A dois meses das festas de final de ano, saiba como se organizar para não começar 2017 apertado

farney-fotoDe acordo com um estudo realizados pelo Banco Central no ano passado, as famílias brasileiras possuíam 45,8% da renda comprometida com dívidas. Os juros altíssimos decorrentes da crise econômica estão cada vez mais impedindo os brasileiros de honrarem com seus compromissos financeiros e isso resulta em difíceis situações de endividamento. Embora a situação econômica brasileira esteja sem previsão para melhorar, há maneiras eficazes de controlar os gastos, para, aos poucos, ir acertando as faturas atrasadas e se organizar melhor para a época mais consumista do ano.
Farney Coutinho, coach financeiro e coautor do livro “Crise para alguns, solução para outros”, explica que é possível sim obter controle financeiro, mas não é algo que acontece da noite para o dia “Hoje em dia, quase metade do orçamento familiar é utilizado apenas para pagar dívidas. É nítida a falta de planejamento e controle dos gastos mensais da população brasileira. E embora seja sim possível se livrar das dívidas, é necessário muito planejamento e, principalmente, foco”, diz.
A seguir, o coach apresentada algumas medidas a serem tomadas caso você já tenha perdido o controle do seu orçamento e queira se organizar para o próximo ano “Estas simples medidas farão com que você retome o controle de suas finanças pessoais e elimine suas dívidas no menor prazo”, comenta Coutinho.
1. Primeiramente, liste por completo todas as suas dívidas, incluindo informações de valor e quantidade de parcelas em atraso e a vencer, valor total da dívida e principalmente a taxa de juros de cada dívida. É preciso conhecer o tamanho do adversário que estamos enfrentando.
2. Reveja seu orçamento e corte ou reduza ao máximo todas as despesas realmente desnecessárias, sem comprometer sua qualidade de vida ou da sua família.
3. Substitua as dívidas com juros mais elevados por dívidas com taxas de juros menores. Atualmente a portabilidade entre bancos tem ajudado bastante neste sentido. Procure seu gerente, seja franco e exponha seu problema. Caso você já esteja negativado e não possua mais crédito no mercado, verifique a possibilidade de levantar um empréstimo com um parente ou amigo pagando uma taxa de juros menores do que as cobradas atualmente pelo seu credor.
4. Comece pagando as dívidas com os juros mais elevados primeiro, e então parta para as dívidas com menores taxas. Quanto maior os juros, mais rápido o montante da dívida se tornará um grande problema te deixando em situação cada vez pior de comprometimento da renda. Elimine-as primeiro.
5. Crie uma nova fonte de renda. Há inúmeras possibilidades de obter uma renda extra para contribuir com o pagamento da dívida. Utilize esta receita extra para antecipar a quitação da dívida e se livrar o quanto antes desta fase da sua vida.
Segundo Farney, não adianta tomar todas essas medidas e não se manter focado e firme no controle dos gastos, pois pode acabar resultando em dívidas muito maiores “Além disso, paralelamente ao pagamento da dívida, inclua em seu orçamento um valor a investir mensalmente e em poucos meses a dívida estará paga e você contará com uma reserva financeira para imprevistos futuros”, conclui o coach.

Farney Coutinho
Educador Financeiro

e-mail: farney@conquistaeditora.com.br
Tel.: (21) 2146-2592
Cel.: (21) 9 6494-6642

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: