Prevenir é melhor do que remediar: porque os homens precisam cuidar de si mesmos

homensSegundo os resultados Tábuas Completas de Mortalidade do Brasil de 2013, divulgado no ano passado, as mulheres vivem, em média, 7 anos a mais que os homens. A pesquisa indica que as brasileiras possuem expectativa de vida de 78,6 anos, e os homens de 71,3 anos.

O que essa pesquisa mostra é a comprovação de uma característica cultural: que os homens se previnem menos que as mulheres. De acordo com Carla Ribeiro, psicóloga clínica e hospitalar voltada à saúde do homem, atuante do Rio de Janeiro, os homens, normalmente, só procuram ajuda quando estão com algum problema urgente. “Seja um problema de saúde mental ou física, não é incomum que os brasileiros só procurem serviços de saúde quando estão com sérios problemas. Com o Dia do Idoso se aproximando (26/09), é preciso relembrar a importância de se cuidar desde cedo, para não enfrentar situações ruins no futuro”, afirma.

A psicóloga lembra que, quando se fala em saúde, muitos pensam que se trata apenas da parte física do ser humano. “Na verdade, uma das características marcantes dos homens é a falta de preocupação com si próprio. Quando ele sente uma dor ou desconforto físico ele pode até, com certa insistência, ir no médico para encontrar o motivo dessa aflição. Porém, quando um homem adulto não se sente bem consigo mesmo, com uma angústia que só passaria com auxílio profissional, ele reluta muito mais em procurar ajuda. Por isso, normalmente, é mais comum existirem mulheres que se consultam regularmente com psicólogos do que homens, mas esse cenário precisa mudar”, esclarece.

Carla pontua que não procurar ajuda pode parecer normal no presente, mas, com certeza, causará danos no futuro. “Muitas pessoas acreditam, ainda hoje, que homens não podem demonstrar emoção, exatamente para manter a aura masculinizada que os cerca. Assim, eles se sentem desencorajados – seja pelas pressões sociais, como família e amigos, ou por sua própria concepção sobre o que é certo e errado – a procurar uma pessoa neutra em suas vidas, alguém que possa ouvir seus problemas e ajudá-los a contornarem essa situação ruim. Em uma era em que doenças psíquicas como depressão e ansiedade só tendem a se tornarem mais comuns, é preciso lembrar que, quanto mais cedo se procura por ajuda, melhor é”, observa.

Ela lembra que, na velhice, esses problemas podem aumentar, especialmente pela sensação de solidão e “inutilidade” que podem acompanhar essa época. “Com a prevenção, é possível detectar se a pessoa possui inclinações para sofrer de alguma dessas condições e, assim, por meio do acompanhamento psicológico, pode-se realizar uma transição para a velhice de maneira mais tranquila e saudável”, finaliza.

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Página: https://www.facebook.com/psicologacarlaribeiroRJ

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Jacarepaguá (Taquara), Rio de Janeiro/RJ.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: