escutam brigam mais

imagem_release_433743A comunicação de um casal é, de longe, um dos pontos fundamentais do seu relacionamento, e, quando esta característica é falha, problemas começam a surgir. Brigas imensas, por exemplo, podem ser evitadas quando existe uma boa comunicação entre o homem e a mulher, mas então por que é tão difícil para os casais se comunicarem de maneira eficiente?

Segundo a psicóloga clínica e hospitalar voltada a saúde do homem, Carla Ribeiro, as diferenças entre os homens e as mulheres faz com que a boa comunicação seja uma tarefa difícil, pois as mulheres falam o que pensam, só que de um jeito mais demorado, e os homens vão direto ao assunto, sendo, por vezes, grosseiros. “É muito comum que casais tenham problemas comunicacionais entre si, e que, ao longo dos anos, essa comunicação fique cada vez mais estreita.”, afirma.

A psicóloga lembra que a comunicação pode ser verbal ou não-verbal, e que boa parte dos casais não aprimoram a sua comunicação durante o relacionamento. Entretanto, para que a relação seja duradoura e satisfatória para ambos, é preciso se esforçar para dar certo.”Não existe uma formula mágica para a comunicação entre os casais, mas posso dizer que saber ouvir enquanto o outro estiver falando é um passo muito importante”, observa.

Saber interpretar corretamente o que seu parceiro quer dizer pode impedir muitas brigas, e, por isso, é preciso aprender a ser paciente, e ter disposição para realmente ouvir o que o outro quer dizer. “Quem não escuta, não compreende, e arranja problemas por pouca coisa. Na minha experiência profissional, pude perceber que, no momento em que os casais passam a se escutarem, tudo fica mais fácil”, comenta.

Carla finaliza, reforçando que a boa comunicação é um aprendizado diário, que é facilitado pela convivência. “Se os casais conseguirem utilizar as comunicações verbais e não verbais, estarão diminuindo os erros de comunicação”, conclui.

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Taquara,

Jacarepaguá – Rio de Janeiro/RJ.

Entenda a redução de mamilos e aréolas

imagem_release_415618Muitas mulheres- e, até mesmo, homens- possuem insegurança em relação ao tamanho de seus mamilos. Contrário do que pode ser considerado mais comum, que é a dimensão do seio causar desconforto, o “vilão” da autoconfiança, para estas pessoas, são as aréolas e mamilos.

Felizmente, para estas pessoas, existe uma solução simples: a cirurgia de redução. Segundo Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico com atuação em Curitiba, a área que a muitas mulheres se referem, frequentemente, como mamilos, é, na verdade, composta por duas partes. “A parte central, com relevo e projeção é o mamilo, e a zona pigmentada e circular localizada à sua volta é a aréola”, conta o profissional.

Para a questão dos mamilos, que, as vezes, podem ser muito grandes e projetados, se tornando incômodos, é possível realizar intervenções isoladamente, ou de maneira simultânea com outros procedimentos, por meio da mamoplastia de aumento, redução mamária ou mastopexia, por exemplo. “O tamanho dos mamilos está relacionado com fatores genéticos, com a maternidade e a amamentação, por exemplo, o que gera o desconforto”, explica o médico;

Pacheco ainda fala que, no caso da aréola, é comum que, se elas forem demasiadamente grandes, podem parecer desproporcionais em relação ao resto do seio. “Apesar disso não interferir na sensibilidade do mamilo ou com a capacidade de amamentação, muitas mulheres sentem que ter aréolas grandes é estranho esteticamente, e optam pela redução”, esclarece.

Para ambos os procedimentos, o cirurgião fala que a intervenção é rápida, assim como a recuperação. Além disso, eles podem ser realizados em ambulatório, e simultaneamente a outras operações.

Serviço: Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)

Cirurgião Plástico

Sites: http://www.alplastica.com

http://www.michelangeloclinica.com.br

Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com

Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br

Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424

Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champagnat, Curitiba/PR.

Fontes da Toda Comunicação Curitiba/PR

Homens são tão sentimentais quanto mulheres, segundo estudo

imagem_release_414788Muitos homens dizem que as mulheres são difíceis de entender, que é impossível lhes deixar felizes e saber como elas devem ser tratadas. Entretanto, com um pouco de jogo de cintura, respeito e compreensão, é possível agradar a sua parceira de maneira satisfatória.

Mas, e os homens? Um grande número de pessoas, homens ou mulheres, tendem a pensar que, para um indivíduo do sexo masculino, é muito menos comum ficar inseguro quanto ao seu corpo, e que o ato sexual vem acima de tudo na relação, mas, será que isso é verdade?

Segundo a psicóloga clínica e hospitalar voltada a saúde do homem, Carla Ribeiro, as respostas são menos óbvias do que se pode pensar. “No imaginário popular, existe o conceito de que homens são máquinas de fazer sexo sem um pingo de sentimentalidade. Entretanto, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto Kinsley, sugere que interações sem intenções sexuais, como dormir de conchinha e beijar tem mais importância para os homens do que para as mulheres”, afirma.

Além disso, Carla, que atua no Rio de Janeiro, explica que os homens são, sim, críticos quanto ao seu próprio corpo quase na mesma medida que as mulheres. “Uma pesquisa realizada em 2014 revelou que 30% dos britânicos relataram se sentir infelizes com seus corpos, quase a mesma porcentagem das mulheres: 35%. Apesar de não aparentar, eles têm inseguranças como qualquer um”, comenta. Ela também fala que a mesma pesquisa, encomendada pela loja “New Look”, mostra que 23% dos homens estão insatisfeitos com o tamanho dos seus pênis, sendo que um quarto dos indivíduos na faixa dos 20 anos preferem ter relações sexuais com as luzes apagadas.

A psicóloga complementa, dizendo que o antigo bordão “Os homens são de Marte, e as mulheres são de Vênus” é apenas uma invenção, já que ambos os sexos têm suas inseguranças, desejos e sentimentos. “Sexo envolve muitas emoções, tanto para o homem, quanto para a mulher, e, por isso, é preciso levar em conta o que cada uma das partes pensa sobre o assunto”, conclui.

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Taquara,

Jacarepaguá – Rio de Janeiro/RJ.

Implantes de peitoral são sucesso entre os homens

imagem_release_409681Vaidade não é mais assunto exclusivo do universo feminino há algum tempo. Atualmente, os homens também procuram por tratamentos para pele, cabelo e depilações. Essa tendência foi transmitida para as cirurgias plásticas, e muitos, atualmente, optam por implantes de silicones para proporcionar uma forma mais saudável em diferentes regiões do corpo, como tórax, coxas, bíceps e tríceps.

Esse tipo de operação é uma forma praticamente instantânea de adquirir a aparência de músculos tonificados, já que através de exercícios de musculação o processo se torna muito mais demorado. Segundo Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico com atuação em Curitiba, é cada vez mais comum homens procurarem a cirurgia plástica para melhorar a autoestima. “O implante de silicone faz mais sucesso na faixa dos 25 a 40 anos de idade, pois, além da procura pela melhoria estética, existem muitos casos em que há ausência ou redução das fibras musculares do peito (chamada de Síndrome de Poland), o que impede o crescimento deste músculo”, conta o médico.

Ao contrário dos implantes de silicone para seios femininos, que são redondos ou em forma de gota, os para o peitoral masculino são quadrados, além de serem mais firmes e rígidos. “A cirurgia realizada nos homens é bem diferente, desde a incisão, que é feita na axila. Nas mulheres, as próteses podem ser retro-musculares ou retroglandulares, e, no caso masculino, sempre serão retro-musculares, salvo em casos específicos em que não se tem o músculo”, afirma Pacheco.

O  cirurgião ainda explica que, embora a cirurgia ser tranquila, durando, aproximadamente, 30  minutos, quem se submeter ao procedimento deve se atentar à recuperação. “Não se pode elevar os braços por 21 (a não ser para passar o desodorante), já que o cotovelo não deve ultrapassar os ombros. Por isso, não se pode dirigir neste período, além de ficar pelo menos três meses sem fazer exercícios que usem os braços e os peitorais”, pontua. Assim como o caso dos implantes femininos, que exigem acompanhamento após o procedimento, é necessário trocar o silicone de peitoral há cada 10 anos, segundo o profissional.

Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)

Cirurgião Plástico

Sites: http://www.alplastica.com

http://www.michelangeloclinica.com.br

Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com

Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br

Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424

Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champagnat, Curitiba/PR.

Fontes da Toda Comunicação Curitiba/PR