Você se cobra demais?

aparelho-anti-stressImagine uma pessoa bem-sucedida. Para chegar nesse estado, provavelmente ela tenha se esforçado e feito alguns sacrifícios. É com esse pensamento que todas as pessoas se cobram diariamente, em busca de conseguir as melhores conquistas em suas vidas. Porém, a auto cobrança excessiva pode ser muito prejudicial.

O exagero da cobrança se dá pelo verbo ter. Muitos precisam ter uma boa casa, um bom emprego, um bom salário, uma boa imagem e uma boa família. Assim, o psicólogo e coach João Alexandre Borba afirma que o mundo está mais acelerado e as pessoas seguem esse ritmo. “Hoje todos temos nossas obrigações diárias e corremos porque achamos que não vai dar tempo de fazer nada. As pessoas devem parar e relaxar mais, mas não conseguem porque ficam em um estado psicológico muito desconfortável, já que se sentem mal e sem aquela sensação de dever cumprido”, analisa.

Dessa forma, as pessoas procuram realizar cada vez mais coisas para conquistar as suas metas. Mas essa pressão que todos colocam sob si mesmos não resolve nada. Afinal, não é a cobrança que vai acelerar uma melhora, seja ela pessoal ou profissional. “As pessoas não entendem que essa autocobrança só vai gerar mais estresse. Se uma mulher se cobra por não ter filhos, alimentar essa pressão não vai fazer com que ela tenha filhos. Ela vai acabar dando foco apenas para isso e esquecer dos outros fatores para isso acontecer. Ou seja, vai acabar se frustrando e com a autoestima baixa”.

É claro que devem existir algumas cobranças internas, mas o ideal é não deixar que elas tomem conta da sua cabeça. Por isso, Borba conta que existe uma diferença entre ser disciplinado e ter uma grande pressão em si mesmo. “Existem várias situações na vida que é preciso entregar um trabalho em um prazo ou trabalhar x horas por dia. Aprendemos a lidar com isso desde crianças. Mas a auto exigência em excesso nos coloca em um estado de ansiedade e tristeza por não conseguir realizar o que gostaríamos, podendo causar até mesmo algum tipo de transtorno mais sério”, revela.

Mas como então fugir disso? Para Borba, é necessário parar em alguns momentos pensar em quais são seus planos para o futuro. “Saber identificar como você está se sentindo no momento pode te motivar a querer algo mais e mudar em direção a novos objetivos. Muitas pessoas têm receios de sair da sua zona de conforto, mas isso pode fazer muito bem e fazer com que o indivíduo alcance grande parte da felicidade que tanto procurava”, conclui ele.

Serviço: JoãoAlexandre Borba

Co-CEO do Instituto Internacional Japonês de Coaching e Psicólogo Desportivo

joao.alexandre@live.com

https://www.facebook.com/joaoalexandre.c.borba

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: