A fantasia que virou realidade

imagem_release_479510

Todos conhecem o conto infantil do Peter Pan, sobre o menino que não queria crescer e mora na Terra do Nunca com os garotos perdidos e se envolve em aventuras com piratas e sereias e etc. Mas existem meninos, homens, reais, que não fazem parte dessa ficção e não querem envelhecer de jeito nenhum, se desfazem de qualquer responsabilidade, rejeitam opiniões divergentes das suas, enfim, agem como verdadeiras crianças. Esses homens possuem a síndrome do Peter Pan.

Esse termo foi usado pela primeira vez por um psicólogo norte-americano chamado Dan Kiley, em 1983. O portador da síndrome não possui uma doença, mas um distúrbio causado por fatores sociais, tanto de influências externas quanto da família, normalmente superprotetora e permissiva, não impondo limites ou afazeres à ele. Então a formação psicológica dessa criança é alterada e passa diretamente da infância para a idade adulta, pulando a adolescência. Por isso, muitas vezes, essa pessoa acaba morando na casa dos pais por muito tempo.

Não são só os homens que podem ser atingidos pelo distúrbio, mas eles têm uma maior propensão a adquiri-lo.  A psicóloga Carla Ribeiro, atuante no Rio de Janeiro, afirma que há a possibilidade de tratamento, por meio de psicoterapia, na qual o sujeito irá passar pela adolescência, recuperando o aprendizado de valorização de trabalho e lazer, trazendo-o de volta à realidade.

Ela explica alguns sintomas característicos da disfunção psicológica:

1 – Irresponsabilidade. Quem tem a síndrome normalmente é preguiçoso e procrastina decisões, tem dificuldade em manter um relacionamento amoroso

2 – Ansiedade. Baixa auto estima e a insatisfação consigo, além de não terem boas relações com qualquer figura autoritária;

3 – Narcisismo. Acha que o mundo gira a sua volta. Alimentação, moradia e segurança são coisas que vêm de mão beijada, não associa trabalho e recompensa. Suas opiniões são sempre as corretas, não aceita ser contestado.

4 – Machista. Não acredita na igualdade entre os sexos, sempre acha que o homem é quem tem prover e ter uma posição superior dentro da casa.

5 – Não têm ética. Faz tudo o que pode e mais um pouco em benefício próprio, sem se preocupar com os outros.

Esses homens não passaram por um processo de reconhecimento de falhas e qualidades que possuem, principalmente porque não foram punidos quando crianças, e agora não diferenciam certo e errado. A única pessoa com que se importam são eles mesmos, e se acomodam na fantasiosa Terra do Nunca, se distanciando da realidade.

Serviço: Carla Ribeiro

Psicóloga Clínica e Hospitalar voltada para Saúde do Homem

E-mail:  caribeiro.psi@gmail.com

Página: https://www.facebook.com/psicologacarlaribeiroRJ

Celular: 21 9.9908-1834

Endereço: Av. Nelson Cardoso, 1149 – sala 1213, Jacarepaguá (Taquara), Rio de Janeiro/RJ.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: