Arquivos da Categoria: Saúde

Quer emagrecer?

whatsapp-image-2016-11-11-at-12-32-34Em uma época em que as pessoas se preocupam muito mais com sua imagem digital e as milhares de fotos postadas em suas redes sociais, a busca pelo corpo perfeito se tornou incessante. Um costume que antes era considerado mais feminino, fazer dieta e contar calorias se tornou unissex. No entanto, com o grande fluxo de informações circulando o tempo todo, o número de pessoas que seguem varias dicas de sites e blogs, inclusive as dietas e ignoram até mesmo as nutricionistas, é absurdo.
Hoje em dia, homens e mulheres procuram as mais inusitadas formas de emagrecer – sem querer mudar hábitos de forma definitiva. Usam de artifícios para emagrecerem de forma rápida, como dietas extremamente restritivas, sucos detox milagrosos, dentre outras coisas, tudo para emagrecerem o máximo em menor tempo. Muitos vão além e apelam até para remédios perigosos sem prescrição médica.
A coach em Emagrecimento e também Terapeuta Ocupacional, Daniele Veríssimo, explica que o emagrecimento vem de dentro “Não é apenas ‘fechar a boca’, como dizem, ou simplesmente fazer dieta. Com dietas, se não houver uma manutenção, você ganha tudo de novo quando parar. A pessoa precisa mudar seus hábitos alimentares para o resto da vida e para isso tem que haver um preparo psicológico”, diz.
Segundo Daniele, o indivíduo começa se sabotando quando coloca um prazo para a dieta “Se a mulher, por exemplo, só vai ingerir menos calorias para tentar entrar em um vestido para o final de semana, ela já começa errando. A chave para emagrecer De forma consistente não tem prazo, pois é um trabalho que envolve mudanças internas, é muito mais do que simplesmente  fazer reeducação alimentar. Cada pessoa se transforma internamente e lida com situações da vida cotidiana . E isso não tem data de validade. ”, explica Daniele.
A coach de emagrecimento, que tem uma história parecida com boa parte das mulheres, encontrou na força do pensamento o empurrão que precisava para perder 17kg “Eu cheguei a pesar 104kg e só o que passava na minha cabeça era que eu não queria chegar na 3ª idade com tantas limitações. Iniciei um processo de emagrecimento e após perder 17kg, decidi me tornar coach de emagrecimento e ajudar pessoas a se transformarem de dentro para fora”, compartilha a especialista.
Ainda de acordo com Daniele, a principal causa de desistências em dietas, é a ansiedade. “Quando uma pessoa quer perder muitos kilos, ela não consegue fazer uma dieta restritiva por muito tempo. Perece que o tempo para chegar aonde quer demora muito mais do que o que havia se dado e programado. Com isso, acabam furando as dietas e os treinos físicos. E volta ao ciclo que é vicioso: desânimo, furo na dieta, pouco emagrecimento e desânimo de novo”, explica Daniele.
A coach diz que toda reeducação alimentar saudável também é emocional e, portanto, não é para se desesperar “O emagrecimento deve ser além da estética. Você tem que emagrecer para ter uma vida saudável, de forme consistente, para que seja definitiva. E um esforço máximo somente por uma semana não garante isso, pois devem existir mudanças mentais, para haverem mudanças comportamentais. Então, é um processo longo, que deve ser iniciado pelas razões certas para que dê certo”, conclui a coach.

Daniele Veríssimo

Coaching para Emagrecimento

(21)983143517

danieleverissimo.com.br

facebook.com/coachdanieleverissimo

intagram.com/fitcomdaniele

O câncer de próstata é o segundo que mais causa mortes de homens no Brasil

carlaribeiroprostataConsiderado um dos cânceres mais comuns no mundo, o câncer de próstata é o segundo maior responsável pelas mortes de homens no Brasil, com cerca de 2 milhões de casos por ano. É um tumor que acomete principalmente homens maduros – acima dos 50 anos. O câncer de próstata é uma doença silenciosa e por esse motivo é necessário acompanhamento médico regular. Sem apresentar sintomas relevantes em sua fase inicial, estes começam a aparecer já na fase avançada. Geralmente na uretra – pela proximidade com a próstata – caracterizam-se na obstrução do canal urinário e dificuldade ao urinar. Quando descoberto no início, a taxa de cura é de 90%.

Até o segundo semestre de 2016, mais de 61 mil homens foram diagnosticados com câncer de próstata. O tratamento e cura deste tipo de câncer envolve radioterapia ou cirurgia de remoção da glândula e até mesmo também da bexiga, em casos onde as células cancerígenas já se espalharam.

Segundo a psicóloga Carla Ribeiro, especialista em saúde do homem, um dos fatores principais que levam os homens a postergarem o exame do toque, é o psicológico. “A maioria dos homens ainda se sente desconfortável quando o assunto é esse exame. Acham que vai afetar sua masculinidade se deixarem outro médico os examinarem”, comenta a psicóloga. “Principalmente por ser um doença assintomática no início é de extrema importância que o exame seja feito todo ano, mas, infelizmente, alguns homens ainda carregam um pensamento errado sobre isso”, diz.

De acordo com médicos, o principal fator de risco é o hereditário. Pacientes com parentes de primeiro ou segundo grau diagnosticados com a doença, tem suas chances dobradas de contraí-la também. “Com o avanço da medicina atual, os pacientes reganham seu desempenho sexual normalmente um tempo depois da cirurgia. Não há mais o que temer quando o assunto é esse. Os homens precisam perder o medo do toque e se cuidarem. Muito pior do que o exame, é ser diagnosticado com câncer”, conclui a psicóloga.

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

caribeiro.psi@gmail.com

https://www.facebook.com/psicologacarlaribeiroRJ

 

Diabético? Novas descobertas permitem seu dentista medir sua hemoglobina

12670771_10206815604206320_2521214836998492672_nUma equipe de pesquisa de enfermagem e odontologia da Universidade de Nova York, fez a descoberta, dizendo serem boas notícias para pacientes que podem achar a coleta de sangue no consultório odontológico menos invasiva do que a picada na ponta do dedo. A detecção precoce da diabetes, pode também ajudar a prevenir muitas das complicações da doença no longo prazo.

As medições da hemoglobina A1c na glicose sanguínea do sangue oral se comparam bem com aquelas do sangue obtido da ponta do dedo, e dizem os pesquisadores, que o teste tem alto grau de precisão “A hemoglobina A1c é amplamente utilizada no teste para diabetes. De acordo com diretrizes estabelecidas pela Associação Americana para Diabetes, uma leitura de A1c correspondente a 6,5 ou mais, indica um valor dentro da faixa do diabetes” afirma a Dra. Cristina Gottlieb, atual presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Dental, e diretora da clínica The Dental SPA, no Rio de Janeiro.

Segundo a presidente, uma visita ao dentista poderia ser uma oportunidade útil de realizar um teste inicial de diabetes “Existe uma necessidade urgente de aumentar as oportunidades de pesquisa de diabetes e detecção precoce. A questão da diabetes não diagnosticada, é especialmente crítica, porque o tratamento precoce e os esforços secundários de prevenção, podem ajudar a prevenir ou retardar as complicações de longo prazo. Quando não detectada no início, é responsável por reduzir a qualidade de vida e aumentados níveis de risco de mortalidade”, comenta a Dra. Cristina, que endossa no Brasil as pesquisas americanas.

Os pesquisadores da NYU compararam os níveis da hemoglobina A1c em amostras pareadas de sangue oral e da ponta do dedo, retirados de 75 pacientes com doença periodontal, na Faculdade de Odontologia da Universidade de Nova York. Uma leitura igual ou superior a 6,3 na amostra oral, correspondia a uma leitura de 6,5 da ponta do dedo, na identificação da faixa de diabetes, com mínimos resultados falso-positivos e falso-negativos.

O estudo de um ano usou uma versão do kit para teste da hemoglobina A1c, que foi inicialmente desenvolvido especificamente para possibilitar que dentistas e higienistas bucais coletassem amostras de sangue da ponta do dedo. Dr. Shiela Strauss, responsável pela pesquisa nos EUA, diz que o método de teste da hemoglobina A1c requer que apenas uma única gota de sangue seja coletada, aplicada a um cartão especial e enviada ao laboratório.

De acordo com a Dra Cristina Gottlieb “Atualmente estamos focados também no diagnóstico precoce da diabetes, através dos testes de fluxo salivar e análise de PH”, diz a especialista em odontologia “Estamos abrindo novos horizontes para a especialidade, que defendo veementemente, a Medicina Dental, e estamos lutando nos órgãos de classe por este reconhecimento da especialidade, como um diferencial de ponta no diagnóstico de doenças graves em fase inicial”, conclui a doutora, que já aplicava testes em saliva e sangue no Centro de Hemodiálise da Beneficência Portuguesa, a fim de detectar precocemente presença de proteína C reativa – relacionada à infartos do miocárdio e doenças degenerativas do organismo. A especialista em odontologia, finaliza, afirmando que, ao ser realizado tratamento em fase precoce, tem excelentes resultados clínicos de otimização da vida do paciente.

Serviço: The Dental SPA

Drª Cristina Gottlieb

(21) 2132-7277/ 2025-2009 / 3827-7277

contato@thedentalspa.com.br

www.thedentalspa.com.br

www.facebook.com/clinica.thedentalspa

Shopping Città América (Av. das Américas, 700 lj 113-C e D, piso térreo – Barra da Tijuca – Rio de Janeiro).

A explosão da superação nos Jogos Olímpicos Rio 2016

2016-08-08_18-49-27_1Quem se lembra das Olimpíadas de Londres, em 2012, tem na memória, a lembrança da judoca, Rafaela Silva, perdendo para a húngara, Hedvig Karakas, e a repercussão dessa luta nas redes sociais. Hoje, em 2016, após trazer para o Brasil sua primeira medalha de ouro olímpica, nas Olimpíadas do Rio, seu nome estampa os principais jornais nacionais e internacionais, como o orgulho nacional brasileiro. Sua história precisou esperar quatro anos para ser realmente ouvida, e, Rafaela Silva, se tornou um dos maiores exemplos de superação na vida e no esporte.

Após sofrer forte bullying, preconceito racial e escutar ofensas cruéis, por conta da sua desclassificação em 2012, a judoca quase pensou em desistir do judô e abandonar a carreira. Original do Rio de Janeiro, da comunidade da Cidade de Deus – apenas 8km do Parque Olímpico – a judoca de 24 anos, passou por um extenso e árduo trabalho, para recuperar sua autoestima “O coaching realiza um trabalho, que faz o atleta conseguir aproveitar os seus melhores potenciais, para que seus talentos possam vir a tona em um momento de dificuldade. E foi exatamente o que ela conquistou. O papel da Nell Salgado com a Rafaela foi incrível”, diz o professor do Instituto Japonês de Coaching, e psicólogo desportivo, João Alexandre Borba.622_13f0297f-4ab1-38ab-a24a-83fe4818fc62

Segundo o especialista, no coaching, é muito trabalhado a estruturação dos pontos fortes do atleta para fazer com que ele possa se preparar para se superar e alcançar seu estado de maestria, para competir num nível alto de excelência “Você se torna grande quando experimenta a vitória, e é preciso preparo, pois esta é algo que traz muito medo. Ser grande pode assustar. A Rafaela perdeu para a Hedvig Karakas em Londres, e agora passou por ela, novamente, para ganhar o ouro. Imagina uma atleta, que passou por várias dificuldades, sofreu todos os tipos de preconceito, chegar ao ponto de receber uma medalha de ouro olímpico para o país dela. Essa vitória é muito grande, então, ela tem que ter um grau de superação descomunal para saber recebê-la”, comenta “E as pessoas não fazem ideia do quanto. Esse treino, essa concentração, a maneira que ela estava focada na competição, os golpes que ela aplicou… Tudo isso aconteceu porque ela foi treinada. Não só a nível técnico e esportivo, mas também a nível emocional, para poder chegar em quadra e apresentar o seu melhor”, completa o psicólogo.

Uma das técnicas utilizadas por Borba, em atletas, é a visualização mental. Associada à hipnose, faz com o que o atleta se visualize na competição e traga para a superfície, todos os seus medos e angústias. Através dessa conscientização, o competidor, vai se percebendo e se trabalhando para poder libertar mais seus potenciais e conseguir dar o seu melhor na hora da competição. esporte-olimpiada-judo-rafaela-silva-20160808-001

“Disseram para a Rafaela que o judô não era para ela, que ela era uma vergonha para sua família. Olha o quanto essa atleta teve que se superar e se vencer internamente para poder ter trazido essa medalha! Isso que é belo em uma vitória. Foi uma autosuperação muito maior do que o trabalho que ela teve tecnicamente como judoca. O treino que ela teve que desenvolver internamente foi muito maior. Eu costumo definir o coaching, pelo o que eu vejo todos os dias como profissional, como nada mais do que a arte de avançar. A Rafaela é uma heroína. Ela trouxe uma medalha de ouro para casa porque ela aprendeu a se autotreinar para se trabalhar e descobrir a melhor maneira de avançar”, conclui o especialista.

Não há dúvidas, que a superação é um dos itens fundamentais para a vitória. E segundo João Alexandre, para ser um vitorioso, é necessário estar em constante superação. Quem se mantém igual, no mesmo padrão, acaba por impedir as suas maiores transformações. É preciso ousar para ser diferente, assim como fez com maestria a nossa Rafaela.

Serviço: João Alexandre Borba

Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

https://www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

https://www.youtube.com/watch?v=oW8vIz6SIwU

Fique atento à prática irresponsável de esportes: você pode se machucar

bucalEm tempos de Olímpiadas, o esporte vem sido falado de todas as formas. Treinos inovadores, dietas, psicológico e emocional do atleta, inúmeras histórias de superação inspiradoras… Mas pouco tem se falado do despreparo e falta de atenção do competidor aos problemas causados pelos traumas por choque, principalmente na prática do esporte de forma amadora.

Os esportes de impacto exigem um contato mais próximo com o adversário, e por envolverem quedas e contatos físicos bruscos, torna-se necessário, que ambos os competidores, utilizem equipamentos que promovam maior proteção. Uns dos mais importantes, os protetores bucais desportivos, evitam que os esportistas sofram impactos na região da boca, que podem causar sérias lesões.

“O protetor bucal pode ser caracterizado como um equipamento essencial, a partir do momento em que o atleta inicia a prática de um esporte de impacto. Esse protetor é, basicamente, um aparelho que se encaixa sobre os dentes e protege toda a região orofacial de colisões traumatizantes, e seu uso se torna obrigatório”, explica a Dra. Cristina Gottlieb, dentista e diretora do The Dental SPA.

Segundo a especialista, os protetores bucais promovem uma garantia de saúde, além de evitar prejuízos financeiros, ocasionados para corrigir os danos causados pelo impacto “É imprescindível entender que o uso desse equipamento, tende a evitar os traumas, que causam uma série de lesões graves no atleta, podendo, inclusive, acarretar em algumas consequências irreparáveis”, alerta a dentista.

Existem vários modelos de protetores desportivos disponíveis, e com isso, pode-se encontrar a opção mais coerente a situação. Para as pessoas que praticam esses esportes por hobby, podem optar por protetores mais comuns, que são moldados e possuem preços mais acessíveis. Porém, aos que costumam praticar esses esportes profissionalmente e com uma frequência intensa, se torna mais que necessário optar por modelos que sejam sob medida.

“Procure auxílio profissional com o seu dentista especializado, para desenvolver os modelos de protetores bucais desportivos, que sejam mais adequados a sua modalidade. E use-o sempre ao treinar. Você estará usufruindo dos prazeres proporcionados pelo esporte, sem que a sua saúde corra riscos”, comenta a Dra. Cristina.

A Clínica Odontológica The Dental SPA é pioneira na comercialização de protetores bucais desportivos no Rio de Janeiro, e está localizada na Barra da Tijuca, no Shopping Cittá América.

Planejando afinar o rosto como as famosas?

BICHECTOMIA1O Brasil é conhecido mundialmente por suas mulheres lindíssimas. O povo brasileiro é considerado um dos mais vaidosos do mundo, além de, atualmente, ocuparmos as primeiras posições nos rankings globais de consumo de cosméticos. Em termos de cirurgia plástica no rosto e no abdômen, como a rinoplastia e a lipoaspiração, o Brasil já desbanca, inclusive, os Estados Unidos. No entanto, um procedimento que vem sendo muito utilizado pelas atrizes hollywoodianas, mas que ainda engatinha no Brasil, é a bichectomia.

Bichectomia é uma intervenção cirúrgica que retira total ou parcialmente as duas bolsas de gordura presentes em cada lado da boca, entre o maxilar e a mandíbula, chamadas de bolas de Bichat. De caráter puramente estético, esse tipo de cirurgia plástica, tem o intuito de afinar a parte de baixo da face e queixo, e também realçar as maçãs do rosto. Celebridades conhecidas por aderirem a esse procedimento são Angelina Jolie, Megan Fox e Kim Kardashian.

O cirurgião buco-maxilo-facial, Dr. Bruno Chagas, do Centro de Deformidades da Face, alerta para os cuidados específicos que essa cirurgia requer: “Assim como todo procedimento cirúrgico, há uma série de precauções, principalmente para o pós-operatório. No entanto, a Bichectomia tem algumas especificidades”, comenta.

1- Utilização de faixa compressiva “Além de conter o edema e prevenir hematomas, faz o tão desejado contorno facial”, explica o cirurgião.

2- Aplicação de gelo. “O gelo deve ser aplicado ao final do procedimento. Neste momento, como haverá grande quantidade de mediadores químicos para uma inflamação e reparo tecidual, o gelo atua como vasoconstritor, promovendo até mesmo a hemostasia”, diz.

3- Utilização de medicação. “Tudo o que for prescrito pelo médico, tem por objetivo diminuir a dor e prevenir infecção. Sempre cumpra o horário dos medicamentos”, alerta Dr. Chagas.

4- Evite esforços com os músculos da face (mímica, fala e mastigação)

5- Repouse em uma posição de 90 graus, ou seja, dois travesseiros nas costas, nunca deite 180 graus.

6- Siga a dieta prescrita pelo seu cirurgião.

7- Faça ao menos 6 sessões de drenagem facial. “Sempre com um profissional especialista em pós- cirúrgico”, ressalta o cirurgião.

Ainda de acordo com o especialista em cirurgias na face, a Bichectomia não é indicada para todo mundo “Se a pessoa já tem o rosto fino, essa cirurgia pode dar uma aparência mais envelhecida, principalmente se a retirada das bolas de Bichat for total. Ela é indicada somente para quem tem o rosto mais cheinho e bochechas protuberantes, e ainda assim, não é muito indicado que sejam retiradas totalmente, para não causar arrependimento”, finaliza o cirurgião.

Conheça mais sobre a ventosaterapia

Ana GilSe você está vidrado acompanhando os Jogos Olímpicos e assistiu o nadador americano, Michael Phelps levar para casa sua 21ª medalha de ouro olímpica, também estranhou as marcas roxas cobrindo suas costas e ombros. Embora causem uma primeira impressão estranha, Michael Phelps, assim como todos os outros competidores de ponta que utilizam da técnica, não estão tendo nenhum problema com dores e locomoção. Pelo contrário, o norte-americano conquistou com maestria – e folga – o primeiro lugar na natação dos Jogos Olímpicos 2016.

A técnica utilizada, como comenta a fisioterapeuta, Ana Gil, se chama ventosaterapia, ou cupping therapy.  “A terapia com ventosas, provém da medicina chinesa e pode ser utilizada tanto para diagnosticar, quanto para tratar diversas enfermidades. A prática consiste em utilizar copos de vidro com fogo, ou ventosas, aplicados diretamente sobre a pele, em áreas específicas do corpo ou nos meridianos da medicina tradicional oriental. Pode ser aplicada de forma fixa ou deslizante”, explica.

Segundo a especialista, seu objetivo é trazer o sangue para a periferia da pele e músculos, para induzir a troca gasosa nas células dos tecidos. Assim, libera-se a estagnação e permite um fluxo sanguíneo enérgico, local e sistêmico. Através de uma desintoxicação no fluxo local, elimina dores musculares, pós-exercícios, por diminuir consideravelmente a concentração de ácido lático após o esforço muscular excessivo.

“É uma técnica preventiva muito utilizada nos esportes. Ajuda a melhorar o desempenho do atleta, porque nutri as fibras musculares mais solicitadas”, diz Ana Gil “Métodos mais atuais, utilizam copos de plástico e uma pistola apropriada para a sucção”, diz o Dr. Israel Amud, acupunturista do Espaço Ana Gil e adepto a técnica. “A pistola tem a vantagem de deixar menos marcas na pele, ou mais suaves, mantendo os mesmos benefícios terapêuticos”, explica.

Segundo a fundadora do Espaço Ana Gil, esse método tem eficácia comprovada e não somente no combate a dores de atletas. “O método é indicado para desintoxicação em geral. Além de reduzir as dores nas costas e promover relaxamento muscular, ajuda a combater reumatismos, enxaquecas, diminui aparência de cicatrizes e até da celulite. Além disso, também alivia ansiedade e stress”, afirma a fisioterapeuta.

No entanto, de acordo com Ana Gil, a terapia com ventosas também tem seus riscos e certos grupos não são aconselhados a fazê-la. Pacientes com suspeitas de hemorragias de qualquer natureza, gestantes acima de sete meses, pacientes com dermatites – psoríase, micoses, cortes e ferimentos recentes no local da aplicação – insuficiência cardíaca, quadros viróticos e osteoporose severa, devem procurar outras fontes de tratamento.

Sofre com artrose?

JulianaArtrose, muito comum entre homens e mulheres acima dos 60 anos, significa inflamação das articulações. Cobertas com um material borrachoso e lubrificado chamado cartilagem, onde dois ossos se encontram e, com quase nenhum atrito, deslizam um sobre o outro, a cartilagem é considerada uma espécie de amortecedor, através do líquido sinovial. Quando ocorre um desgaste das cartilagens – geralmente das mãos, joelhos e quadris – acaba resultando um aumento da fricção entre os ossos, e leva à inflamação do local, que é seguida também por dor e incapacidade funcional.

Em estações frias como o Outono e o Inverno, a maioria dos pacientes reclamam de uma maior dor articular. No entanto, além dos tratamentos tradicionais, com o uso de medicamentos e intervenção cirúrgica, uma boa dieta pode ajudar a reduzir em até 70% a intensidade das dores nas articulações.

Segundo a nutricionista, especializada em nutrição funcional, Dra. Juliana Uyeno, pacientes com sobrepeso tendem a dobrar as possibilidades de risco de desenvolvimento da doença “Principalmente nos joelhos, a artrose, está diretamente ligada ao excesso de peso e obesidade, isso porque, esse excedente causa ainda mais pressão sobre as articulações, que podem tanto acarretar o problema, quanto piorá-lo em caso de já existir”, afirma.

Cláudia Amorim, de 47 anos, sofria com as crises de artrose, quando foi encaminhada a Dra. Juliana por um reumatologista. Mesmo medicada, ainda assim as dores não desapareciam “Personalizamos a alimentação e a suplementação de vitaminas/minerais, a Cláudia perdeu peso e conseguimos erradicar as dores”, conta a nutricionista. “É um caso de sucesso mesmo. Quando escapo um pouco da dieta, com glúten e lactose, as dores pioram muito. Mas quando volto a me alimentar da forma que foi orientado, após 15 dias, fica tudo normal e as dores desaparecem”, comenta a paciente, Cláudia.

A doença, que atualmente atinge mais de 15 milhões de pessoas no Brasil, segundo o Ministério da Saúde, pode ter seus sintomas diminuídos com a adoção de bons hábitos alimentares, exercícios físicos e perda de gordura corporal “Uma alimentação a base de frutas, verduras, carnes mais magras, grãos integrais, castanhas e outras fontes de gorduras saudáveis mantém o peso ideal. A ingestão de antioxidantes e antiinflamatórios, como as vitaminas C, D, E, Zinco, Selênio, ômega-3 e beta-caroteno, também se mostraram muito eficazes no auxílio do retardo da progressão da doença e controle da dor”, aconselha a nutricionista. Ainda de acordo com a especialista, o consumo de bebidas alcoólicas e cigarros também podem agravar os casos de artrose.

Publicidade Popular abre programa de franquias

jonathanA primeira agência de Publicidade voltada para as Micro e Pequenas Empresas (MPE’s) está com um projeto de venda de franquias. Há 3 anos no mercado, a Publicidade Popular (PP) já atendeu mais de 1000 clientes no Brasil e em 15 países diferentes como Estados Unidos, Canadá, Fiji e Egito, comprovando a eficiência e qualidade dos serviços de design e publicidade com qualidade e custo acessível.

Atualmente, cerca de 99,3% das empresas brasileiras são micro e pequenas, que se tornam responsáveis por 27% do Produto Interno Bruto. Assim, estima-se que existam mais de 9 milhões de MPE’s, tornando-se um mercado grande e acirrado. Porém, segundo Jonathan Souza, um dos sócios da Publicidade Popular, não são todas essas empresas que apresentam uma boa comunicação e marketing. “Cerca de 45% das empresas brasileiras não tem sequer um site e apenas 36% tem perfis em plataformas de relacionamentos. No mundo digital que vivemos, é importantíssimo você estar presente na rede e conseguir estabelecer um contato com seu público utilizando estratégias para aumentar suas vendas e seus lucros”, revela.

Entre os serviços que a Publicidade Popular oferece tem destaque   justamente é a criação de sites, uma das principais carências da MPE’s, logotipos, vídeos digitais explicativos e gestão de paginas de empresas no Facebook.Jonathan também ressalta que a estratégia de aderir ao sistema de  franquias é fundamental para o desejo de tornar a comunicação e publicidade acessível a qualquer micro e pequena empresa do Brasil. “ Hoje conseguimos atingir todo o Brasil por meio da Internet, porém não atuamos de forma segmentada em cada região e existem diversas pequenas cidades com um grande potencial a ser explorado, e uma franquia é capaz de atender estas demandas” ressalta Nudelman.

O publicitário então revela que a franquia vai servir para auxiliar os empresários que tem dificuldades em investir na comunicação de sua empresa. “Unimos um serviço de qualidade com um baixo custo em relação ao que é oferecido no mercado visando sempre atender as necessidades das empresas menores. Antes, só as empresas maiores tinham acesso e maneiras de se fazer divulgação da empresa, mas agora também oferecemos isso aos outros empreendedores”, conta.

Já David Nudelman, publicitário e sócio de Jonathan na Publicidade Popular, afirma que o perfil do fraqueado deva ser focado em atendimento e vendas. “Obviamente o candidato precisa ter afinidade com a área de atendimento, de vendas e precisa demonstrar que é capaz de administrar recursos humanos e financeiros. Além disso, ter a capacidade de solucionar problemas no dia a dia e ser proativo também é importante, mas quanto a estrutura não se faz necessário grandes investimento por parte das franquias, uma vez que toda parte de criação e planejamento é fornecido pela matriz.”, diz.

Dessa forma, o fraqueado também poderá ganhar 30% de acordo com venda de cada serviço disponível no portfólio da Publicidade Popular.“Teremos um treinamento para realizar campanhas de marketing local e auxiliaremos o nosso parceiro com materiais gráficos como flyers e cartões de visita para que ele possa atingir os objetivos dele usando a marca e a metodologia já construídas e bem sucedidas”, conclui David.

Assim, a Publicidade Popular está avaliando o perfil dos candidatos e as regiões que pretendem atuar para expandir o seu projeto de franquias da melhor maneira possível.

Investimento inicial: R$ 10 mil
Royalties: Não cobra
Fundo de Propaganda: 3% Faturamento Bruto
Capital de giro (investimento em Publicidade Local): R$ 5 mil a R$ 15 mil
Capital de instalação: R$ 2 mil a R$ 5 mil
Tempo de retorno: 6 a 24 meses
Enquadramento Fiscal:  Intermediação de Negócios (16,33%)
Funcionários 1 colaborador
Modelo de receita 30% de faturamento em cima da cada serviço

Serviço: Agência Publicidade Popular

Fonte: David Nudelman e Jonathan Souza

Cargo: Publicitários e sócios da Publicidade Popular

Fones: RS 51 4063 8010

SP 11 4063 8012

Email: contato@publicidadepopular.com.br

Blog: http://www.pessoasquefazem.com

Site: www.publicidadepopular.com.br

O coaching no aprimoramento pessoal

imagem_release_444827Realizar mudanças, mesmo que seja para o melhor, não é uma tarefa fácil para a maioria das pessoas. Sair do lugar-comum e arriscar, seja no âmbito profissional ou pessoal, geralmente requer muita preparação. A verdade é uma só: são poucas as pessoas que se sentem confortáveis com grandes mudanças, mas isso, necessariamente, não é uma coisa ruim.

Os processos de coaching são uma alternativa para quem quer superar uma barreira em sua vida, trocar de emprego ou fazer alguma outra grande mudança, mas não sabe como. Eles ajudam, de forma simples e direta, a transformar realidades em que o indivíduo não consegue perceber a possibilidade de mudança, e, consequentemente, não pode atingir a realidade positiva que ele deseja. De forma geral, pode-se dizer que o coaching é um acelerador de resultados.

Segundo a psicóloga e coach Cíntia Seabra, conhecida no Brasil inteiro pelo seu método de emagrecimento online “O Segredo do Emagrecimento em 8 Semanas”, o coaching é uma forma de aprimorar pessoas, desempenhos e resultados. “Muitas das dificuldades que as pessoas têm originam-se na mente, causando preocupações e prejudicando na tomada de decisões. O coaching faz com que você assuma o controle da sua vida ao ter mais segurança e comportamentos adequados para que ocorra a mudança de hábitos necessária para uma vida mais satisfatória”, afirma.

A profissional esclarece que o coaching pode acontecer de várias formas diferentes, para alcançar diversos resultados. Em sua empresa, Seabra Coaching, existem três tipos de processos: o Coaching de Vida, Coaching de Negócios e Coaching Executivo. “O primeiro é voltado para quem quer promover mudanças urgentes na sua vida pessoal ou profissional, como para emagrecer, planejar sua carreira ou melhorar seu relacionamento. Já o segundo é feito para quem precisa alavancar resultados rápidos nos negócios, como abrir um novo empreendimento, crescer ou inovar. Por fim, o executivo é direcionado a gestores, líderes e empresários que querem alcançar melhores resultados, administrando melhor seu tempo e gerenciando melhor o dia a dia corporativo, por exemplo”, explica Cintia.

O coaching tem uma taxa de aceitação muito grande atualmente, sendo amplamente aprovado por quem o utiliza, como é o caso de da produtora executiva sênior, Laura Lacerda Fonseca. “O coaching de Cintia me fez crescer como ser humano, já que eu estava estagnada profissionalmente e, com sua ajuda, pude me encontrar”, conclui.

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@seabracoaching.com.br e cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.seabracoaching.com.br e www.osegredodoemagrecimento.com.br

Fazer maratonas de seriados pode distorcer a realidade

imagem_release_450904O episódio final de Game Of Thrones, a aclamada série da emissora HBO, que mistura fantasia e realidade, levou o mundo à loucura. O último episódio da quinta temporada do seriado, que foi ao ar no dia 12 de junho, teve 8,1 milhões de espectadores, segundo o instituto de pesquisa Nielsen, localizada nos Estados Unidos. A série, que possui fãs espalhados no mundo todo, causou comoção nas redes sociais, e teve matérias publicadas sobre sua última transmissão do ano durante dias.

A verdade é que nem todos os seriados dão certo, não ultrapassando do primeiro episódio ou, até mesmo, sendo cancelados depois de várias temporadas, pois, por mais que os membros da Indústria Cultural tentem, nem sempre é possível prever o que fará ou não sucesso. Porém, quando uma pessoa se sente cativada por um seriado e seus personagens, ela passa a esperar ansiosamente pelo desenrolar daquilo, criando expectativas e se frustrando, por diversas vezes.

Apesar de não haver problema em gostar de um seriado, tudo que é feito de forma exagerada pode ser perigoso. De acordo com o e psicólogo e Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching, João Alexandre Borba, as pessoas podem se desgastar tanto de maneira emocional quanto física ao fazer “maratonas” de seriados. “Os serviços de streaming, como Netflix e Now, por exemplo, por vezes liberam uma temporada inteira de uma série de uma vez só, o que permite que as pessoas assistam em um dia, se quiserem. Isso não é saudável, pois o expectador pode passar intervalos de tempo enormes vendo, e esquecer da sua realidade. Já tive um caso de um cliente que ao chegar sexta-feira, ficava em casa até domingo de noite assistindo séries, sem interagir com mais ninguém.”, afirma.

Borba explica que uma pessoa pode se sentir fisicamente desgastada por assistir uma série com muita ação, por exemplo. “O mesmo acontece com séries ou filmes românticos. A pessoa, por assistir inúmeros casais se apaixonando e vivendo felizes para sempre, começa a suprir falsamente sua necessidade de carinho e atenção através da ficção. Porém, essa sensação é superficial, fazendo com que ela continue a assistir de maneira repetitiva, muitas vezes compulsiva, para continuar preenchendo esse vazio”, esclarece.

O psicólogo finaliza, pontuando que, ao acompanhar uma série, é criada uma falsa sensação de lealdade, em que a pessoa se sente parte do enredo e da vida da personagem. “É importante observar que assistir séries e gostar delas não é problema nenhum. Entretanto, isso deve ser feito de maneira moderada, evitando fazer maratonas de episódios, já que isso também pode indicar depressão e solidão”, conclui.

Serviço: João Alexandre Borba

Psicólogo e Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Aumente seu derrière com a prótese de glúteo

imagem_release_443244Um dos atributos físicos mais valorizados nas mulheres é o bumbum. Infelizmente, nem todas as pessoas podem se vangloriar de ter nascido com um “derrière”, como é chamado pelos franceses, avantajado. Para resolver esse problema, existe uma cirurgia que tem conquistado cada vez mais pessoas; a prótese de glúteo.

Segundo os dados mais recentes da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), houve um aumento da busca das brasileiras pelas próteses de bumbum. Só em 2011, mais de 21 mil pessoas realizaram esse procedimento, contra as 4,5 mil pessoas de 2009 que fizeram a mesma intervenção.

De acordo com o cirurgião plástico Alderson Luiz Pacheco, que atua em Curitiba, normalmente, os pacientes procuram essa cirurgia para aumentar sua autoestima. “As mulheres não se sentem satisfeitas com os seus corpos, e, por isso, optam por esse procedimento. Normalmente, são pessoas com nádegas pequenas ou que, após emagrecerem, perderam muito volume, sem que houvesse uma flacidez expressiva (ptose)”, observa.

Pacheco explica que essa cirurgia, que pode ser feita com anestesia peridural ou geral, é realizada colocando uma prótese de gel de silicone dentro do músculo do glúteo maior. “A cicatriz não é aparente, pois localiza-se no sulco glúteo (prega entre nádegas). Apesar do que pode-se pensar, existem muitos modelos de glúteos, que devem ser analisados, para que o paciente escolha o adequado para seu corpo”, afirma.

O cirurgião pontua que o pós-operatório dessa cirurgia é mais doloroso do que o de implante de seios, mas que não é impossível. “Como há uma distinção das fibras musculares, a dor pode ser um pouco agravada, mas nada que não possa ser solucionado com  anestésicos e anti-inflamatórios. O uso de cintas modeladoras, manter a região higienizada e evitar esforços físicos são necessários para a boa recuperação”, fala.

Ele finaliza, lembrando que é extremamente importante procurar um cirurgião de confiança, e que os resultados são completamente visíveis depois de seis meses.

Serviço: Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)

Cirurgião Plástico

Sites: http://www.alplastica.com

http://www.michelangeloclinica.com.br

Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com

Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br

Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424

Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champagnat, Curitiba/PR.

Fontes da Toda Comunicação Curitiba/PR

Retomando a vida sexual depois dos 50 anos

imagem_release_447488Conforme as pessoas vão envelhecendo, é normal que elas passem a ter relações sexuais com menos frequência, mesmo se a pessoa possuir um parceiro de longa data. De acordo com pesquisas na área de gerontologia, segmento da medicina que estuda as questões multidimensionais do envelhecimento e da velhice, se comparado aos homens, as mulheres têm três vezes mais chances de serem afetadas sexualmente por causa da idade, pelas alterações hormonais que caracterizam essa parte da vida.

Entretanto, os homens também sofrem com a idade, pois, a partir dos 50 anos, pode ser mais difícil ter e manter uma ereção por bastante tempo, também pelo fato de que os níveis de testosterona diminuem com a idade. De acordo com um estudo realizado pelo National Council on Aging (Conselho Nacional do Envelhecimento, em inglês) dos EUA, metade dos norte-americanos com mais de 60 anos tem relações sexuais pelo menos uma vez por mês.

Segundo a psicóloga clínica e hospitalar voltada à saúde do homem, Carla Ribeiro, que atua em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, o desejo sexual pode, sim, diminuir com a idade, mas ele não é o principal motivo pelo qual as pessoas têm menos relações sexuais a partir dos 50 anos. “Muitos fatores, tanto psicológicos quanto fisiológicos, podem atrapalhar o desejo sexual de alguém, e, por isso, existem muitas soluções para resolver esse problema. Por exemplo, para homens, remédios que corrigem disfunções eréteis podem ser usados para garantir um tempo maior durante o ato sexual, mas é preciso conversar com seu médico antes de realmente começar a usa-los”, explica.

A profissional também afirma que a falta de energia pode diminuir a vontade de ter relações sexuais. “A melhor maneira de contornar esse problema é não pensar no sexo como uma atividade atlética que demanda posições exuberantes ou que deva durar por horas. Procure enxergar o sexo como um momento de prazer para você e sua parceira, e tente fazer de tudo para que seja uma experiência relaxante, com massagens, carícias ou até mesmo banhos, já que essa é uma ótima forma de desestressar no final do dia”, observa.

Carla finaliza, esclarecendo que, de longe, a melhor forma de solucionar o problema da falta de sexo a partir dos 50 anos é falar com seu parceiro ou parceira. “O diálogo pode resolver muito mais do que se pensa, pois, dessa forma, é possível conhecer novamente a pessoa com que você decidiu dividir sua vida, e fazer com que os momentos íntimos voltem a ser não só frequentes, como também prazerosos para ambos”, conclui.

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Taquara,

Jacarepaguá – Rio de Janeiro/RJ.

A felicidade no trabalho existe?

imagem_release_445946No imaginário popular, o trabalho é tratado como algo penoso,que perdurará por sua vida toda, e que as pessoas acabam se acomodando em uma empresa onde não são felizes, apenas por estabilidade financeira.

Esse estigma de que o trabalho apenas serve para ganhar dinheiro deve ser acabado, pois, já que as pessoas passam boa parte das suas vidas trabalhando, deve-se procurar uma função que traga felicidade e, ao mesmo tempo, um bom sustento.

Segundo Madalena Feliciano, diretora de projetos da empresa Outliers Careers, a busca pela felicidade profissional é válida, apesar de não ser fácil. “O seu trabalho não pode ser tratado como algo negativo, onde você se sente preso e insatisfeito. Pelo contrário, o ideal é que você se sinta motivado para trabalhar, goste das suas funções e, claro, ainda esteja satisfeito com seu salário. Nenhum local de trabalho será 100% ideal, pois em qualquer lugar existirão falhas (um colega inconveniente, você poderia ganhar mais, não existe plano de saúde, etc), mas a pessoa deve sempre buscar sentir prazer pelo que faz”, explica.

A profissional afirma que a busca por uma vida material mais humana pode ser desenvolvida através do trabalho, desde que este seja realizado de maneira agradável. “Para uma pessoa se sentir feliz dentro do ambiente de trabalho, normalmente, considera-se cinco importantes fatores. O primeiro é o ambiente, que deve ser motivador e inspirador; imersão é o segundo fator, que é quando a pessoa se sente engajada e motivada para trabalhar. Reconhecimento, terceiro ponto, é quando há uma remuneração justa, além da consideração dentro do ambiente profissional. Os últimos dois fatores, equilíbrio entre a vida profissional e pessoal, compõe o quadro que deixa a vida de qualquer pessoa mais satisfatória”, elabora.

Madalena finaliza, dizendo que, ao mesmo passo em que o profissional deve buscar ser feliz no ambiente de trabalho, é função dos superiores tornar esse ambiente agradável para todos. “Quando os colaboradores estão felizes, a empresa funciona melhor, gerando mais resultados para a empresa”, conclui.

Outliers Careers
Madalena Feliciano

Diretora Geral
(11) 2737-1724
Avenida Fagundes Filho, 77, cj 82 e 83,  São Paulo – SP.
madalena@outlierscareers.com.br
www.outlierscareers.com.br

Dicas para manter a postura correta no dia a dia

imagem_release_451034Com a correria do dia a dia, por diversas vezes, as pessoas ignoram os efeitos que determinadas ações podem ter futuramente, comprometendo sua saúde. Uma das atitudes mais comuns – e mais errôneas – que as pessoas têm é relativo à posição com que exercem suas atividades diárias, colocando em risco sua saúde postural.

Segundo a fisioterapeuta Carla Tissiane de Souza Silva, atuante em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, é necessário trabalhar para sempre buscar uma postura correta, que deve ser funcional e esteticamente aceitável. “O ideal é procurar ter um equilíbrio entre os músculos e o esqueleto, permitindo proteger as estruturas de suporte de corpo contra lesões ou deformidades, não causando fadiga. Para que isso ocorra, é preciso avaliar se as suas atitudes corporais diárias estão corretas”, explica Carla, que possui formação em RPG e no método Pilates, e, atualmente, está se especializando em Osteopatia e é mestranda em Atividade Física e Saúde.

Ela afirma que, por mais que possa parecer difícil, seguindo algumas dicas específicas é possível adequar sua postura com as atividades do dia a dia, tanto no trabalho como em casa.

Confira suas dicas para ter uma saúde postural adequada:

1.   Ao dormir

O ideal é possuir um colchão semi-rígido ou de espuma, que permita que o peso seja bem distribuído. O colchão mais próximo do ideal é aquele que você não afunda quando deita. Além de também ter um bom travesseiro, sua postura na cama deve ser observada. Caso você durma de barriga para cima, utilize um travesseiro embaixo dos joelhos; caso você durma de lado, um travesseiro entre as pernas dobradas é uma boa opção. Dormir de bruços deve ser evitado ao máximo, mas, caso você não consiga de nenhuma outra forma, coloque o travesseiro embaixo da barriga, e não da cabeça.

2.   Ao cuidar da casa

Evite trabalhar com o tronco totalmente inclinado se estiver em pé e utilize uma leve flexão dos joelhos para melhor acomodar sua coluna e não sobrecarregar articulações; na hora de passar a roupa, a mesa deve ter uma altura suficiente para que a pessoa não se incline. Ao elevar algum peso acima da cabeça deve-se apoiar o peso no corpo, e subir em uma escada ou banco para guardá-lo adequadamente. Para erguer um peso qualquer, o correto é abaixar-se flexionando os joelhos até embaixo, sem curvar a coluna, e levantar-se transferindo o peso para as pernas, não para a coluna.

3.   No trabalho

Para se sentar corretamente na mesa de trabalho, o ideal é encostar as costas na cadeira, além de manter os pés apoiados no chão e procurar ocupar a maior área possível do assento com as coxas. Evitar torções de corpo inteiro, levantando-se ou usando uma cadeira que gire com facilidade para falar com alguém ou pegar algo também é uma dica valiosa para evitar lesões.

A profissional lembra que, para quem não consegue corrigir sozinho sua própria postura, o tratamento por RPG (Reeducação Postural Global) é uma boa opção. “A boa saúde da coluna depende do que fazemos no dia a dia, nessas pequenas atitudes que permitem manter o equilíbrio do corpo. A prática de RPG e Pilates, por exemplo, são formas de fortalecer a musculatura da coluna e equilibrar as cadeias musculares, o que facilitam manter uma postura adequada e permitindo uma postura harmônica e equilibrada tanto funcionalmente como esteticamente”, pontua.

Carla finaliza, afirmando que a RPG deve ser sempre aplicada por fisioterapeutas especializados, para que o tratamento realmente ajude, ao invés de piorar a saúde postural da pessoa.

Serviço: Inspire Fisioterapia e Pilates

Carla Tissiane de Souza Silva – Crefito-8 149838-F

Fisioterapeuta

Fones: Unidade 01: (41) 3385 4924/ Unidade 02:3404-7155

Unidade 01: Alcídio Viana, 1001 – 4º andar/sala42, Bairro São Pedro, São José dos Pinhais PR.

Unidade 02: Av. Rui Barbosa, 5864 , Bairro Afonso Pena, São José dos Pinhais PR.

Facebook: Inspire Fisioterapia e Pilates

Qual é a sua missão?

imagem_release_446397Que todas as pessoas são diferentes já sabemos, mas o que poucos percebem é que cada um, independente de religião, gênero, raça ou idade, possui uma missão no mundo. As pessoas acabam por mudar a própria vida, a de milhares de pessoas, outras mudam a vida de um número menor de gente, mas, nem por isso, deixam de ser menos importantes.

Segundo o que conta Andreia Rego, que trabalha com coaching e psicanálise, quando a pessoa sabe da sua missão, se torna possível identificar, ao longo do tempo, se ela tem se mantido fiel na manutenção de valores e na construção de ações que a levem a atingir suas metas, tanto pessoais, quanto profissionais. “Quando o indivíduo tem consciência sobre qual é a sua razão de estar vivo, ele se sente motivado para acordar todos os dias. Esse autoconhecimento nos dá a confiança e o estímulo para continuar buscando alcançar nossas metas”, conta.

Andreia explica que pensar sobre a sua “missão” traz energia e dinâmica para acreditar num futuro melhor. “Somos automaticamente impactados porque compreendemos nosso propósito, o que pode gerar uma perspectiva positiva para o amanhã”, esclarece.

A coach propõe o seguinte: que cada um procure responder as seguintes perguntas, de forma pausada e longe das outras pessoas, para que elas não influenciem suas respostas. Ela diz que o ideal é escrevê-las em um caderno de fácil acesso, para que se possa sempre observar algo que deva ser aproveitado/alterado.

  Confira:

  1. O que é mais importante na minha vida? Como me sinto em relação a isso?
  1. O que me deixa realizado? O que isso me proporciona?
  1. Qual é a minha vocação?
  1. Quais são os meus talentos?
  1. O que me dá mais felicidade?
  1. Quais são os meus principais valores? Enumere os 05 mais importantes para você (Exemplo: amor, humanidade, honestidade, paz, liberdade, conhecimento, etc.).

“Se você não se satisfizer com as suas respostas de hoje, não se preocupe; elas sempre podem mudar, conforme você amadurece como pessoa. Estando satisfeito e empolgado com suas respostas, junte-as em um só parágrafo, e determine qual é a sua missão. A partir daí, comece a trabalhar para que ela se realize!”, conclui a profissional.

Serviço: Andreia Rego

Psicanalista e Coach de Desenvolvimento Humano

Face: https://www.facebook.com/andreiasrego?ref=hl 

Instagram: Andreia Rego

Site: http://coachandreiarego.com.br/

E-mail: asrego@gmail.com

Celular: 21 99941.9950

O segredo para emagrecer é comer bem, e não pouco

61Muitas pessoas têm vontade de emagrecer, mas não sabem como fazer isso da forma adequada, talvez por falta de orientação ou informação, e acabam por prejudicar sua saúde. Alguns optam por exercícios exaustivos e não funcionais, outros (a maioria, na verdade), acabam por realizar dietas absurdas, que contribuem com o efeito sanfona e para a piora na saúde do indivíduo.

Diversos estudos indicam que a melhor maneira de emagrecer não é parando de comer ou exercitando-se de maneira intensa. A forma mais eficiente para perder peso é comendo de maneira adequada, a cada três horas, aproximadamente. Além disso, outras indicações para emagrecer com saúde incluem tomar água antes das refeições e durante o dia (pelo menos 2L diariamente), comer mais produtos orgânicos e diminuir o consumo de álcool. De maneira geral, comer em menores porções com maior frequência no dia é um bom jeito de alcançar o peso desejado sem colocar sua saúde em risco.

Segundo a coach de emagrecimento e psicóloga Cintia Seabra, o problema das pessoas que querem emagrecer e não conseguem é o descontrole perante a comida. “Nós, os seres humanos, desejamos as coisas, e isso não é errado. O problema está em não conseguir se controlar diante desses desejos, e sabotar seu desejo maior: a perda de peso”, afirma a profissional.

Cintia explica que a comida funciona como uma forma de preencher um vazio dentro de si quando não a pessoa não consegue realizar algum desejo. “Por exemplo, quando a pessoa tenta alcançar algum objetivo mas enfrenta obstáculos que não permitem que isso aconteça, a comida se torna a compensação mais acessível. Por isso, as pessoas acabam por utilizar o alimento como forma de preencher de maneira satisfatória, imediata e rasa”, esclarece.

A coach finaliza, observando que o problema não são os desejos que a pessoa sente, mas, sim, o modo como ela lida com eles. “Quando se come de maneira adequada, é possível suprimir os desejos e, ao mesmo tempo, emagrecer. Para perder peso, não é necessário morrer de fome, mas, sim, aprender a comer da maneira adequada e gerenciar melhor a vida de forma geral”, conclui.

Saiba mais no vídeo:

www.osegredodoemagrecimento.com.br/nao-e-seu-desejo-por-comida-que-te-atrapalha-a-emagrecer/

 Serviço: Cintia Seabra

 Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

 cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

 http://osegredodoemagrecimento.com.br

A maneira mais simples de aumentar a batata da perna

imagem_release_443231Normalmente, quando nota-se os atributos físicos de uma pessoa, analisa-se os olhos, nariz, boca, peito (seios, no caso das mulheres), quadril, nádegas, coxas…e, panturrilhas? Sim, de uns anos para cá, as pessoas começaram a notar mais as suas pernas, assim como as dos outros, o que impulsionou um mercado que, antes, não era muito popular: o de implantes de silicones nas panturrilhas.

Segundo Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico que atua em Curitiba, a prótese na “batata da perna” pode ser feita naqueles que apresentam pouca projeção na panturrilha. “Quando se aumenta a projeção dessa região, observa-se uma aparência mais harmônica em relação à coxa. A intervenção aloja as próteses de silicone entre os músculos das panturrilhas, deixando-as torneadas e com melhor formato”, afirma.

O médico explica que, além do motivo estético, existe outra razão para se fazer um implante de panturrilha: para corrigir atrofias musculares, causadas por doenças neurológicas ou musculares. “Essa cirurgia é realizada com anestesia peridural ou geral, e o tempo de internação pode ser de 12 ou 24 horas, dependendo do caso. A incisão é realizada na dobra posterior do joelho, abrindo a fáscia muscular (capa que cobre o músculo). Após isso, coloca-se o silicone entre a fáscia e o músculo, para, então, costurar a fáscia e a pele”, esclarece.

Apesar de não ser uma cirurgia muito comum, e, consequentemente, comentada, ele afirma que é raro haver complicações, por se tratar de um procedimento relativamente simples. “Claro, assim como toda cirurgia, existem seus riscos, como hematomas, trombose ou alteração na cicatrização, mas é raro. Para o pós-operatório, deve-se evitar caminhar muito e subir escadas, além de haver a necessidade de usar uma meia elástica por, pelo menos, 30 dias”, pontua.

Alderson finaliza, explicando que a cicatrização completa acontece dentro de seis meses, mas, a partir de dois meses, já é possível observar o resultado final.

Serviço: Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)

Cirurgião Plástico

Sites: http://www.alplastica.com

http://www.michelangeloclinica.com.br

Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com

Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br

Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424

Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champagnat, Curitiba/PR.

Fontes da Toda Comunicação Curitiba/PR

Aprenda a dizer não

imagem_release_439030No dia a dia, é comum que as pessoas esqueçam dos seus próprios desejos para atender as vontades dos outros, principalmente pela correria diária presente na sociedade. É normal que pais e mães deixem de fazer uma coisa ou outra para atender seus filhos, assim como, na empresa, as vezes é preciso parar alguma atividade para fazer algo para seu chefe. O problema surge quando as pessoas perdem sua própria autonomia, e não conseguem dizer não para os outros, esquecendo-se de si próprios.

O ato de dizer não parece fácil para muitas pessoas, mas, para outras, é um verdadeiro desafio. De acordo com especialistas, a característica de falar não surge ainda na infância, lá pelo 15º mês de vida, quando o bebê começa a buscar sua independência da mãe. Ao falar não, especialmente nessa fase entre um e dois anos de idade, a criança procura se emancipar, ainda que de maneira limitada, da figura materna. É nesse momento em que, sutilmente, se descobre a figura do “eu”.

Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, quando uma pessoa diz não para algo, ela, na verdade, está, ao mesmo tempo, dizendo sim para si mesmo. “Se uma pessoa lhe encoraja a beber, mas você não está sentindo vontade e recusa, você, ao mesmo tempo, está dizendo sim à sua autonomia, respeitando a si mesmo”, explica.

O profissional fala que, ao aprender a dizer não, a pessoa evita ser vítima de quem sabe dizer sim. “Se o indivíduo não souber se posicionar dentro do ambiente de trabalho, por exemplo, os colegas sempre passarão por cima dele, por serem mais autoritários e assertivos. Isso pode causar estresse, levando a pessoa a se sentir sobrecarregada, quando não há necessidade para isso”, comenta.

Quando as pessoas começam a dizer sim para si mesmas, é possível que aja uma reestruturação do próprio indivíduo. “A partir do momento em que a pessoa toma as rédeas de sua vida e começa a valorizar seus próprios gostos, preferências e sentimentos, ela consegue aprender a dizer não para os outros, e se reestruturar internamente. No fundo, não se trata de aprender a dizer não, mas a valorizar o próprio ‘sim”, conclui Borba.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Deixe-se levar pelos ritmos da dança

Dancers participate in auditions for "Copa Dancers" at the new Copacabana nightclub June 27, 2011 in New York's Times Square. The historic 75-year-old club recently moved to the new location. AFP PHOTO/Stan HONDA

A dança é uma das principais forma de expressão da atualidade, conquistando milhões de pessoas pelo seus movimentos e ritmos diversificados, que podem expressar diversos sentimentos como raiva, tristeza, alegria e amor, entre outros. A dança em si é uma das formas de expressão mais antigas do mundo, e era uma das artes mais populares na Antiguidade, juntamente ao teatro e a música.

Na atualidade, pode-se encontrar diversos estilos diferentes de dança, agradando a pessoas de todas as idades. Segundo Ingrid Teles, que é bailarina desde os 12 anos de idade, a prática da dança ajuda na valorização de si mesmo, além da manutenção da boa forma e da prevenção de doenças. “O ritmo, tão valorizado na dança, é algo que se move de forma regulada, e podemos percebê-lo em diversos momentos do nosso dia: na nossa respiração, no nosso andar, etc. Dessa forma, é possível interpretar que o ritmo só precisa ser adequado para a dança em si, o que pode parecer difícil no começo, mas se torna prazeroso a medida que a pessoa desenvolve suas habilidades”, observa.

Ingrid,  que atua, presentemente, como dançarina, professora, enquanto participa de diversas competições e mantém seus estudos em modalidades de dança diferentes, acredita que, no meio da infinidade de ritmos de danças que existem atualmente, se torna impossível não encontrar um que combine com você. “Para dançar, basta querer. Além de opções clássicas e mais delicadas como o ballet, também é possível experimentar modalidades como o jazz e o hip hop, que possuem ritmos mais rápidos e modernos, onde o participante deve demonstrar o esforço que está fazendo para dançar”, explica.

Ela também enfatiza que os ritmos podem mudar de acordo com o propósito da dança. “Para danças religiosas, como as indianas, os ritmos serão alegres e acompanhados de orações, por parte dos devotos. Já em danças como o tango, que visam a sensualidade, tudo será mais lento e dramático. O interessante é observar que as expressões dos dançarinos mudam durante a dança, para compor a atmosfera criada nesse ato. Você pode escolher, entre uma infinidade de ritmos, entre os mais populares, como o ballet, jazz, sapateado, dança de salão ou zumba, ou, ainda, se aventurar pelos menos conhecidos, como stiletto, dança do ventre ou danças indianas, por exemplo”, afirma.

A professora de dança ainda fala que o importante, na dança, é se esforçar e se divertir enquanto faz isso. “Por mais que seu objetivo não seja ser um profissional ou competir, dançar é uma atividade prazerosa, que conquista cada vez mais pessoas de todas as idades. Recomendo que todos tentem, pelo menos uma vez, participar de uma aula de dança, para ver como é maravilhoso conhecer os diferentes ritmos, e sentir os benefícios da dança em sua mente e corpo!”, finaliza.

Serviço: Ingrid Teles

Portfólio: www.ingridtelesdance.tumblr.com/

E-mail: ingrid@creatorscontent.com.br

Telefone: 41 9546-4157

Breaking, uma dança em ascensão

imagem_release_446358O começo do estilo de dança conhecido como breaking tem algumas divergências entre que o estuda, mas a maioria dos estudiosos acreditam que ele surgiu na metade dos anos 70 no bairro Bronx, em Nova York, nos EUA. O termo “Break” vem da música que os DJs tocavam nas festas de rua e que tinham diversas fontes de inspiração, como o soul, funk, jazz e músicas latinas.

O trecho denominado como break é o de maior impacto na música, sendo este o momento em que as pessoas entravam na roda para dançar. Segundo Ingrid Teles, que é bailarina desde os 12 anos, e pratica diversas modalidades diferentes de dança, esse estilo se caracteriza pela preparação diferenciada que o acompanha. “O breaking começa pelo Top Rock, que são passos de funk estilizados. Após isso, é  a vez do Foot Work, que é o trabalho realizado pelos pés movimentando o corpo circularmente com o apoio das mãos. Por último vem o Freeze, que é a finalização da dança de cada um”, explica.

Ela, que atua, presentemente, como dançarina, professora, enquanto participa de diversas competições, esclarece que, mais do que um estilo de dança influenciado por diferentes ritmos, o breaking sempre esteve associada às culturas negras e latinas. “É evidente que, atualmente, pessoas das mais diversas etnias e descendências praticam essa dança, mas, sobretudo na década de 70 nos Estados Unidos, essa cultura da rua se estendeu e adentrou na vida das pessoas, como uma forma de identidade”, fala.

Ingrid, que estuda diversas modalidades de dança, afirma que o breaking, além de ser uma forma de se expressar, é uma maneira, também, de manter a forma. “Todo seu corpo trabalha ao fazer os movimentos, tonificando músculos das pernas, braços e abdômen, além de fortalecer a região da coluna vertebral. Então, além de ser prazerosa, essa forma de dança também é funcional”, comenta.

A professora finaliza, lembrando que, apesar de ser um estilo conhecido mundialmente, não é fácil encontra-lo em escolas de dança no Brasil. “Pelo nível de dificuldade e pouco conhecimento sobre esta modalidade, não é comum encontrar essa modalidade em academias de dança. Normalmente, o que existem são aulas que ensinam passos parecidos com o breaking, mas misturados a outros estilos em aulas de  danças urbanas. Em Curitiba, eu dou aulas para jovens que estejam interessados em aprender esse estilo, e acho difícil não se apaixonar por ele, além de ser uma tentativa válida para todos que procuram uma nova forma de se expressar e divertir”, conclui.

Serviço: Ingrid Teles

Portfólio: www.ingridtelesdance.tumblr.com/

E-mail: ingrid@creatorscontent.com.br

Reconheça seus gatilhos emocionais e emagreça!

61Para certas pessoas, emagrecer é um verdadeiro desafio. Claro, o fator genético influencia, e muito, nesse processo, mas, além da parte física, deve-se considerar os fatores emocionais de quem se encontra na jornada do emagrecimento.

Com a correria do dia a dia, é comum que as pessoas estejam cada vez mais nervosas e estressadas, o que pode gerar outros problemas de saúde, e dificultar o alcance do peso desejado. Segundo a psicóloga e master coach de emagrecimento, Cintia Seabra, os gatilhos emocionais, individuais de cada um, são o que fazem as pessoas sabotarem suas próprias jornadas rumo ao peso desejado. “Sinais de que os gatilhos emocionais estão sabotando sua perda de peso são percebidos no descontrole diante da comida, o que leva a pessoa a comer mais do que devia e a se sentir mal consigo mesma depois”, explica.

Ela afirma que, para emagrecer, é preciso desenvolver e expandir sua consciência alimentar, reconhecendo esses gatilhos que disparam a vontade de comer além da conta. “Só se pode controlar aquilo que se tem consciência, e, por isso, é preciso ter consciência do seu padrão alimentar, e lutar para mudá-lo”, conta.

A profissional também pontua que é preciso que a pessoa conheça o que faz ela comer mais do que deveria. “O gatilho é aquilo que dispara o desejo de comer, então, quando você sentir alguma vontade inesperada de trapacear na sua dieta e ingerir tudo o que vê pela frente, pense primeiro no que você está sentindo no momento (raiva, estresse, cansaço, tristeza…), pois isso é o que te faz perder o controle”, observa.

Cintia, que é referência nacional no setor, por seu programa de emagrecimento online O Segredo do Emagrecimento, acredita que existam dois gatilhos principais: o cansaço e o estresse. “Para se livrar deles, procure, ao chegar em casa, realizar algum tipo de atividade antes de comer. Pode ser brincar com seus filhos, tomar banho, descansar ou fazer exercícios. O cansaço também pode ser atribuído à maneira como você tem lidado com sua vida; fazendo mais coisas do que deveria sem pedir ajuda a alguém, por isso repense a sua rotina, para que você leve a vida com menos preocupações”, esclarece.

A coach finaliza, deixando claro que, a partir do momento em que se descobre quais são seus gatilhos emocionais que estão atrapalhando seu emagrecimento, é necessário estabelecer uma meta para ajustar sua vida, para que eles não fiquem mais  no caminho entre você e seu desejo de emagrecer.

Saiba mais no vídeo: www.youtube.com/watch?v=CMFznLZctwQ&feature=youtu.be

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

Lifting de braços: a cirurgia que está conquistando o mercado

imagem_release_438548Uma cirurgia está, cada vez mais, em evidência no Brasil e no mundo. Trata-se da braquioplastia, ou, mais comumente chamada, o lifting de braços. Dados da Sociedade Americana de Cirurgia Plástica mostram que, em 2012, mais de 15 mil pessoas (dessas, 98% mulheres) optaram por este procedimento. Já em território brasileiro, os dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica apontam que, só em 2011, foram feitas mais de oito mil operações, apontando uma tendência no mercado das cirurgias plásticas.

Segundo Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico com atuação em Curitiba, esse tipo de procedimento é indicado para quem quer retirar o excesso de gordura localizada, flacidez ou pele da região do braço. “A cirurgia atua no popularmente conhecido como ‘músculo do tchau’,  local que passa a incomodar muita gente depois de um tempo, já que é natural que a pele se torne flácida, pois mesmo quem faz atividades físicas e segue uma dieta saudável pode desenvolver excesso de pele”, explica.

Essa flacidez também é comum em pessoas que perdem muito peso, de acordo com o que conta o cirurgião. “Como essa cirurgia geralmente deixa uma cicatriz de tamanho médio para grande, sugere-se que apenas pessoas que se sentem muito desconfortáveis devem procurar esse procedimento. Para poder realizar este procedimento, a pessoa deve estar em boas condições de saúde, não estar muito acima do peso, não ter problemas de coagulação e nem apresentar doenças crônicas (como diabetes), entre outras contra-indicações”, cita.

Pacheco esclarece que a braquioplastia em si envolve o reposicionamento da pele no braço e a retirada do seu excesso, para eliminar a flacidez. “Quando há presença de gordura localizada, a lipoaspiração pode ser feita simultaneamente. A incisão é feita na região da axila, e estendida na parte interna do braço. Caso combinada com a lipoaspiração, a cirurgia dura, aproximadamente, três horas. Se não, pode durar entre uma e duas horas” comenta.

O profissional acredita que, mesmo com a possibilidade de uma cicatriz aparente, os resultados são, na maioria das vezes, satisfatórios. “O que vemos depois é um contorno corporal mais bonito nessa região do corpo, com menor flacidez e aspecto de pele mais firme”, conclui.

Serviço: Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)

Cirurgião Plástico

Sites: http://www.alplastica.com

http://www.michelangeloclinica.com.br

Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com

Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br

Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424

Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champagnat, Curitiba/PR.

Fontes da Toda Comunicação Curitiba/PR

Por que é tão difícil obter os benefícios do INSS?

imagem_release_443318Em teoria, o INSS é o órgão procurado quando algum brasileiro, que contribuiu durante anos no país, vai em busca da sua aposentadoria, pensão, ou algum outro benefício- como o auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez.

Entretanto, não é tão simples quanto parece obter este benefício. Para muitas pessoas, conseguir garantir este direito torna-se uma batalha, que pode durar muitos anos. Segundo Tiago Kidricki, advogado especializado no setor previdenciário, para receber o auxílio-doença, por exemplo, não basta portar uma doença. “Esta condição deve poder deixar o contribuinte incapacitado para trabalhar em sua atividade habitual por, pelo menos, 15 dias consecutivos, segundo o artigo 59 da Lei 8.213/1991”, explica.

Já a aposentadoria por invalidez, por outro lado, é aceita quando o segurado for considerado incapaz e insusceptível de reabilitação para o exercício de atividade que lhe garanta subsistência. “Exemplifico, para que seja mais fácil compreensão: se uma segurada tem como atividade habitual ser massagista, e ela desenvolve uma doença que faz com que ela tenha que parar de trabalhar, ela pode requerer o auxílio-doença, se as dores perdurarem por mais de 15 dias. Já se não houver possibilidade de recuperação, e ela não exercer outra atividade, ela pode requerer a aposentadoria por invalidez”, afirma o profissional.

Kidricki ressalta que tanto o auxílio-doença quanto a aposentadoria por invalidez podem decorrer de algum acidente, desde que se encaixem nos termos citados. “Mesmo o direito dos brasileiros ser assegurado por lei, muitos não o conseguem, pois o INSS exige que os contribuintes levem provas materiais de que eles possuem a doença, qual sua renda, quais são suas limitações, etc. Tudo isso leva tempo, e já houveram casos de trabalhadores que esperaram por mais de 10 anos para obter seu benefício”, observa.

Ele, que faz parte do Kidricki e Sousa Advogados Associados, escritório de Porto Alegre, finaliza, lembrando que, apesar das dificuldades, sempre é possível lutar para garantir seus direitos. “Quem tiver algum desses pedidos negados pode recorrer de duas maneiras: recorrer administrativamente à autarquia ou entrar na Justiça. Sempre recomendo que as pessoas procurem um advogado de confiança, pois, deste modo, é maior garantia de que seus direitos serão atendidos de uma maneira justa, e em um tempo mais curto”, conclui.

Serviço: Kidricki e Sousa Advogados Associados

Tiago Beck Kidricki OAB/RS n. 58.280

Rua João Abbott 473/503 – Petrópolis, Porto Alegre.

Fone: 30283443

www.ksadvogados.com.br

O amor próprio e o emagrecimento

5Todos os dias, as pessoas fazem julgamentos de valor. Elas julgam seus colegas de trabalho, a situação atual do país, as suas escolhas diárias, mas, principalmente, julgam a si mesmas. Entretanto, o julgamento que elas fazem de si mesmas não é sobre o curso de sua vida ou se ela deveria estar fazendo coisas melhores com seu tempo livre, por exemplo, mas, sim, sobre sua aparência.

Para quem julga estar acima do peso ou não ser bonita o suficiente, esses julgamentos podem ser um soco no estômago. Segundo Cintia Seabra, psicóloga e coach de emagrecimento que é referência nacional na área, as pessoas tendem a pensar, quando se olham no espelho, sobre o que os outros estão achando delas, e não sobre a sua imagem em relação a si mesmas. “As pessoas tendem a criar opiniões boas sobre os outros e ter opiniões degradantes sobre si mesmas. É preciso saber se amar mais, pois, quando nos amamos, permitimos que os outros nos amem, também”, afirma.

Ela lembra que não se pode querer emagrecer tendo em mente o que os outros pensam de nós, e, sim, ter o desejo de mudança para se agradar. “As vezes esquecemos disso, mas as pessoas que gostam da gente de verdade olham além da estética, por mais que, muitas vezes, nós mesmas façamos isso.  Pensar pouco de si mesma não ajuda em nada na sua vida, pois, por mais que as coisas não estejam boas hoje, amanhã elas podem estar ótimas, e sempre devemos almejar a mudança com a esperança de um futuro mais feliz”, explica.

Cintia, que já ajudou milhares de brasileiros a emagrecer com seu programa de emagrecimento online, O Segredo do Emagrecimento em oito Semanas, pontua que as pessoas são muito maiores do que a imagem que é refletida no espelho, e, por isso, o desejo de mudar e perder peso deve vir de dentro, por vontade própria de se sentir mais feliz consigo mesma.

A coach finaliza, observando que, para se motivar para emagrecer, a pessoa em questão deve sempre procurar pensar no que o emagrecimento trará de bom na sua vida, no sentido de se sentir bem consigo mesma. “Se livre do peso do seu julgamento e da sua opinião negativa sobre si própria, e faça suas escolhas visando a sua própria felicidade, e não a dos outros”, conclui.

Saiba mais no vídeo: www.youtube.com/watch?v=EoMtx3x5eD0Serviço

Cintia Seabra

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

Entenda a lipoaspiração a laser

52Muitas mulheres têm vontade de retirar a gordura localizada do seu corpo, mas, por receio dos efeitos do pós-operatório da lipoaspiração tradicional sobre o mesmo, acabam por não fazer a cirurgia. Entretanto, um novo método está cada vez mais popular, chamando atenção de quem quer ficar mais magra, e não consegue por vias tradicionais: a lipoaspiração a laser.

Segundo Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico que atua em Curitiba, esse método pode ser muito eficaz, especialmente quando for realizado em pequenas áreas. “A maioria dos pacientes apresenta uma dor bem reduzida, se comparada ao que as pessoas que optam pela cirurgia tradicional sentem”, observa.

Ele explica que essa lipoaspiração é feita liquefazendo delicadamente a gordura, fotocoagulando pequenos vasos (o que reduz o sangramento), além de promover a retração tecidual (melhorando a flacidez da pele). “A gordura liquefeita é removida através de um dispositivo de sucção, o lipoaspirador”, esclarece.

Alderson ainda fala que, na maior parte dos casos, observa-se um menor tempo de recuperação de quem faz a lipoaspiração a laser, se comparada aos métodos tradicionais. “Além de conseguir corrigir a flacidez da pele, essa tecnologia ainda pode melhorar áreas com estrias e celulite. Esse procedimento é mais eficiente em áreas do corpo onde uma lipoaspiração normal pode ocasionar flacidez”, pontua.

O médico finaliza, explicando que, ao mesmo passo em que esse procedimento é bom para quem não possui muita gordura localizada, ele é insuficiente para quem necessita retirar um volume maior. “Nesses casos, por mais que o pós-operatório seja um pouco mais dolorido, recomendo que a lipoaspiração tradicional seja realizada, pois ela oferece mais resultados”, conclui.

Serviço: Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)

Cirurgião Plástico

Sites: http://www.alplastica.com

http://www.michelangeloclinica.com.br

Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com

Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br

Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424

Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champagnat, Curitiba/PR.

Fontes da Toda Comunicação Curitiba/PR

É preciso falar sobre o lixo

imagem_release_397979Anualmente, os brasileiros jogam fora 76 milhões de toneladas de lixo. Dessas, 30% poderiam ser reaproveitadas, mas somente 3% são encaminhadas para centros de reciclagem. Nos últimos dez anos, o número de municípios que realizavam a reciclagem saltou de 81 para 900 – número expressivo, porém que não representa nem 20% das cidades do Brasil. O potencial que o país tem para reciclagem é imenso, mas não é bem aproveitado, e isso acarreta em danos gravíssimos para o meio-ambiente.

Cada vez mais, as pessoas utilizam embalagens e produtos industrializados dentro de suas casas, e a forma de consumo está diretamente relacionada com a alta produção de resíduos gerados. Segundo Eraldo Melo, Presidente do Grupo Conservar, empresa que terceiriza serviços, a coleta específica para o lixo orgânico e inorgânico dos lares é um grande desafio. “As pessoas precisam ser conscientes quando se fala em separação de lixo. Muitas vezes, cabe a quem faz a manutenção da casa ou condomínio realizar uma análise para checar se há lixo reciclado juntamente ao orgânico, porém, isso nem sempre é possível, visto que o risco de contaminação ou acidentes pode ser alto”, afirma.

O empresário explica que o manuseio do lixo requer treinamentos específicos, para que não haja perigo para o colaborador, e a coleta seja realizada da maneira correta. “Caso o colaborador não receba o treinamento adequado, os riscos podem afetar a sociedade em geral. Imagine: se o funcionário não receber e seguir as orientações corretas, ele não poderá separar o lixo corretamente, deixando de contribuir para a reciclagem de diversos resíduos. Assim, a natureza sofrerá, e nós também, pois tudo que é sentido lá é sentido aqui também, e, geralmente, em proporções muito maiores e desastrosas”, elabora.

Melo acredita que, por mais que a coleta específica para o lixo orgânico e inorgânico possa ser um desafio para os moradores e administradores de determinada área (de um condomínio fechado, por exemplo), ela deve ser realizada e defendida a todo custo. “Os síndicos têm o trabalho de conscientizar seus condôminos sobre a importância da separação da produção de resíduos, lançando reflexões sobre o problema e ampliando discussões sobre a gestão do lixo”, explica.

O empresário finaliza, lembrando que as pessoas não só podem como devem se adequar aos novos tempos, em especial à questão ecológica. “Os problemas ambientais não são mais algo que acontecerá no futuro, eles acontecem aqui e agora, e precisamos nos mobilizar como um todo para combatê-los. Cuidar do lixo produzido já é um ótimo começo, e até ações pequenas podem ser significativas, como separar suas lixeiras por cor e resíduo, por exemplo. Ressalto a importância de contar com pessoal treinado para esta tarefa, para cuidar tanto das pessoas, quanto do meio ambiente”, conclui.

Serviço: Eraldo Melo

Ex Faxineiro, Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

Fone: (64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

Terapia, sinônimo de saúde

imagem_release_436434Mesmo em pleno século XXI, muitas pessoas, talvez influenciadas pelo modo como a mídia (filmes, televisão, etc) trata o tema, entendem que apenas pessoas que não estão normais fazem terapia. Ou seja, no imaginário popular, apenas os loucos e desequilibrados precisam de ajuda profissional.

Na verdade, segundo especialistas, não existe nada de errado em alguém querer ou precisar de ajuda. Com tantas pressões e angústias que a vida cotidiana pode trazer, o ato de procurar uma terapia é completamente saudável. A verdade é que saúde mental é algo que poucos entendem ou sentem compaixão sobre, já que, segundo pesquisas, 25% de pessoas com doenças mentais acreditam que os outros sentem compaixão por elas. Muitas pessoas, que não se aprofundam ou se interessam pelo assunto, acreditam que as doenças mentais são algo que está “dentro da cabeça do indivíduo”, e que ele deveria se livrar delas sozinho.

Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, o “pouco caso” com doenças mentais não é apenas uma questão social, pois esse estigma é uma barreira que impede as pessoas de buscarem tratamentos adequados. “É tão comum que as pessoas vão ao médico ao menor sinal de gripe, então por que não ir ao psicólogo para cuidar da sua parte emocional? Afinal, ela é tão importante quanto a parte física, para o bom funcionamento do seu corpo”, afirma.

Ele observa que grande parte das pessoas que procuram ajuda psicológica não tem doenças mentais sérias, mas, sim, estão enfrentando alguma dificuldade ou transição nas suas vidas, e precisam de um apoio maior nesses momentos. “Muitas vezes, na verdade, a pessoa só quer alguém que a escute sem fazer juízos de valor e que a possa aconselhar quando necessário”, comenta.

Borba finaliza, explicando que fazer terapia pode ser benéfico para seu bem-estar, dando uma nova perspectiva para a sua realidade, seus problemas, seus relacionamentos, etc. “Muitos pensam que a ajuda psicológica é para sempre, mas não é bem assim. Apesar de certas terapias serem, realmente, de longo prazo, o objetivo principal desse processo será o da sua melhora pessoal, mudando o jeito como você encara seus problemas, e trabalhando para que sua vida se estabilize”, conclui.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

A banalização do “eu te amo”

imagem_release_438565Com o Dia dos Namorados se aproximando, as lojas começam a intensificar suas propagandas de venda de produtos voltados para a data, começam a brotar textos nas redes sociais sobre o assunto, e as pessoas parecem querer arranjar alguém para dizer “eu te amo” mais do que qualquer outra coisa.

Atualmente, seja pelo status de ter alguém para amar, seja por medo de ficar sozinho (a), as pessoas parecem desesperadas para ter seus sentimentos por alguém comprovados, ou, então, querem que o cônjuge reforce esse amor constantemente. Segundo o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, o que acontece hoje em dia é uma banalização do “eu te amo”. “Por mais que não possa parecer, cada vez mais as pessoas se esforçam para sentir algo que (ainda) não existe. Não podemos falar aquilo que não sentimos, ou seja, não há porque apressar o ‘eu te amo’ em uma relação”, afirma.

Ele explica que não é saudável falar por falar, pois isso acarreta no desgaste da relação. “Não deve ser pensado em quantidade, mas, sim, em qualidade. Não obrigue seu cônjuge a falar, deixe que ele se expresse à sua própria maneira. A consistência do sentimento é mais importante do que a frequência, então o ideal é falar quando o ‘eu te amo’ vem naturalmente, não quando ele é solicitado”, comenta.

O psicólogo diz que é preciso que as pessoas saibam avaliar o que é o amor, e como ele é percebido no dia a dia do casal. “Lembro-me de um casal que atendia; quando fiz a pergunta ‘o que é amor para você’ o marido respondeu que era quando acordava, seu café já estava o esperando, e sua mulher estava levando as crianças para a escola. Já para ela, era quando sentia que recebia atenção e carinho do seu companheiro ou quando faziam programas que ela escolhia. Desse modo, expliquei que são nesses momentos em que eles se sentem amados que o ‘eu te amo’ deve ser falado, pois, assim, ambos irão se sentir bem na relação já que o sentimento se encontra presente naquele instante”, explica. Ele ainda recorda que, nesse caso específico, após o casal passar a entender os momentos em que se sentiam felizes na relação, eles começaram a reproduzir com mais vezes essas atitudes que faziam com que ambos se sentissem amados, tornando a relação mais prazerosa e íntima.

Borba finaliza, dizendo que nunca deve-se exigir que a outra pessoa faça ou diga algo de maneira forçada. “Esse tipo de reação é infantil,pois exclui a liberdade do outro. Quando a pessoa se sente livre e sem cobranças, o sentimento flui naturalmente, o que revela-se ser bom tanto para um, quanto para o outro”, conclui.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Você tem medo de mudanças?

77Mudar é algo que fazemos com tanta naturalidade que, as vezes, nem percebemos. Claro, as mudanças que passam despercebidas são pequenas, como a marca do shampoo, a rota para casa, e o programa de televisão favorito. As verdadeiras mudanças, que impactam de modo significativo na sua vida, são feitas com muita preparação, pois representam marcos importantes.

Mudar de casa, mudar de escola, mudar de emprego, e, por que não, de peso, também. As pessoas têm medo de exercer essas mudanças, se auto-sabotando de alcançar uma situação de vida melhor e mais saudável. De acordo com a psicóloga e coach de emagrecimento, Cintia Seabra, os medos, geralmente, interferem nos desejos de cada um. “É preciso sempre pensar o que você quer para sua vida, e qual é o motivo que você tem para deixar o medo te impedir de realizar seus sonhos”, comenta.

Ela explica que, para alguns, é um sentimento de ficar paralisado por achar que não vai conseguir alcançar seus objetivos. Já, para outros, é o medo do desconhecido. E, para mais um pouco de gente, é o puro medo da felicidade. “Muitas pessoas que chegam até mim estão bem claras sobre o que precisam e quanto querem emagrecer, mas, no meio do caminho, acabam descobrindo que têm medo da mudança, e desistem”, lamenta Cintia, que é referência nacional na sua área, por meio do seu programa de emagrecimento online, O Segredo do Emagrecimento em oito Semanas.

Segundo o que a coach afirma, é preciso ter clareza das coisas que precisam ser mudadas, para, então, conseguir emagrecer de vez. Ela ainda complementa, esclarecendo que um bom acompanhamento profissional pode mudar sua vida, e que não é necessário estar sozinha nestes momentos de mudança. Viviane Zelante é uma destas pessoas que percebeu a importância de atingir seu peso desejado, e, hoje, é uma das participantes do programa O Segredo do Emagrecimento em oito Semanas. “São semanas que abalam seu emocional, mas que te mostram uma força interna estupenda, que nem você sabia que tinha. Hoje, percebo que sou uma pessoa extremamente forte, e que nada pode me parar de alcançar meus objetivos”, assegura.

Cintia finaliza, explicando que o mais importante, para iniciar a jornada rumo ao emagrecimento, não é o “como”, mas sim o seu motivo para querer emagrecer. “Assuma seus desejos, identificando o que você quer para sua vida. Após isso, lute até chegar ao seu peso ideal, e se mantenha firme nele”, conclui.

Saiba mais no vídeo: www.youtube.com/watch?v=OV6YYi1U1ck

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

4 motivos para investir no Botox

imagem_release_436352Todos os anos, o mercado estético é inundado por novos tratamentos que prometem combater o envelhecimento. Aparelhos importados de última geração, estímulo de colágeno, peelings e cremes que se dizem milagrosos são apenas algumas das opções que existem. A indústria da vaidade e da beleza é o 4º maior do mundo, incluindo diversos bens que podem massagear o ego, como carros, celulares, e, claro, produtos estéticos.

Entretanto, mesmo com todas as tecnologias e tratamentos hoje disponíveis para rejuvenescer a pele e retardar o envelhecimento, a toxina botulínica, comumente chamada de Botox, ainda é a principal escolha dos pacientes. De acordo com uma pesquisa realizada, em 2011, pelo Departamento de Cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia, 43% dos procedimentos estéticos feitos para amenizar rugas foram feitos por meio da toxina botulínica.

O cirurgião plástico Alderson Luiz Pacheco, que atua em Curitiba, acredita que o Botox é uma das melhores opções para quem quer resultados rápidos e duradouros. “Por precisar ser reaplicado apenas duas vezes ao ano, para manter a aparência do paciente, pode-se dizer que ele é uma boa alternativa para quem quer rejuvenescer o rosto”, afirma.

Ele listou ­4 motivos pelos quais investir em Botox é uma boa opção:

1.   Eficácia e mecanismos de ação:

“A toxina botulínica é eficaz para amenizar rugas provocadas por vícios de expressão (como na testa, por exemplo), mesmo não sendo indicada para combater a flacidez da pele”, explica o médico;

2.   Outros procedimentos X Botox:

Pacheco confirma que não existe nenhum outro procedimento que se compare ao efeito da toxina botulínica, no quesito de disfarçar as rugas. “Por atuar diretamente no músculo, o Botox também pode agir de maneira preventiva contra as marcas de expressão”, pontua;

3.   Regiões que podem ser beneficiadas:

O Botox pode agir em diversas regiões do rosto, para garantir uma aparência jovem a quem procura esse tratamento. Entretanto, as partes mais beneficiadas pela técnica são as rugas da testa, região entre as sobrancelhas, pés de galinha e qualquer ruga que se forme próximo aos olhos;

4.   Periodicidade das aplicações:

Cada organismo reage de uma maneira, mas, segundo o que conta Alderson, é comum que a reaplicação da toxina botulínica ocorra 4 a 6 meses após a primeira sessão. Ou seja, o efeito dura mais do que muitos outros tratamentos.

Serviço: Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)

Cirurgião Plástico

Site: http://www.alplastica.com

http://www.michelangeloclinica.com.br

Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com

Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br

Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424

Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champanhat, Curitiba/PR.

Uma lição de empreendedorismo

7Os zeladores, faxineiros e auxiliares de serviços gerais estão presentes em todos os segmentos das vidas cotidianas de absolutamente todo mundo, e, mesmo assim, por diversas vezes, esses valorosos profissionais não recebem o respeito e a admiração que merecem.

O que muitas pessoas não percebem, é que, sem estes profissionais, a vida seria uma bagunça; do mesmo modo como, sem um professor ou motorista de transporte público, a cidade para, sem os profissionais da limpeza viveríamos em meio a nossa própria sujeira, o que tornaria a convivência impossível, especialmente nas grandes cidades.

Além disso, em diversos ambientes de trabalho, chega a acontecer desrespeitos por parte de superiores, na hora de se relacionarem com funcionários que prestam serviços gerais. Eraldo Melo, entretanto, é a prova viva de que esta situação pode ser mudada. O agora empresário começou sua carreira em uma das cinco empresas que hoje possui como Auxiliar de Serviços Gerais, sendo promovido, pouco tempo depois, a Encarregado de uma equipe de 10 pessoas. Segundo ele, seus colaboradores eram extremamente desmotivados a irem trabalhar, o que ocasionava muitas faltas e baixa produtividade, e, uma das maiores reclamações deles era que seus superiores se quer lhes davam “Bom dia”, e, muito menos, elogiavam seu desempenho, quando eles cumpriam sua tarefas ou obrigações acima do esperado.

Melo resolveu esta situação ao se reunir mensalmente com seus colaboradores, para que pudessem discutir sobre o trabalho e as melhorias que deveriam ser feitas no setor. A partir disso, os funcionários se tornaram mais motivados, desempenhando seus papeis de maneira mais eficiente e produtiva. Dessa maneira, a empresa, utilizando os treinamentos oferecidos pelo empresário, conseguiu mais credibilidade com seus antigos clientes, além de novos contratos, pois demonstrou o seu verdadeiro valor humano.

Segundo o empreendedor, “cada função tem o seu valor, por isso, não podemos subestimar a capacidade ou o trabalho de ninguém. O faxineiro de hoje pode ser o chefe de amanhã, mas, independente disso, a gentileza é indispensável. Afinal, educação é algo que vem do berço”, conclui.

Serviço: Eraldo Melo

Empresário, Psicólogo, Escritor e Palestrante Motivacional

www.eraldomelo.com

eraldo@eraldomelo.com

(64) 8122-5397 | (64) 9939-3435

Você tem fome de quê?

87Segundo dados de 2013 do Ministério da Saúde, aproximadamente 50,8% da população brasileira sofre com sobrepeso, o que significa que muitas pessoas não conseguem controlar o quanto comem, causando o ganho de peso.

Entretanto, de acordo com Cíntia Seabra, coach de emagrecimento que é referência nacional na área, existem dois tipos de fome, e para emagrecer mais rápido é fundamental saber qual é o tipo de fome que te domina. “Existe a fome física, que é a mais fácil de reconhecer, pois ela aumenta gradualmente, causa desconforto corporal e ruído no estômago. E também há a fome emocional, mais difícil de ser identificada e driblada. A fome emocional aparece do nada e tem senso de urgência, mesmo que você tenha acabado de fazer uma refeição”, afirma.

Ela explica ainda que a fome emocional se caracteriza pela vontade incontrolável de comer, mesmo que não haja o desconforto físico (que geralmente aparece duas ou três horas após uma boa refeição), e este tipo de fome existe para suprir uma necessidade maior da sua vida, seja uma falta de atenção, uma compensação por causa de uma situação ruim, etc. “As pessoas sentem esse tipo de fome, e nem percebem que estão comendo, pois realizam esse ato enquanto assistem TV, navegando na Internet ou dirigindo, por exemplo. Esse tipo de fome está no piloto automático, a pessoa come, mas não se sente saciada”, observa.

A coach, que é conhecida por todo o Brasil pelo seu programa de emagrecimento online, chamado O Segredo do Emagrecimento, finaliza, dizendo que a pessoa que deseja emagrecer deve, primeiramente, tomar consciência da sua vida, para entender quais mudanças devem ser realizadas. “A fome emocional pede por uma mudança de vida, ou seja, para gerenciar seu peso é preciso, primeiramente, gerenciar sua vida”, conclui.

Saiba mais no vídeo:www.youtube.com/watch?v=yklvjzzSyc8&feature=youtu.be

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach e ​​Psicóloga Clínica

cintia@seabracoaching.com.br e cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.seabracoaching.com.br e www.osegredodoemagrecimento.com.br

Dê um descanso para o salto!

imagem_release_433660Muitas mulheres são apaixonadas por sapatos de salto alto, e isto não é novidade para ninguém. Algumas gostam de usa-los em ocasiões especiais, como um jantar diferente ou festas nos finais de semana, porém, uma boa parte do público feminino gosta de usar e abusar desse tipo de calçado durante a semana, e é aí que se encontra o problema.

Apesar de agregar elegância para os looks, o salto, se utilizado com muita frequência, acaba por prejudicar a saúde postural de sua usuária. Segundo Carla Tissiane de Souza Silva, fisioterapeuta que atua em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, o salto pode ser prejudicial pois, quando a mulher o utiliza, o peso do corpo não é distribuído de maneira equilibrada, alterando seu centro de gravidade e sobrecarregando a parte frontal dos pés, na região dos dedos conhecida como antepé, podendo desencadear inflamação desta região, as conhecidas metatarsalgias.

“A utilização frequente desses tipos de calçados, além de causar problemas como joanete, calosidade e propiciar entorses importantes, gera dores nos joelhos e na coluna. Também é possível que, por causa da pressão que é exercida nos joelhos e pés, existe a chance de que a mulher desenvolva artroses e inflamações crônicas nos pés”, explica ela, que é fundadora do Inspire Fisioterapia e Pilates, além de especializanda em Osteopatia e mestranda em Atividade Física e Saúde.

A profissional explica que algumas atitudes podem ser tomadas para que posteriores problemas de saúde sejam evitados por causa dessa opção de sapato. “Para quem utiliza-os diariamente, recomendo que aja a alternância entre o tamanho dos saltos, evitando ao máximo os modelos de 8 a 10 cm. Ter sapatos baixos, inclusive os de 3 cm e o tênis é essencial, principalmente para serem usados na ida e na volta do trabalho, pois eles causam menos danos à coluna eaos pés, propiciando uma melhor distribuição de carga e absorção”, pontua.

Carla finaliza, lembrando que, ao final da sua jornada de trabalho, é sempre bom massagear os pés, alongar as panturrilhas e elevar as pernas à pelo menos 45º. “Essas atitudes permitem que o sangue circule com mais eficiência no local, otimizem o retorno venoso, devolvam flexibilidade às panturilhas e ao tendão do calcâneo, além de aliviar as tensões provocadas pelo uso do salto alto”, conclui.

Serviço: ​Inspire Fisioterapia e Pilates

Carla Tissiane de Souza Silva

Fisioterapeuta- Crefito-8 149838-F

(41) 3385 4924; 3404-7155

Casais que não se escutam brigam mais

imagem_release_433743A comunicação de um casal é, de longe, um dos pontos fundamentais do seu relacionamento, e, quando esta característica é falha, problemas começam a surgir. Brigas imensas, por exemplo, podem ser evitadas quando existe uma boa comunicação entre o homem e a mulher, mas então por que é tão difícil para os casais se comunicarem de maneira eficiente?

Segundo a psicóloga clínica e hospitalar voltada a saúde do homem, Carla Ribeiro, as diferenças entre os homens e as mulheres faz com que a boa comunicação seja uma tarefa difícil, pois as mulheres falam o que pensam, só que de um jeito mais demorado, e os homens vão direto ao assunto, sendo, por vezes, grosseiros. “É muito comum que casais tenham problemas comunicacionais entre si, e que, ao longo dos anos, essa comunicação fique cada vez mais estreita.”, afirma.

A psicóloga lembra que a comunicação pode ser verbal ou não-verbal, e que boa parte dos casais não aprimoram a sua comunicação durante o relacionamento. Entretanto, para que a relação seja duradoura e satisfatória para ambos, é preciso se esforçar para dar certo.”Não existe uma formula mágica para a comunicação entre os casais, mas posso dizer que saber ouvir enquanto o outro estiver falando é um passo muito importante”, observa.

Saber interpretar corretamente o que seu parceiro quer dizer pode impedir muitas brigas, e, por isso, é preciso aprender a ser paciente, e ter disposição para realmente ouvir o que o outro quer dizer. “Quem não escuta, não compreende, e arranja problemas por pouca coisa. Na minha experiência profissional, pude perceber que, no momento em que os casais passam a se escutarem, tudo fica mais fácil”, comenta.

Carla finaliza, reforçando que a boa comunicação é um aprendizado diário, que é facilitado pela convivência. “Se os casais conseguirem utilizar as comunicações verbais e não verbais, estarão diminuindo os erros de comunicação”, conclui.

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Taquara,

Jacarepaguá – Rio de Janeiro/RJ.

Por um mundo sem cigarros

imagem_release_419688O dia 31 de maio foi instituído, em 1987, pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como o Dia Mundial Sem Tabaco, para alertar sobre as doenças e mortes causadas pelo tabagismo. No Brasil, o Instituto Nacional de Câncer José de Alencar Gomes da Silva (INCA), órgão do Ministério da Saúde que coordena as ações de prevenção e controle do câncer e Centro Colaborador da OMS para controle do tabaco, é o responsável pela divulgação e comemoração da data de acordo com o tema estabelecido a cada ano pela Organização.

Segundo dados da OMS, todos os anos, cinco milhões de pessoas no mundo morrem por causa do tabagismo, sendo que, no Brasil, 500 pessoas morrem diariamente por doenças ligadas ao cigarro. De acordo com o psicólogo e master coach João Alexandre Borba, é preciso lembrar que a fumaça do cigarro prejudica outras pessoas também, apesar do fumante em si ser o mais afetado. “Sete não fumantes morrem por dia em consequência do fumo passivo, já que o tabagismo passivo aumenta em 30% o risco de câncer de pulmão e 24% o risco para infarto”, afirma. Ele ainda fala que o tabagismo em si está relacionado a mais de 50 doenças, sendo responsável por 25% das mortes por doença no coração.

O psicólogo explica que existem diversos motivos que levam a pessoa a fumar; para relaxar e aliviar as tenções, disfarçar o tédio, amenizar uma situação de estresse e combater a ansiedade e por pura influência do grupo social estão entre as causas mais comuns. Borba ainda fala que, no caso dos adolescentes, a imitação dos adultos e a necessidade de aceitação pela turma de amigos são as justificativas mais usadas. “É um hábito que, por mais simples que pareça, pode afetar a vida inteira de um indivíduo, pois algumas atividades, como fazer esportes e levar uma vida saudável, por exemplo, se tornam dificultadas por causa do cigarro”, pontua.

O psicólogo conclui, dizendo que, além desse vício diminuir a expectativa da vida de um indivíduo e causar problemas posteriores, ele ainda polui o meio ambiente e o cenário urbano, por causa da fumaça e bitucas, que são deixadas pela cidade. “Apesar de parecer dificílimo parar de fumar, com força de vontade e apoio profissional tudo é possível. Recomendo que as pessoas que decidam parar de fumar realizem acompanhamento psicológico, pois, assim como uma droga, a falta do cigarro causará mudanças de humor temporárias, mas que são para o bem do indivíduo”, finaliza.

Serviço: João Alexandre Borba

Master Coach Trainer e Psicólogo

joao.alexandre@live.com

www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Desequilíbrio emocional atrapalha o emagrecimento

imagem_release_417080O sobrepeso pode ser causado por diversos fatores, sejam eles genéticos, biológicos, nutricionais e psicológicos. Esses últimos dois funcionam, geralmente, de duas maneiras diferentes: levar uma pessoa a comer mais, ou se tornar um obstáculo para perder o peso.

Segundo a psicóloga e master coach de emagrecimento, Cintia Seabra, o desequilíbrio emocional faz com que as pessoas se tornem mais vulneráveis, se esquecendo de seus reais objetivos. “Emoções negativas alimentam pensamentos sabotadores, ideias de fracasso e limita a capacidade e perseverança de quem deseja emagrecer”, afirma.

Antes de qualquer coisa, a coach fala que é preciso gerenciar bem a vida para gerenciar bem o peso. “Muita gente busca na comida, a satisfação que falta na vida. É nessa hora que, quem está acima do peso, fica dependente do prazer imediato que o açucar proporciona, por exemplo.” Explica ela, que é referência nacional na área pelo seu programa “O Segredo do Emagrecimento”.

Cintia finaliza, falando que “o como emagrecer” é mais importante que “o que fazer para emagrecer”. Embora elas saibam o que fazer, é o como que as paralisa na hora de brigar com o ponteiro da balança.

Saiba mais no vídeo-release: www.youtube.com/watch?v=sSYHDCSgFdY

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach  e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

Entenda a cirurgia nas pálpebras

84Algumas pessoas possuem excesso e/ou flacidez na pele nas pálpebras (parte em cima e embaixo dos olhos), outras, ainda, têm excesso de gordura na parte inferior do olho, ptose (queda de pálpebra por causas musculares) ou pseudoptose palpebral (queda da pálpebra por causa do excesso de pele). Essas condições podem interferir no modo como a pessoa se enxerga, podendo causar uma queda na autoestima.

Felizmente, esses problemas têm solução, por meio da blefaroplastia, cirurgia plástica que melhora o aspecto das pálpebras (superiores ou inferiores), que pode eliminar rugas, gordura, flacidez e, com isso, rejuvenesce a região em torno dos olhos. Segundo Alderson Luiz Pacheco, cirurgião plástico que atua em Curitiba, esse procedimento geralmente é indicado para pessoas com mais de 30 anos, que já tentaram resolver o problema de outro modo, mas não conseguiram.

Ele explica que o procedimento permite ser feito simultaneamente a outras intervenções, como rinoplastia ou lifting facial. “A anestesia feita para esse tipo de cirurgia é a local com sedação ou geral, e o processo dura em torno de 40 minutos. O médico responsável marca o excesso de pele com uma caneta, e o corta com o bisturi. Em seguida, ele cauteriza com bisturi elétrico, e dá pontos da região exterior das pálpebras”, explica o médico. Alderson ainda fala que a internação é necessária, sendo de 6 a 8 horas, e, caso sejam associadas outras cirurgias, o período pode passar de 12 a 24 horas.

O médico adverte: a cirurgia deixa uma cicatriz, que, entretanto, é pequena e discreta, e que o aparecimento de queloides é muito raro nessa região, mas pode acontecer. “Alguns cuidados básicos são necessários após o procedimento, para que a cicatrização seja feita da forma correta, e o efeito desejado seja atingido. O cigarro, por exemplo, deve ser evitado por dois meses após a cirurgia, pois prejudica a microcirculação, e retarda a cicatrização”, conta. O profissional finaliza, dizendo que, além do repouso de uma semana, deve ser feita a higienização adequada do local,com água e sabonete, e óculos escuros devem ser usados até que a cicatrização esteja finalizada (cerca de 30 dias), pois a ação do Sol pode manchar a região.

Serviço: Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)

Cirurgião Plástico

Sites: http://www.alplastica.com

http://www.michelangeloclinica.com.br

Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com

Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br

Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424

Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champagnat, Curitiba/PR.

Autoestima está ligada a perda de peso

imagem_release_417012Apesar de existirem milhares de dietas mágicas criadas para fazer com que a pessoa perca os quilinhos a mais, elas têm origens suspeitas, e podem colocar a saúde em risco. Para perder peso de forma eficiente, existem três passos fundamentais: praticar exercícios físicos com regularidade, manter uma alimentação equilibrada e o mais importante; manter uma relação saudável consigo mesmo, não se descuidando da autoestima.

Segundo Cintia Seabra, coach de emagrecimento que é referência nacional na área, o último item é indispensável para emagrecer e não voltar a engordar depois. “Antes de pensar em perder peso, a pessoa precisa resgatar sua autoestima, e analisar se primeiro perdeu a autoestima e depois engordou, e vice versa”, fala. Cintia diz que, apesar dos indivíduos possuírem tendência a acreditar que primeiro engordaram e depois perderam a autoestima, isso é apenas uma ilusão, já que essa característica tem relação com a maneira como se vive e com o amor próprio – como se respeita, se entende e se aceita.

Ela explica que, muitas vezes, a pessoa deixa de cuidar de si mesma para cuidar dos outros, ou focar apenas em trabalhar, o que causa uma piora no modo como ela se enxerga. “As pessoas passam por cima de si mesmas, e, por isso, engordam. Olhe para o passado, no momento em que começou a perceber que seu peso aumentou, e pense: como estava sua vida naquela situação? A partir daí, a pessoa pode começar o processo de recuperação da sua autoestima”, explica a profissional.

A coach ainda fala que, evidentemente, a ligação entre autoestima e variações no peso é estreita, pois, se a primeira estiver em baixa, os reflexos serão sentidos no corpo.  “Para recuperar sua autoestima, e, a partir disso, perder peso, eu recomendo que minhas clientes façam um exercício em que elas voltem no tempo, olhem quando conquistaram algo na vida que foi importante para elas, e percebam o potencial que está adormecido. Esse contato com forças e experiências positivas passadas, reativa a crença em suas capacidades. Assim, após a recuperação da autoestima, o emagrecimento pode ocorrer de modo mais facilitado”, finaliza.

Saiba mais no vídeo: http://osegredodoemagrecimento.com.br/resgatar-autoestima?inf_contact_key=7569853137a658abe521e3baa5577eaec615f2f6e326da3dd41075261081c5f3

Serviço: Cintia Seabra

Master Coach e ​​Psicóloga Clínica

cintia@osegredodoemagrecimento.com.br

www.osegredodoemagrecimento.com.br

Reposicionamento mamário

imagem_release_419173Muitas mulheres se sentem inseguras quanto as suas mamas, mas não por elas serem muito grandes, pequenas ou com mamilos considerados “desproporcionais”. Nesses casos, o problema geralmente está na “posição” das mamas, em que elas se apresentam caídas, mesmo tendo o tamanho ideal, na opinião da própria mulher.

O cirurgião plástico Alderson Luiz Pacheco, que atua em Curitiba, explica que a cirurgia é feita retirando o excesso de pele, e realizando o reposicionamento do tecido mamária. “Dependendo do nível de pteose (queda) e flacidez na pele, a cicatriz, que acaba ficando aparente, poderá ser na vertical, em formato de L ou um pequeno T invertido. Essa marca recebe o mesmo tratamento de microporagem, utilizado em mamoplastias redutoras”, explica o médico.

Ele fala que a anestesia pode ser geral ou peridural, sendo que, em alguns casos, a anestesia local associada a sedação pode ser utilizada. “O período de internação para esse tipo de cirurgia é de, geralmente, 12 horas. No caso de o paciente não apresentar condições seguras para ficar longe de observação, ele é mantido um dia inteiro dentro do centro cirúrgico”, diz Pacheco.

O médico diz que o pós-operatório, assim como em qualquer outra cirurgia, exige muito cuidado. Ele diz que é necessário utilizar um sutiã modelador imediatamente após o término do procedimento, sendo usado por 30 dias depois disso, que pode ser retirado somente no momento do banho. “É necessário um repouso absoluto por cinco dias, com poucos movimentos nos braços. Depois disso, pequenas atividades podem ser realizadas. Entretanto, para dirigir é preciso esperar um mês”, finaliza.

Serviço: Doutor Alderson Luiz Pacheco (CRM-Pr 15715)

Cirurgião Plástico

Sites: http://www.alplastica.com

http://www.michelangeloclinica.com.br

Blog: http://draldersonluizpacheco.wordpress.com

Email: plastica.pacheco@yahoo.com.br

Fone: (41) 3022-4646 e 4141-4424

Endereço: Rua Augusto Stellfed, 2.176, Champagnat, Curitiba/PR.

Fontes da Toda Comunicação Curitiba/PR